Márcio Jerry condena, na Câmara, a invasão de prédios públicos
Márcio Jerry, na Câmara: nada a ver com invasão.

Márcio Jerry condena, na Câmara, a invasão de prédios públicos

Márcio Jerry, na Câmara: nada a ver com invasão.

A maioria dos vereadores presentes manifestou apoio ao secretário Márcio Jerry, quando ele,  apresentando os fatos cronologicamente, desfez os boatos de suposta participação no movimento, como havia sido levantado por alguns. Jerry se fez acompanhar à sessão  dos secretários Osmar Filho (Assuntos Políticos), Antônio Araújo (Urbanismo e Habitação) e o assessor especial Geraldo Castro.

Agradecimentos

O secretário Márcio Jerry, inicialmente, agradeceu pela oportunidade de,  novamente, esclarecer os fatos de forma definitiva: “O que mais agride as pessoas éticas é serem acusadas injustamente. É muito importante ter a oportunidade de não deixar nenhuma dúvida”, pontuou.

A vereadora Bárbara Soeiro (PMN) afirmou que esteve na Câmara durante a ocupação e não ouviu conversas sobre a participação do secretário de Comunicação. Da mesma forma, os vereadores Francisco Chaguinhas (PRP), Rose Sales (PCdoB), Honorato Fernandes (PT), Sérgio Frota (PSDB), Marquinhos (PRB), Professor Lisboa (PCdoB) também foram enfáticos na defesa do secretário.

Rememorando os fatos, Márcio Jerry lembrou a sua disposição desde o início, em esclarecer. A primeira vez, falou ao secretário Rodrigo Marques (Governo) e ao vice-presidente da Câmara, Astro de Ogum (PMN), de sua não-participação. A segunda oportunidade foi em reunião com os vereadores Honorato Fernandes (PT), Isaías Pereirinha (PSL), Chico Carvalho (PSL) e o secretário Osmar Filho. O terceiro momento foi levar o ofício ao presidente da Casa atestando não ter qualquer participação ou conhecimento prévio da ocupação realizada pelo movimento.

Também foi lembrado durante a audiência que em uma das reuniões com os movimentos, o secretário Osmar Filho perguntou aos manifestantes se havia a participação de Márcio Jerry e, na presença de vários vereadores, todos refutaram o suposto envolvimento.

Márcio Jerry também escreveu na página do Facebook de Diego Brasil, que teria sido o manifestante que falou de seu conhecimento sobre a ocupação, pedindo sua retratação. O estudante informou na página que era mentira e que iria processar quem tivesse feito tal afirmativa.

Sobre seu conhecimento prévio, o secretário municipal explicou que existia o conhecimento de uma organização em rede social para ocupar a Prefeitura de São Luís. “O movimento criou uma página intitulada ‘1ª Ocupação da prefeitura de São Luís’. Nós começamos a intervir pedindo que nos apresentassem a pauta para evitar este absurdo que é a invasão de prédio público. Assim que a ocupação foi iniciada, o secretário-adjunto de Segurança com Cidadania me comunicou. Depois de ocupada a Câmara,  começaram a postar comentários na página do Facebook, afirmando que driblaram as autoridades e prontamente o governo acionou o secretário adjunto George, que disponibilizou a Guarda Municipal para garantir a segurança da Câmara”, disse Márcio Jerry.

Ele finalizou deixando claro que se soubesse da ocupação teria avisado ao presidente da Casa e reafirmou que é totalmente contrário à ocupação de prédios públicos. “Não existe acusador. Não há sequer o indício. Se eu soubesse antes, teria comunicado. O que eu sabia era que iriam ocupar a prefeitura. Eu condeno a invasão de prédios públicos”, advertiu.

O presidente da Casa, Isaías Pereirinha (PSL), pontuou o duplo relato do ativista que hipoteticamente teria feito a denúncia e de que confiava na palavra do secretário. “Nós temos que acreditar nas pessoas. Há aquele depoimento, mas parece de uma pessoa que fala uma coisa aqui, depois fala outra. Então, uma pessoa como o secretário Márcio Jerry tem muito mais credibilidade e merece que confiemos em sua palavra”.

Ainda se manifestaram em favor do secretário os vereadores Pavão Filho  e Ivaldo Rodrigues (PDT), Pedro Lucas Fernandes (PTB) e Helena Duailibe (PMDB). Os vereadores deram o assunto por encerrado. (Com informações do Sítio da Prefeitura de São Luís)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Pororoca

    Jerry não é tão doido assim. Um dia seria a Câmara, noutro dia seria a prefeitura e a seconzinha. Tirou logo o dele da reta… kkkkkkkk

Deixe uma resposta