Governo celebra reabertura dos mercados de China, Egito e Chile à carne brasileira

Governo celebra reabertura dos mercados de China, Egito e Chile à carne brasileira

Ministro da Agricultura destaca “vitória de nossa capacidade exportadora” em nota. Maiores compradores da carne brasileira, chineses ainda não confirmaram reabertura oficialmente.

 

O Blairo Maggi inspeciona frigorífico no Paraná, na terça-feira, 21 de março.
O ministro Blairo Maggi inspeciona frigorífico no Paraná. RODRIGO FONSECA AFP

O pesadelo que assombrou o mercado da carne brasileiro após a deflagração da Operação Carne Fraca, há pouco mais de uma semana, parece estar passando. A investigação sobre um esquema de fraude e propina que envolve ao menos 21 frigoríficos jogou sombra sobre todo o setor e levou a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) a calcular uma queda de 20% nas exportações do setor neste ano. China, Hong Kong, União Europeia, Coreia do Sul e Chile anunciaram a suspensão temporária das compras dois dias após a operação. A Coreia do Sul voltou atrás no dia seguinte e, neste sábado, o Ministério da Agricultura celebra em nota a “reabertura total” do mercado chinês à carne brasileira. Horas depois, o Governo adicionou Chile e Egito ao rol de mercados reabertos.

“Tenho mais notícias boas. Egito e Chile também normalizaram a importação de nossa carne”, disse.

Photo published for Chile e Egito retomam importações de carne brasileira

Chile e Egito retomam importações de carne brasileira

Chile extinguiu, nesse sábado (25), restrição à importação mas manteve suspensão aos 21 frigoríficos alvos da Operação Carne Fraca. Já o Egito declarou oficialmente ter certeza da qualidade da carne…

Segundo o Governo brasileiro, “a China nunca fechou o mercado aos nossos produtos, mas apenas tomou medidas preventivas para que tivéssemos a oportunidade de oferecer todas as explicações necessárias e garantir a qualidade da nossa inspeção sanitária”. A notícia vem em boa hora para evitar a perda de mercado, já que países como a Argentina enxergaram oportunidade na crise da carne brasileira para tomar mercado do vizinho.

Apesar da boa notícia internacional — que ainda não foi confirmada oficialmente pelo próprio Governo chinês —, as reverberações da Operação Carne Fraca parecem longe do fim. As investigações seguem — 33 servidores do Ministério da Agricultura foram afastados — e nesta sexta-feira os frigoríficos paranaenses Souza Ramos, Transmeat e Peccin foram instruídos a recolher as carnes e seus produtosdistribuídos a supermercados — e mesmo aqueles já vendidos aos consumidores.

Preocupado com os impactos da crise da carne para a economia local, o Governo brasileiro tem destacado que os problemas identificados pela Operação Carne Fraca são pontuais. O presidente Michel Temer voltou a tocar no assunto na sexta-feira, quando disse que a carne brasileira é “forte” durante cerimônia de entrega de casas do programa Minha Casa, Minha Vida.

Fonte: EL PAÍS

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta