O blogueiro “Téo Pereira”, da novela “Império”, ganha correspondente maranhense. Quem sabe ‘desça’?
"Téo" Pereira, no Maranhão: quando ficção e realidade se fundem...

O blogueiro “Téo Pereira”, da novela “Império”, ganha correspondente maranhense. Quem sabe ‘desça’?

O ator Paulo Betti, o “Téo Pereira” da novela “Império” ( 21horas/Rede Globo), está dando o que falar. Ele é um colunista de fofocas que, em seu blog, teria por hábito atazanar a vida de celebridades. Gay assumido, seu principal objetivo, na trama, seria fazer com que Cláudio Bolgari (José Mayer) ‘saisse do armário’…
Claro que, além de fazer que Bolgari saia ‘dessa’ condição, o blogueiro Téo Pereira carrega consigo um saco de maldades, típico de um colunista mal caráter que usa informações privilegiadas para chantagear pessoas e ganhar dinheiro com isso.

O sagaz Agnaldo Silva, autor da novela, teria se inspirado muito no colunista Léo Dias, do jornal O Dia, do Rio de Janeiro, embora este se defenda, dizendo que não é bandido. Mas, para Agnaldo, o “seu” Téo Pereira é um “blogueiro mau” que vive em busca dos segredos de cada um só para escancarar em seus comentários ácidos e perversos. A não ser que a chantagem lhe renda algum e ele não publique a informação…

Além do desconfiado Léo Dias, Agnaldo também teria mandado sua assessoria “investigar” o modus operandi de outros blogueiros Brasil a fora para compor com maestria o seu personagem. E tal como o doleiro Alberto Youssef, a equipe teria estado no Maranhão e também se hospedado no Hotel Luzeiros, em São Luís.
Durante uma semana inteira, leram todos os jornais, assistiram a programação da televisão local, ouviram rádio, reviraram os blogs e, depois de exaustivo trabalho, teriam achado a característica que buscavam…

É difícil ter alguma simpatia pelo “Téo Pereira”, que vive postando notas mentirosas em seu blog contra o instituto maranhense. Sabe por que? “Téo” teria contratado uma pesquisa a um instituto para descobrir o poder e o alcance dos “enrustidos”, no Maranhão. E, claro, não gostou do resultado: alta taxa de concorrência, revelando, inclusive, como vivem e se organizam para driblar as convenções sociais da terra do escritor timbira Erasmo Dias que, relembre-se, não era enrustido.

A propósito, certa vez, Erasmo, ao exercer o mandato de deputado estadual, teve de enfrentar um “nobre colega” de parlamento , durante uma exacerbada discussão na Assembléia Legislativa, sobre tema do momento. O oponente chamou Erasmo Dias de “pederasta”. E teve a resposta, na bucha:
– Quem não sabe que Erasmo dá? Todo mundo sabe que Erasmo dá… Mas Erasmo dá o que é seu, diferentemente da senhora sua mãe, que dá a outrem o que deveria dar exclusivamente ao senhor seu pai…

O pau cantou…

O “Téo Pereira” maranhense disparou, hoje, mais um petardo contra o Data M. Se quer dinheiro do instituto,  não terá um tostão. Se quer “algo mais”, já aviso. Nada contra homossexuais, mas sou homem com H.
Gostaram “desça”?

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 6 comentários

  1. Carlos

    Isso vale tambem pra uma outra. A Lobata.

  2. Alberto

    E eu pensava que tu estavas falando do Teo Cardoso

  3. ester

    quem é essa pessoa lobata teo mundo esta no fim
    kkkk

Deixe uma resposta