Líder do DEM no Senado diz que a presidente Dilma deveria renunciar e convocar novas eleições

Líder do DEM no Senado diz que a presidente Dilma deveria renunciar e convocar novas eleições

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), afirmou nesta última segunda-feira (23) que, diante da falta de apoio da população, a presidente Dilma Rousseff deveria renunciar ao mandato e convocar novas eleições.

 — O mínimo que ela poderia fazer, diante dessa reprovação popular, era renunciar ao mandato e convocar novas eleições. Essa é uma postura de quem tem responsabilidade com o País.

 O senador argumenta que o governo da presidente não tem legitimidade e ela não terá condições políticas de continuar à frente do Palácio do Planalto pelos próximos quatro anos. “Eu aposto que as próximas manifestações vão ser maiores”, afirmou, em referência aos protestos que levaram milhares de pessoas às ruas no último dia 15.

 A pesquisa CNT/MDA divulgada hoje pela Confederação Nacional dos Transportes mostrou que o desempenho pessoal de Dilma é desaprovado por 77,7% da população.

 O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), classificou como “exótica” a sugestão do senador democrata e ironizou a declaração, dizendo que Caiado diminuiu o tom, uma vez que já havia defendido publicamente “impeachment da presidente”.

 — Essa é mais uma ideia exótica do senador de Goiás. Aliás, ele até evoluiu, porque ele estava defendendo o impeachment e agora parece convencido de que não há elementos para isso.

 O petista disse ainda que a presidente já tem tomado uma série de medidas para sair da crise e recuperar a popularidade.

— A presidente Dilma tem um programa, ela vai implantar esse programa de governo, e estará bem [avaliada] mais para frente. O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), afirmou nesta segunda-feira (23) que, diante da falta de apoio da população, a presidente Dilma Rousseff deveria renunciar ao mandato e convocar novas eleições.

 — O mínimo que ela poderia fazer, diante dessa reprovação popular, era renunciar ao mandato e convocar novas eleições. Essa é uma postura de quem tem responsabilidade com o País.

 O senador argumenta que o governo da presidente não tem legitimidade e ela não terá condições políticas de continuar à frente do Palácio do Planalto pelos próximos quatro anos. “Eu aposto que as próximas manifestações vão ser maiores”, afirmou, em referência aos protestos que levaram milhares de pessoas às ruas no último dia 15.

 A pesquisa CNT/MDA divulgada hoje pela Confederação Nacional dos Transportes mostrou que o desempenho pessoal de Dilma é desaprovado por 77,7% da população.

 O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), classificou como “exótica” a sugestão do senador democrata e ironizou a declaração, dizendo que Caiado diminuiu o tom, uma vez que já havia defendido publicamente “impeachment da presidente”.

 — Essa é mais uma ideia exótica do senador de Goiás. Aliás, ele até evoluiu, porque ele estava defendendo o impeachment e agora parece convencido de que não há elementos para isso.

 O petista disse ainda que a presidente já tem tomado uma série de medidas para sair da crise e recuperar a popularidade.

 — A presidente Dilma tem um programa, ela vai implantar esse programa de governo, e estará bem [avaliada] mais para frente.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta