O Maranhão e a Floresta dos Guajás  dão título à Unidos de Tatuapé, em São Paulo

O Maranhão e a Floresta dos Guajás dão título à Unidos de Tatuapé, em São Paulo

A Floresta dos Guarás, uma das maiores reservas florestais do Maranhão, o Palácio dos Leões, sede do governo, e outros pontos turísticos da capital São Luís, foram determinantes para que, no segundo ano consecutivo, a escola de samba Acadêmicos do Tatuapé se sagrasse campeã do Carnaval 2018 de São Paulo. O resultado foi conhecido na divulgação do último quesito, com as notas de mestre-sala e porta-bandeira. A escola desfilou no Sambódromo do Anhembi na sexta-feira (9) e prestou um tributo ao Maranhão e sua cultura local.

A Acadêmicos do Tatuapé assumiu a ponta da classificação apenas no sétimo quesito e de lá não mais saiu. Fizeram a diferença as notas descartadas, que valem para o desempate (das quatro avaliações dos jurados em cada quesito, a pior é desconsiderada no somatório geral). Isso tirou as chances de título das outras escolas que alcançaram os mesmos 270 pontos da campeã: Tom Maior e Mancha Verde receberam um 9,9 no quesito alegoria; Mocidade Alegre

As escolas voltam ao Sambódromo na próxima sexta-feira (16), no desfile das campeãs, que também terá a presença da Dragões da Real (5ª colocada), junto com Águia de Ouro e Colorado do Brás, campeã e vice do grupo de acesso.

Este é o segundo título da história da Acadêmicos do Tatuapé, que voltou a disputar no grupo especial em 2013. O desfile da escola campeã foi assinado pelo carnavalesco Wagner Santos e teve a participação de 2.761 componentes, divididos em 26 alas e cinco carros alegóricos. A ala das baianas homenageou a Floresta dos Guarás, uma das maiores reservas florestais do Maranhão. O Palácio dos Leões, sede do governo, e outros pontos turísticos da capital São Luís, foram representados nas alegorias.

Foram rebaixadas as escolas Unidos do Peruche e Independente Tricolor, punida com 1,2 ponto por usar uma empilhadeira para puxar um dos carros alegóricos. Apesar de ter desfilado, a Acadêmicos do Tucuruvi não foi avaliada pelos jurados. Os presidentes das 14 escolas do grupo especial concordaram que a agremiação não seria rebaixada após sofrer um incêndio em janeiro, que afetou 90% de suas fantasias e alegorias.

Veja a classificação final do grupo especial:
1º Acadêmicos do Tatuapé – 270
2º Mocidade Alegre – 270
3º Mancha Verde – 270
4º Tom Maior – 270
5º Dragões da Real – 269,9
6º Império de Casa Verde – 269,7
7º Gaviões da Fiel – 269,6
8º Rosas de Ouro – 269,6
9º Vila Maria – 269,5
10º Vai-Vai – 269,3
11º X-9 Paulistana – 268,9
12º Unidos do Peruche – 268,4
13º Independente – 267,7

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta