Números do Data Folha deixam Dilma de bom humor no RS
Depois do Datafolha, Dilma era só alegria em Porto Alegre

Números do Data Folha deixam Dilma de bom humor no RS

(247) A presidente Dilma Rousseff fez neste sábado (12) um balanço dos cinco pactos lançados após as manifestações ocorridas em várias cidades do País. “O copo está meio cheio, com viés de alta”, disse, durante evento em Porto Alegre. “Vamos tentar dar um pouquinho de vitória para o copo meio cheio. Caso contrário, ele não vai encher nunca”, completou.

A presidente anunciou investimentos em mobilidade urbana na capital do Rio Grande do Sul. Melhorias na área são o objetivo de um dos pactos anunciados pelo governo em julho, que também incluem saúde, educação, reforma política e estabilidade econômica.

“É importante o fato de que o Brasil é um dos únicos países em que manifestações não foram demonizadas e colocadas como um inimigo público número 1. Temos escutado e entendido as vozes das ruas e temos avançado. Para nós, há um resultado importante desse processo de pactuação”, disse Dilma.

Depois do Datafolha, Dilma era só alegria em Porto Alegre

Dilma fez um discurso bem-humorado no ato realizado na Assembleia Legislativa. Segundo ela, hoje é um dia de “mandar muitos beijos”, também numa referência ao Dia das Crianças. Nas redes sociais, a presidente ressaltou iniciativas do governo federal para a infância e divulgou fotos suas de quando era criança.

Pesquisa Datafolha divulgada sábado (12) revela que a presidente venceria no primeiro turno em 2014, ao disputar com o senador Aécio Neves (PSDB-MT) e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Em relação à mobilidade, a presidente lembrou a falta de investimentos nas últimas décadas. “Os pactos representam, mais do que tudo, uma direção. No caso especifico da mobilidade, é o reconhecimento de que nosso país, há 30, 40 anos, não investia em mobilidade de forma adequada, necessária e sistemática.” Ela enfatizou a importância dos investimentos em metrôs como a forma mais eficiente de transporte nos grandes centros. Essa modalidade, disse, foi improvisada na maioria das cidades.

Outro ponto citado por Dilma como um avanço decorrente das manifestações que ocorreram foi a aprovação, em agosto, do projeto de lei que destina os royalties oriundos da exploração do petróleo à educação e à saúde. “Foi uma grande conquista assegurada por esse momento político. Por duas vezes, mandei para o Congresso a destinação dos royalties e não consegui aprovar”, lembrou.

Sobre a saúde, a presidente agradeceu a aprovação da Medida Provisória (MP) do Programa Mais Médicos pela Câmara, que agora vai à apreciação do Senado. “Agradeço ao Congresso a aprovação da MP, mesmo que não concordemos com tudo, mas com o básico. Queremos que esse processo de entrada dos médicos se acelere e se faça para beneficiar a população que não tem acesso [aos serviços de saúde]”, disse.

Em relação à reforma política, a presidente destacou que a medida depende do Congresso e que é de interesse do país que sejam feitas mudanças no sentido de haver mais transparência. Dilma lembrou as comemorações dos 25 anos da Constituição Federal e disse que, agora, o Brasil é uma democracia experiente que precisa de “ajustamento”.

Sobre a estabilidade econômica, a presidente disse que a inflação está sob controle e que o Brasil tem uma baixa relação entre a dívida e o Produto Interno Bruto (PIB) se comparado a outros países. “Em agosto, [a relação dívida/PIB] estava em 33,4%, uma das menores do mudo. O endividamento é bastante baixo”, informou, citando também a taxa de desemprego verificada no país, cerca de 5,3%, que, segundo ela, é uma “situação confortável”.

No evento do qual Dilma participou na capital gaúcha, também estavam presentes os ministros do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas; da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário; e da Secretaria de Comunicação Social, Helena Chagas; o governador do estado, Tarso Genro; o presidente da Assembleia Legislativa, Pedro Westphalen (PP); entre outras autoridades.

Com Agência Brasil

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta