Manifestação de sem-tetos acaba em repressão, mas eles insistem por uma resposta do governo
Sem tetos acampam na Beira-Mar, à espera de uma solução para o conflito...

Manifestação de sem-tetos acaba em repressão, mas eles insistem por uma resposta do governo

Sem tetos acampam na Beira-Mar, à espera de uma solução para o conflito…

Moradores da Vila Nestor continuam concentrados próximos ao Palácio dos Leões. Eles prometem continuar o protesto contra a reintegração de posse da área que ocupam no município de Paço do Lumiar.

Eles estão reunidos desde o início da manhã desta sexta-feira próximo ao Coreto da Praia Grande, na Beira Mar. O movimento ocorre tranquilamente sem obstruir o trânsito. O líder da comunidade, Nestor, disse que hoje haverá uma reunião entre os moradores e o Ministério Público para discutir a situação dos assentados. Ele alerta que se o impasse não for resolvido, os protestos continuarão.
Na tarde de ontem, homens do Batalhão de Choque tiveram que intervir na manifestação realizada na Beira-Mar, no centro de São Luís, por moradores da Vila Nestor, assentamento da cidade de Paço do Lumiar. Várias bombas de efeito moral foram arremessadas na multidão na tentativa de dispersar os manifestantes.

Os protestantes querem que o Governo do Estado regularize o terreno invadido por eles e onde moram centenas de famílias. Há poucos meses duas pessoas apareceram alegando propriedade das terras, a Justiça expediu o mandato de desapropriação. Segundo os moradores várias reuniões foram realizadas na tentativa de uma negociação, mas as partes não chegaram ao acordo.
Nota do governo do Estado
A respeito de protesto por ocupação de terra no município de Paço do Lumiar ocorrido na Avenida Beira-Mar, na tarde desta quinta-feira (6), o Governo do Estado esclarece que:
Adota postura democrática estabelecendo diálogo permanente com todos os segmentos sociais. Na tarde desta quinta-feira (6) houve reunião entre membros do Governo com comissão de moradores da Vila Nestor II, do município de Paço do Lumiar, liderados pelo senhor Nestor Almeida, para ouvir a reivindicação de que foram notificados pela Justiça para desocupar a área do bairro, que pertence a particular.
Na reunião, os moradores explicaram que receberam mandado de reintegração de posse e pediram para que o Governo interviesse junto à Justiça para a concessão do terreno. Restou esclarecido aos moradores que o Governo não pode intervir em decisão judicial, pois há limites constitucionais.
A atitude democrática do governo não pode ser confundida com falta de autoridade. Desse modo, o uso de força moderada pela Polícia Militar foi necessária para garantir a ordem e evitar que manifestações violentas impedissem a livre circulação de pessoas na Avenida Beira-Mar.
Ao Governo do Estado cabe zelar pelos direitos do conjunto da população, que não pode ter cerceado seu constitucional direito de ir e vir.
FONTE: O Imparcial on line

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta