Náufrago salvadorenho afirma que ficou à deriva por mais de um ano
Fonte da imagem: Reprodução/BBC News

Náufrago salvadorenho afirma que ficou à deriva por mais de um ano

Pescador foi encontrado em um atol do Pacífico e diz ter sobrevivido à base de peixes, tartarugas-marinhas e aves.

O que mais parece um filme aparentemente aconteceu de verdade com um homem de El Salvador, que vivia como um pescador no México. Em dezembro de 2012, José Salvador Albarengo saiu para pescar com outro companheiro de profissão chamado Ezekiel.

Em certo momento da viagem, uma forte tempestade atingiu o barco (que tem cerca de 7,5 metros), causando uma pane no motor e deixando os dois homens à deriva. Ainda com detalhes um pouco nebulosos, a história do náufrago salvadorenho ganhou repercussão mundial no dia de hoje.

Ele foi encontrado na última quinta-feira (30) por moradores do atol Ebón nas Ilhas Marshall junto ao seu barco, que já estava cheio de cracas do mar grudadas em seu casco. O pescador (que a princípio se apresentou como José Ivan) foi resgatado quase nu, vestindo apenas uma cueca rasgada, com cabelos e barbas grandes, e ainda um pouco confuso.

José Salvador, de 37 anos, afirmou que saiu para pescar no dia 21 de dezembro de 2012 e contou sobre a tempestade. O homem disse que esobreviveu à base de peixes, aves, tartarugas, água da chuva, além de beber a sua própria urina e rezar muito. “Eu só tinha minha cabeça em Deus. Se fosse morrer, seria com Deus. Então, não tinha medo”, afirmou.

Já o seu companheiro não teve a mesma persistência e sucumbiu à desesperadora situação de esta
r à deriva, pois não aceitava se alimentar dessa maneira, e morreu de fome depois de poucas semanas no mar, segundo o relato de José. Ele afirmou que jogou o corpo de seu amigo no mar e rezou para que Deus lhe enviasse ajuda e comida.

Fonte da imagem: Reprodução/BBC News

Ainda tem gente que acha que pode ser estória de pescador, mas…

E assim seus dias e noites se passaram até que ele avistou o primeiro pedaço de terra, o que não via há mais de um ano, e foi levado pelas ondas até a praia do atol de Ebón, onde adormeceu. Ele disse que, quando acordou, ouviu um galo e duas mulheres gritando, as quais foram procurar ajuda.

Após o resgate, o náufrago foi levado para a capital das Ilhas Marshal, Majuro, em uma viagem de 22 horas, e está passando por exames médicos, sendo bem hidratado e tomando alguns medicamentos.

As autoridades dizem que ainda não confirmaram totalmente a história de José, pois ele está um pouco confuso, não conseguiu se lembrar de sua própria data de nascimento, além de fornecer algumas informações conflitantes sobre quando ele deixou o México.

“Ele está com fome, inchado, com dor, extremamente perturbado e quer um corte de cabelo” afirmou um intérprete que ajudou na entrevista de José na segunda-feira. O náufrago disse também que quer voltar logo para o México. Ele disse às autoridades que mora no país há 15 anos.

Família

Baseando-se em uma lista de nomes de parentes que o homem forneceu às autoridades, a NBC News contatou vários possíveis membros da família de Albarengo, que disseram que o reconheceram nas fotos. Eles afirmaram que não tinham notícias dele há vários anos e temiam que ele estivesse mesmo morto.

Apesar de seu estado frágil, o homem foi capaz de dar aos funcionários novos detalhes de sua vida, incluindo a cidade onde ele nasceu em El Salvador, os nomes de seus pais, irmãos e uma filha, além do nome de seu chefe, no México.

Algumas pessoas duvidam da história de José Salvador, como a secretária de Assuntos Estrangeiros das Ilhas Marshall, Gee Bing. “Ainda não sei se acredito na história. Ele não parece estar tão magro quanto os náufragos que vimos no passado. Tenho dúvidas”, afirmou.

E você, leitor? Também achou o homem um pouco gordinho para um náufrago? Acha que ele passou menos tempo no mar ou acredita que as declarações dele sejam verdadeiras?

Por Claudia Borges em 03/02/2014

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta