O blog avisou! Estudantes da UFMA radicalizam e interditam acesso à região Itaqui-Bacanga
Interdição pelos alunos da UFMA: ninguém entrava e nem saía na região Itaqui-Bacanga

O blog avisou! Estudantes da UFMA radicalizam e interditam acesso à região Itaqui-Bacanga

Este blog previu a radicalização e apelou para o diálogo, mas foi em vão.

Hoje pela manhã (5), estudantes da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) voltaram a interditar a Avenida dos Portugueses, desta vez inviabilizando o tráfego nas duas direções. E como a avenida, à altura da Barragem do Bacanga, é a única via de acesso do centro para a região Itaqui-Bacanga, a partir do centro, estabeleceu-se o caos, até o final da manhã, quando a via foi liberada.

Quem tinha assunto urgente e precisava  entrar ou sair da região Itaqui-Bacanga, o acesso só era possível indo a Pedrinhas, na Br135. Muita gente se desesperou, como pessoas que precisavam pegar o ferry-boat para se deslocar para a Baixada Maranhense ou aqueles que tinham urgência por socorro médico.

Os estudantes reivindicam a instalação de uma Casa do Estudante no Campus do Bacanga, em São Luís.

Interdição pelos alunos da UFMA: ninguém entrava e nem saía na região Itaqui-Bacanga

O movimento pelo funcionamento de uma Casa do Estudante dentro do Campus Bacanga, já dura dez dias. Na última terça-feira (3), a UFMA anunciou que havia entrado em acordo com as lideranças do movimento estudantil, porém, os protestos continuam. Os alunos exigem que a reitoria volte atrás na decisão de transformar um prédio, que seria destinado à Casa do Estudante, na Pró-reitoria de Assistência Estudantil.

Greve de Fome
O estudante do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Josemiro Oliveira, após cinco dias em greve de fome, acorrentado ao prédio onde seria construída a Casa do Estudante, dentro da UFMA, precisou ser internado, sábado (30). Mas outro estudante, identificado como Daniel Fernandes, deu continuidade ao protesto na UFMA, e também se acorrentou, iniciando greve de fome.

A universidade informa através do seu site que,  apesar da Administração Superior ter proposto aumentar o volume de bolsas de permanência; de alugar ou comprar imediatamente um imóvel no Centro Histórico de São Luís para abrigar os alunos carentes e de se comprometer a construir um prédio para a residência estudantil dentro da Cidade Universitária, a partir de critérios legais definidos pelas instâncias legítimas, os manifestantes não abriram mão da sua reivindicação.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta