Pedidos de obras são 60% das propostas dos vereadores de São Luís

Pedidos de obras são 60% das propostas dos vereadores de São Luís

Na última semana antes do carnaval, o Plenário da Câmara Municipal de São Luís (CMSL), apreciou uma pauta de votações onde 60% das propostas foram pedidos de obras nos bairros da capital.
 Desde a abertura dos trabalhos, no dia 2 de fevereiro, dos mais de 26 requerimentos apresentados, quase 17 foram reiterados. São preposições que já foram aprovadas em plenário, mas ainda não executados pela prefeitura, como os do vereador Gutemberg Araújo (PSDB), que solicita a pavimentação de vias e recuperação asfálticas nos principais bairros de São Luís.
 Os pedidos não obrigam a prefeitura a realizar a obra. Em princípio, servem apenas como aviso de um problema. O vereador fica sabendo que a população quer a sinalização de uma rua, por exemplo, para diminuir a velocidade dos carros, e faz o registro oficialmente.
 — Todos os nossos pedidos são frutos das nossas andanças pelos bairros e quando nós recebemos essas reivindicações temos que utilizar destes instrumentos e encaminhar ao Executivo — diz o vereador tucano.
 As solicitações são variadas, mas em geral, os parlamentares pedem a construção de bocas de lobo, implantação de canaletas, asfaltamento e operação tapa-buracos em ruas, limpeza de áreas públicas, coleta de lixo e entulho, podas de árvores e manutenção de iluminação pública. A grande maioria dos pedidos é dirigida à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), que não consegue dar uma resposta emergencial ao volume de reclamações oriundas da comunidade, transformadas em proposições pelos vereadores.
 A resposta mais frequente da Prefeitura de São Luís é de que os pedidos estão contemplados em um plano de ação que está sendo desenvolvido pela administração municipal a médio e longo prazo. São comuns os requerimentos aprovados pela Câmara de Vereadores solicitando envio de ofício à Semosp para reparos urgentes na camada asfáltica e drenagem de ruas.
 Para vereador Marlon Garcia (PTdoB), a situação é grave, pois em nada justifica os requerimentos apresentados na Casa ficarem sem resposta do Executivo Municipal.
 — Estou nessa Casa há dois mandatos e tenho percebido que o Executivo não tem dado a devida atenção aos requerimentos apresentados e aprovados pela Câmara. A maioria dos pedidos aprovados fica sem ser contemplado e quem sai perdendo sempre é a população, que fica sem os serviços da Prefeitura, — observou o parlamentar do PTdoB.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta