PF desarticula quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Maranhão, Goiás e Tocantins
Polícia Federal cumpre mandado de prisão na casa de um dos suspeitos em Palmas (Foto: Divulgação/PF)

PF desarticula quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Maranhão, Goiás e Tocantins

NO MARANHÃO, A PF EFETUA TRÊS PRISÕES E DOIS MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO 

A Polícia Federal desencadeou hoje (23) a operação Xeque Duplo*, com o objetivo de desarticular organização criminosa especializada em fraudar benefícios de seguro desemprego que atuava em Tocantins, Goiás e Maranhão.

Segundo a assessoria de comunicação da PF até às 8h40 desta quinta-feira, a polícia tinha cumprido 10 m

Polícia Federal cumpre mandado de prisão na casa de um dos suspeitos em Palmas (Foto: Divulgação/PF)

andados de prisão no Tocantins, três em Goiás e três no Maranhão. Além disso, 15 mandados de busca e apreensão no estado tocantinense, quatro em Goiás e dois no Maranhão.

Os indícios colhidos nas investigações demonstram que os criminosos tinham acesso ao sistema do Ministério do Trabalho e Emprego, realizavam inserção fraudulenta de requerimentos de seguro desemprego, utilizando dados de PIS de trabalhadores reais e fictícios e, posteriormente, sacavam as parcelas do benefício, mediante uso de documentação falsificada pela própria organização. Para a fraude, alguns empregados eram “criados” virtualmente através de inserção de dados falsos referentes a empresas “laranjas.”

A investigação aponta os crimes de organização criminosa, estelionato, falsificação de documento, uso de documento falso, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas e lavagem de dinheiro.

A PF informou ainda que além da operação Xeque Duplo, foi realizada outra, a Duas Caras. Esta se refere a fraude praticada por dois integrantes da mesma organização criminosa. Eles agiam com a participação de terceiros e tentavam enganar a própria Justiça. Criavam um processo em que contestavam um saque do seguro-desemprego. Depois, os dois suspeitos ingressavam com ação por danos morais na Justiça Federal contra a Caixa Econômica Federal.

“Os  investigados teriam falsificado documento de identidade e combinado o saque da conta de um deles, mediante uso de documentação falsa, para posteriormente questionar esse saque junto à Caixa Econômica Federal e ingressar com ação por danos morais contra a instituição bancária”, informou à PF.

Nas duas operações foram mobilizados 110 policiais federais para o cumprimento de 13  mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária, três mandados de condução coercitiva e 21 mandados de busca e apreensão. Todos os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Criminal da Justiça Federal em Palmas.

*Xeque Duplo: Movimento do xadrez caracterizado quando o rei oponente é submetido a xeque por duas peças, simultaneamente. Dessa forma, representa a estratégia investigativa adotada, que partiu da prisão em flagrante do líder, em junho de 2014, para a cabal desarticulação da organização criminosa nesta data, atacando inclusive seu patrimônio.

MAIS INFORMAÇÕES

Segundo informações da assessoria de comunicação da PF, indícios colhidos no inquérito policial demonstram que os criminosos tinham acesso ao sistema do Ministério do Trabalho e Emprego. Eles faziam o requerimento de benefício usando dados de PIS de trabalhadores reais e fictícios. A suspeita é de que o prejuízo causado à União supere R$ 10 milhões. A operação é denominada Xeque Duplo.

A PF disse que para realizar a fraude, os membros da organização criavam perfis de desempregados por meio de dados falsos referentes a empresas laranjas. Os crimes cometidos pelos suspeitos são de organização criminosa, estelionato, falsificação de documento, uso de documento falso, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas e lavagem de dinheiro. A polícia disse que o grupo agia no Tocantins, Goiás e Maranhão.

A PF informou ainda que além da operação Xeque Duplo, foi realizada outra, a Duas Caras. Esta se refere a fraude praticada por dois integrantes da mesma organização criminosa. Eles agiam com a participação de terceiros e tentavam enganar a própria Justiça. Criavam um processo em que contestavam um saque do seguro-desemprego. Depois, os dois suspeitos ingressavam com ação por danos morais na Justiça Federal contra a Caixa Econômica Federal.

“Os  investigados teriam falsificado documento de identidade e combinado o saque da conta de um deles, mediante uso de documentação falsa, para posteriormente questionar esse saque junto à Caixa Econômica Federal e ingressar com ação por danos morais contra a instituição bancária”, informou à PF.

Nas duas operações foram mobilizados 110 policiais federais para o cumprimento de 13  mandados de prisão preventiva, 10 mandados de prisão temporária, três mandados de condução coercitiva e 21 mandados de busca e apreensão. Todos os mandados foram expedidos pela 4ª Vara Criminal da Justiça Federal em Palmas.

Segundo a assessoria de comunicação da PF até às 8h40 desta quinta-feira, a polícia tinha cumprido 10 mandados de prisão no Tocantins, três em Goiás e três no Maranhão. Além disso, 15 mandados de busca e apreensão no estado tocantinense, quatro em Goiás e dois no Maranhão.

Dentre os presos, dois já possuíam mandado. Um deles, inclusive, já se encontra em um presídio do Tocantins. Ele foi condenado a 21 anos por prisão em flagrante pelo mesmo tipo de golpe. Os policiais vão até o presídio cumprir mais um mandado contra ele. Os nomes ainda não foram divulgados pela PF.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta