Nada de macaxeira! Washington deve provar que tem um nome a zelar…

Nada de macaxeira! Washington deve provar que tem um nome a zelar…

Muita coisa acontece nesse Maranhão de Deus que  deixa a quase todos encafifados. Ocorre que surge sempre cada uma pior do que a outra… Senão vejamos:

Segundo divulgou  o jornal O Estado de São Paulo, no finalzinho de outubro,  o grupo político do senador José Sarney (PMDB) tentará impedir que o PT ocupe o governo do Maranhão a partir de abril, quando sua filha, Roseana Sarney, deixaria o cargo para disputar o Senado.

O plano, conforme ainda o matutino paulista –, que é proibido pela Justiça de Brasília de divulgar “certos assuntos” relacionados à família Sarney, em especial se mencionar o nome do filho Fernando -,  deve ser colocado em prática “caso a direção nacional do partido da presidente Dilma Rousseff confirme apoio à candidatura de Flávio Dino (PC do B) ao governo, desfazendo assim a aliança com a  família”.

Diz ainda  a matéria em questão que “o clã Sarney pretende indicar o atual vice-governador Washington Luís (PT) para o Tribunal de Contas do Estado, tirando-o assim,  da linha sucessória do governo”. Por ‘engenharia’ dos atuais mandatários, o secretário de Infraestrutura do Estado, Luís Fernando Silva, assumiria o governo e concorreria, no cargo, à reeleição em 2014 com o apoio dos Sarney contra Dino.

O jornal arrisca a dizer como funcionaria essa ‘engenharia’:  depois de indicar o vice-governador Washington Luís para o cargo vitalício de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado-TCE, o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), aliado da família, pela vacância, assumiria o cargo de governador. Como teria de ficar mais de quatro meses no posto – entre a renúncia de Roseana e o fim do mandato são nove meses -, seria obrigado a convocar eleições indiretas para governador. Como os Sarney têm maioria no Legislativo, Luís Fernando Silva seria eleito, pelos deputados – a chamada eleição indireta.

O Estado de São Paulo atribui  a “um aliado da família” a revelação do plano que já estaria no início, mas, pelo menos, diz  que “as conversas dependem de concordância dos envolvidos”…

Ainda bem que depende da concordância dos envolvidos… No caso,  o primeiro e principal “envolvido” seria o atual vice-governador Washington Luís Oliveira que, se não concordar, porá tudo a perder.

Ao transcrever a matéria do Estadão o Blog o fez tomado de uma certa tristeza, pensando em como ficaria a situação de Washington Oliveira se topasse um negócio canalha desses. Isso significaria que ele, um homem de partido,  estaria pensando em resolver apenas a situação dele. Com certeza, seria xingado até o fim dos tempos pela turma do partido que ele preside no Maranhão – o PT – por ser um dos principais articuladores da alianças com o PMDB do grupo Sarney. Aí já não seriam só os dissidentes do PT que têm picado o partido em dois no Maranhão – os contra e os a favor de Sarney e Roseana…

Pelo que se vê, não existe uma  forma mais eficiente de emporcalhar o nome de um homem de  bem do que essa “engenharia política” que estaria sendo gestada pelos Sarney. Fazer isso é, da parte deles,  atestar que o PT do Maranhão não tem condições nem maturidade para governar e nem de honrar compromissos assumidos na campanha e no governo. E que só serve para tarefas como emprestar para o PMDB  o tempo que dispõe no rádio e na TV e para  tirar fotografias para os cartazes de campanha. Ou seja: buchade canhão – só serve para ajudar a ganhar eleição.

Em relação ao “companheiro”  Washington Luís, individualmente, o grupo Sarney  considerar essa hipótese é o mesmo que entender que o vice-governador não passaria mesmo de uma raiz de macaxeira, tubérculo utilizado para matar a fome de  pessoas que não dispõem de mais nada por perto para preparar o maná.

O que os eleitores e aliados  estão a esperar é  que o Sr. Washington Oliveira  demonstre a indignação que, com toda a certeza, está sentindo com essas insinuações maldosas a seu respeito.

Tem todo o espaço que desejar para demonstrá-la…

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 3 comentários

  1. Luma Maranhão

    É triste,mas infelizmente,”Macaxeira” sempre nos surpreende.

  2. José júnior

    Será q ele colocaria sua dignidade e responsabilidade com o PT acima do seu próprio umbigo?

Deixe uma resposta