Novo ministro da Cultura já chamou Temer nas redes de “bandido de estimação”

Novo ministro da Cultura já chamou Temer nas redes de “bandido de estimação”

Leitão tomou posse defendendo o governo que ele criticou no passado. “As condições do país são adversas e estamos começando a sair da maior recessão de nossa história”, disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

“Não votei na chapa Dilma-Temer […] Não sou responsável por Dilma, por Temer ou por Eduardo Cunha. Por isso… Durmo bem à noite. Não tenho bandidos de estimação”, disse na época.

“Para que todos os partícipes e beneficiários diretos e indiretos do Petrolão sejam julgados e punidos” o jornalista desejou a continuidade das operações. “Incluindo Lula, Dilma, Temer e Cunha”, completou.

Leitão tomou posse defendendo o governo que ele criticou no passado. “As condições do país são adversas e estamos começando a sair da maior recessão de nossa história”, disse em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

“O Brasil de hoje exige que mais brasileiros sérios agarrem as rédeas do nosso destino. Nós precisamos sair logo da crise, em todas as áreas, e precisamos construir esse país que sonhamos. E isso se faz com reformas estruturais, não com a fácil omissão”, completou.

*Com informações do Radar, da Veja

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta