Novo comandante da PM fala grosso e diz que bandido tem que respeitar polícia
Militares vão ter que descruzar os braços: vai todo mundo para a rua.

Novo comandante da PM fala grosso e diz que bandido tem que respeitar polícia

Militares vão ter que descruzar os braços: vai todo mundo para a rua.

Valorização da tropa,  restabelecimento da hierarquia na caserna, com vistas à unidade  e policiamento nas ruas. São estes alguns dos principais pontos abordados pelo coronel Aldimar Zanoni Porto, novo comandante da Polícia Militar do Maranhão, nomeado ontem pela governadora Roseana Sarney, para restabelecer a ordem e combater a bandidagem.

Zanoni  substitui no posto o coronel Franklin Pacheco, em meio à  Nova crise que se estabeleceu na Segurança Pública do Maranhão, quando bandidos ligados a facções criminosas resolveram desafiar a Polícia, metralhando trailers da PM, matando e ferindo militares e atacando equipamentos como delegacias e viaturas.

O discurso do novo comandante da PMMA, ao dar entrevista à Radio Mirante, agora há pouco, deve tranquilizar um pouco a tropa, que ontem, no começo da noite,  no momento do anúncio da exoneração de Franklin, encontrava-se reunida na Fetiema, na Praça da Bíblia, para discutir e unificar uma pauta de reivindicações, especialmente relacionadas à segurança dos soldados e condições de trabalho.

O coronel Zanoni anunciou uma reunião geral de todos os coronéis para terça-feira próxima, quando, segundo ele, será discutido planejamento estratégico para enfrentar a bandidagem e defender a sociedade. “Quando um bandido ataca a polícia, ele está atacado a sociedade, e isso nós não vamos permitir”, avertiu, falando grosso.

Ele também adiantou algumas providências inciais, mas a principal é colocar todo o efetivo possível nas ruas, para o patrulhamento, com o maior número de abordagens possíveis, visando tirar as armas que estão com os criminosos.

Como publicado em post abaixo, desde as primeiras horas da tarde de ontem (11), circulavam informações  de que o Palácio dos Leões tomaria uma decisão em relação à cúpula da Segurança Pública do Maranhão. O secretário Aluísio Mendes, segundos esses comentários, era a bola da vez. Mas não aconteceu. Ele foi chamado apenas  para comunicar a exoneração do coronel Franklin Pacheco do comando da PMMA.

A notícia pegou boa parte de militares reunidos na Fetiema, e, ali mesmo, ficou decidido que todos iram para a Praça Deodoro da Fonseca, terminar publicamente a manifestação. Lá, os policiais fecharam o trailler da PM da Praça do Panteon. Aos policiais militares, juntaram-se policiais civis, familiares, amigos e gente curiosa. Muitos falaram em comemoração pela queda do comandante, outros de manifestação contra a violência que feriu de morte a própria PM.

Conselheiros de Roseana chegariam a pedir  que ela exonerasse Aluísio Mendes e Franklin Pacheco de uma só tacada. Mas vozes de Brasília  teriam opinado contra a demissão do secretário, agora. Ele ficaria como trunfo, caso uma nova crise de grandes proporções  atinja a Segurança  Pública estadual.

No seio do governo, há quem não veja com bons olhos as pretensões de Aluísio Mendes de ser candidato a deputado federal.  A razão é simples: no meio de tanto caos na sua área, ele ainda encontra tempo para se dedicar à política partidária. Semana passada, ele recebeu vereadores de Alcântara a quem teria prometido aumento de efetivo policial e de equipamentos em troca de apoio nas eleições de 2014.

Já Franklin caiu em desgraça pelos constantes atritos com  oficiais que têm tradição em liderança da tropa. Os informes que chegavam ao palácio dos Leões é que ele teria perdido as condições para liderar toda a tropa que, além disso,  anda insatisfeita com muitas outras ‘cositas más’, e uma das principais razões da manifestação de ontem, no começo da noite, na Fetiema.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta