Na disputa pelo Senado, nem mesmo ex-presidentes têm vantagem assegurada
Collor em dificuldades: vai enfrentar Heloisa Helena em Alagoas

Na disputa pelo Senado, nem mesmo ex-presidentes têm vantagem assegurada

Em Alagoas, Collor pode ter enfrentamento com Heloísa Helena

O GLOBO

Collor em dificuldades: vai enfrentar Heloisa Helena em Alagoas

BRASÍLIA — O senador Fernando Collor (PTB-AL) tentará a reeleição com apoio do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e poderá ter novo embate nas urnas com Heloísa Helena, que foi eleita vereadora em Maceió pelo PSOL, mas sonha em voltar ao Senado. Outro ex-presidente que poderá tentar a reeleição como senador é José Sarney (PMDB-AP), que não definiu ainda se irá se candidatar novamente, a despeito de pressão de parte do PMDB para que ele mantenha a vaga para o partido.

No Ceará, o ex-senador tucano Tasso Jereissati deve voltar a disputar o Senado para dar palanque forte ao candidato à Presidência pelo PSDB, Aécio Neves, atrapalhando os planos do deputado petista José Guimarães (CE). Jereissati poderá formar chapa com o senador Eunício Oliveira (PMDB), que sonha com a vaga ao governo. O PT, por sua vez, idealiza um acordo entre o PROS, dos irmãos Cid e Ciro Gomes, e o PMDB.

A disputa sequer é fácil para alguns governadores, que não poderão se reeleger. Roseana Sarney (PMDB), do Maranhão, antes favorita, pode ter dificuldades contra um candidato forte da oposição, o deputado Roberto Rocha (PSB), que tem o apoio do candidato do PCdoB ao governo do estado, Flávio Dino, além de contar com o empenho de Eduardo Campos. No Piauí, o atual governador Wilson Martins (PSB) disputará com o senador João Vicente Claudino (PTB). Um grande acordo PTB/PP e PT poderá fortalecer Claudino e dificultar a eleição de Martins.

Consagrados, peemedebistas podem ficar de fora da disputa

Senadores que fizeram história nos últimos anos estão com dificuldade para conquistar a reeleição e podem até sair de cena na disputa deste ano. Entre eles estão os peemedebistas Pedro Simon (RS), que tem dúvidas se sairá candidato, e Jarbas Vasconcelos (PE), que ainda não teve a confirmação de que será apoiado pelo governador Eduardo Campos (PSB).

Simon vinha dizendo que não tentaria novo mandato, mas o fará se houver um pedido do PMDB. Recentemente, Simon declarou que não fugiria da disputa contra Lasier Martins (PDT), jornalista cujo nome está bem cotado nas pesquisas eleitorais.

Sem apoio do PMDB nacional e na oposição à presidente Dilma Rousseff, Jarbas Vasconcelos contava com o reforço do presidenciável Eduardo Campos, que parece não vir. A disputa interna no PSB pernambucano pela governo do estado é grande, e isso poderá fortalecer a escolha do ex-ministro Fernando Bezerra Coelho para a vaga do Senado. Pelo PT, o nome seria o do ex-prefeito e hoje deputado João Paulo Lima, em composição que teria como candidato ao governo o senador Armando Monteiro (PTB).

O senador tucano Álvaro Dias (PR), voz mais atuante da oposição no Senado, pode perder a vaga, se o PT, que lançará ao governo do Paraná a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil), conseguir convencer seu irmão, Osmar Dias (PDT), a compor a chapa petista. Se Osmar não concorrer, André Vargas (PT) disputará contra o tucano.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 4 comentários

  1. Afonso Coêlho

    Sonha blogueiro! Qual o candidato que a oposição tem para fazer frente à governadora Roseana Sarney se ela realmente queira esta vaga para o senado. O povo do Maranhão não aceita mais lero lero quer é trabalho e isto o governo tem realizado em todo o Estado, enquanto que a oposição fica com este discurso chula e pregando o caus.
    Com relação ao Maranhão aqui nem um ex-presidente é candidato. Dissestes bem, ex.

  2. GILSON (CAROLINA-MA)

    so tem um erro na reportagem, o Roberto Rocha e vice prefeito e não deputado. Olhando vejo, que Tasso Jereissatti (PSDB/CE) volta, Pedro Simom, pmdb/rs precisa voltar pelo bem do senado junto com Jarbas Vasconcelos do pmdb/pe.

    1. José Machado

      O costume de chmar. O cara foi deputado federal três vezes e estadual, uma vez… Obrigado pelo acesso ao blog.

  3. Anônimo

    Pelo amor de Deus, esse cidadao q comentou primeiro ou e blogueiro dos sarneys ou sei la oq ele e, nao sou de comentar politica mas dizer q o governo do maranhao trabalha q faz bom governo por deus o brasil ver q isso nao e verdade e sei la qm vai ganhar mas tenha certeza que nao sera o candidato dos sarney e roseana que nao vai pro senado. Pode lembra o q digo.

Deixe uma resposta