Helena apresenta à Câmara relatório dos serviços de Saúde prestados pela Prefeitura em SL

Helena apresenta à Câmara relatório dos serviços de Saúde prestados pela Prefeitura em SL

Helena Duailibe apresenta relatório de ações da Prefeitura na área de saúde na Câmara Municipal

A Prefeitura de São Luís apresentou na manhã desta segunda-feira (1°), na Câmara Municipal de São Luís, um relatório das ações relativas à saúde. A secretária municipal de Saúde, Helena Duailibe, esteve na audiência pública e fez a exposição do trabalho da pasta. A apresentação atende a um dispositivo da Lei n° 141/2012, que dispõe sobre os recursos aplicados pelo Município em ações e serviços de saúde.

A titular da Saúde fez um relato dos principais investimentos da Prefeitura de São Luís, que têm resultado na ampliação da oferta de serviços à população e na qualificação da rede assistencial. Um dos dados apresentados mostra que, apenas no período de janeiro a março deste ano, foram realizados 3.073.276 atendimentos ambulatoriais, na rede municipal de saúde, composta por 54 unidades básicas, dois centros de testagem e aconselhamento, seis centros de especialidades, quatro unidades mistas, três unidades de pronto atendimento, quatro hospitais e uma maternidade.

Helena detalhou aos vereadores as reformas de grande porte e ampliações, que estão sendo feitas nos hospitais Socorrão I e II, e no Hospital da Criança, e a construção da Maternidade da Cidade Operária. Além disso, a secretária destacou as melhorias realizadas em 15 unidades da rede básica de saúde. “Durante todo este mês de junho, entregaremos à população mais dez unidades, que foram reestruturadas e estão aptas a realizar atendimentos de qualidade. E, por determinação do prefeito Edivaldo, ainda neste segundo semestre, iniciaremos reformas em outras dez unidades”, disse.

Na apresentação, também foi exposta a nova estrutura do Hospital da Mulher, que passou de 24 para 45 leitos, e ganhou novos serviços como neurocirurgia, biópsia e retirada de tumores mamários benignos, além de um moderno centro de diagnóstico por imagem, com tomografia computadorizada e ultrassonografia. Dentre as ações bem sucedidas executadas pela Prefeitura também foi citada a descentralização da Central de Marcação de Consultas, que agora tem 24 unidades marcadoras, pois com a nova estrutura, a Cemarc atendeu a 245.435 usuários, apenas no primeiro quadrimestre deste ano, totalizando no período, 548.613 exames agendados.

A representante da gestão municipal respondeu aos questionamentos dos vereadores sobre o episódio recente do alagamento do Hospital da Criança. Ela explicou todas as medidas tomadas e garantiu que o atendimento a esse público prossegue normalmente, com a estrutura que está sendo mantida pela Prefeitura de São Luís nas unidades onde passou funcionar o serviço de internação.

Para Helena Duailibe, a audiência no Legislativo Municipal é uma forma de mostrar a sociedade o trabalho da gestão para superar as fragilidades do sistema de saúde e garantir o atendimento às demandas da população. “Fizemos essa prestação de contas conforme preconiza a lei, mostrando o orçamento, a produção da rede assistencial, os indicadores e os programas implementados na rede de saúde, para dar total transparência à forma como o prefeito Edivaldo tem priorizado a qualificação da assistência ao cidadão de São Luís”, finalizou.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. maria

    Perguntar não ofende está vindo aí um novo seletivo dos hospitais municipais, a questão por que fazer seletivo e não o concurso público?

Deixe uma resposta