Pelo Datafolha, 63% apoiam abertura de processo de impeachment de Dilma Roussef

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (11) indica que 63% dos brasileiros apoiam a abertura de um processo de impeachment contra presidente Dilma Rousseff (PT), quando se consideram as revelações feitas até aqui pela Operação Lava Jato.

A pesquisa também mostra que 64% dos entrevistados não acredita que Dilma será afastada em razão denúncias de corrupção da Lava Jato e que menos da metade dos entrevistados sabe que, caso Dilma saia, quem assume é o vice-presidente e que o vice é Michel Temer (PMDB).

A pesquisa Datafolha foi feita entre os dias 9 e 10 de abril com 2.834 entrevistas em 171 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Veja a seguir os resultados da pesquisa, divulgada pelo site da “Folha de S.Paulo”:

Considerando tudo o que se sabe até o momento a respeito da Operação Lava Jato, o Congresso deveria abrir um processo de impeachment para afastar a presidente Dilma da Presidência?
– Sim: 63%
– Não: 33%
– Não sabe: 4%

Caso isso ocorra, assume seu lugar:
– O vice (sem citar o nome): 29%
– Michel Temer: 13%
– Aécio Neves: 12%
– Outros: 8%
– Não sabe: 39%

Caso isso ocorra, assume seu lugar (entre quem apoia o impeachment):
– O vice (sem citar o nome): 27%
– Michel Temer: 10%
– Aécio Neves: 15%
– Outros: 8%
– Não sabe: 40%

Caso isso ocorra, assume seu lugar (entre quem rechaça o impeachment):
– O vice (sem citar o nome): 33%
– Michel Temer: 19%
– Aécio Neves: 5%
– Outros: 9%
– Não sabe: 33%

Sabe quem é o vice-presidente?
– Michel Temer: 36%
– Outros: 1%
– Não sabe: 63%

Opinião sobre os protestos contra o governo Dilma
– A favor: 75%
– Contra: 19%
– Indiferente: 5%
– Não sabe: 1%

Acha que Dilma vai ser afastada por causa das denúncias de corrupção na Lava Jato?
– Sim: 29%
– Não: 64%
– Não sabe: 7%

Sobre a corrupção na Petrobras, você acha que Dilma:
– Sabia e deixou que ocorresse: 57%
– Sabia, mas não poderia evitá-la: 26%
– Não sabia: 12%
– Não soube responder: 5%

Em quem votaria para presidente caso houvesse novas eleições?
– Aécio (PSDB): 33%
– Lula (PT): 29%
– Marina Silva (PSB): 13%
– Joaquim Barbosa: 13%
– Outra resposta: 9%
– Não sabe: 3%

A aprovação à presidente Dilma Rousseff (PT), medida pelo número das pessoas que consideram o governo “ótimo” ou “bom”, permaneceu em 13%, segundo pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (11). A taxa é a mesma da pesquisa realizada em março.

Apesar de a avaliação positiva do governo continuar no que é considerado seu ponto mais baixo desde o início do seu primeiro mandato, em 2011, os números mostram, porém, que a popularidade da presidente parou de cair.

O levantamento foi realizado pelo Datafolha com 2.834 pessoas de 171 municípios do país entre nos dias 9 e 10 de abril, e divulgado hoje por meio do site do jornal “Folha de S.Paulo”. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

O resultado da pesquisa de avaliação do governo de Dilma feita neste mês é:
– Ótimo/bom: 13%
– Regular: 27%
– Ruim/péssimo: 60%
– Não sabe: 1%

pesquisa anterior registrou 13% (ótimo/bom), 24% (regular), 62% (ruim/péssimo) e 1% (não sabe).

De acordo com o Datafolha, a atual taxa de aprovação de Dilma (13%) só é comparável com os piores momentos dos ex-presidentes Itamar Franco (12% em novembro de 1993) e Fernando Henrique Cardoso (13% em setembro de 1999, quando o pais sentia os efeitos da alta do dólar).

Na véspera de ser afastado da Presidência por um processo de impeachment, em 1992, Collor tinha 9% de aprovação, lembrou o Datafolha. Essa foi a pior taxa apurada em toda a série de pesquisas nacionais do Datafolha.

O Instituto Datafolha informou que também seguem estáveis, em patamares recordes, as expectativas dos entrevistados para a economia. Para 78%, a inflação deverá subir “no próximo período”. Para 70% dos entrevistados, o desemprego vai aumentar e, para 58%, a situação econômica do país “deve piorar”.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta