Geraldo Alckmin visita o senador Roberto Rocha no Hospital Sírio Libanês, em SP
Dr. Roberto Kalil Filho, o governador Geraldo Alckmin, senador Roberto Rocha e o amigo comum, maranhense João Câmara.

Geraldo Alckmin visita o senador Roberto Rocha no Hospital Sírio Libanês, em SP

 

Entre os visitantes, a esposa de Roberto Rocha, Ana Cristina, que acompanha o marido paciente no Sírio Libanês

 

Sírio Libanês, em SP: o médico Roberto Kalil Filho, o governador Geraldo Alckmin, o senador Roberto Rocha, e João Câmara, amigo comum

Geraldo Alckmin, Roberto Rocha e Luiz Rocha Filho

O senador Roberto Rocha (PSB-MA) recebeu nesta segunda-feira (27), no hospital Sírio Libanês, onde se recupera de uma cirurgia para controle do diabetes, a visita do governador de São Paulo Geraldo Alckimin. Amigos, o senador e o governador conversaram durantes cerca de duas horas sobre o cenário político e econômico do Brasil, modelos de gestão, além de assuntos mais pessoais, como família e saúde.

Geraldo Alckimin chegou ao Sírio Libanês acompanhado do maranhense João Câmara, amigo em comum do governador e do senador. Já estavam com Roberto Rocha o médico Roberto Kalil Filho, o irmão do senador e prefeito de Balsas, Luiz Rocha Filho, a esposa do senador, Ana Cristina, além de Ana Maria, secretária particular.

No meio da conversa, uma pauta inevitável: a abertura de uma agenda onde os governos dos dois estados possam discutir uma forma de São Paulo, estado rico, contribuir com o desenvolvimento do Maranhão, estado pobre, mas com imenso potencial eccômico e cultural.

Só para recordar, Geraldo Alckmin foi extremamente generoso com o Maranhão, quando, na sua primeira gestão à frente do governo de São Paulo, autorizou ajudas importantes no momento em que   cheias do Mearim castigaram milhares de maranhenses, a pedidoi de Roberto Rocha.

 

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 3 comentários

  1. maria

    Sempre que um “nobre” parlamentar adoece ou vai fazer um exame de rotina ele vai para o Sírio Libanês um dos melhores da América Latina, enquanto isso o trabalhador brasileiro tem que se contentar com as desgraçadas e intermináveis filas do SUS.

    1. José Machado

      Se eu fosse fazer uma cirurgia de controle do diabetes (que, no caso do senador. estava chegando a níveis preocupantes), e pudesse me operar no Sírio, nem pensaria duas vezes. Pelo que fui informado, a mulher, um filho e uma irmã do senador fizeram a mesm cirurgia com o Dr. Valadão, em São Luís… Mas o plano de saúde de um senador dá para cobrir todas as despesas de tratamentp de saúde a que ele se submeter. No Sírio ou até mesmo em algum hospital de Washington, nos Estados Unidos…

  2. maria

    Sim, querido eu também iria se pudesse o problema é que quem paga esses planos de saúde dos parlamentares é classe trabalhadora nem isso eles querem pagar com salários deles que diga-se de passagem é altíssimo e outra coisa eu não condeno os ricos mas sim os políticos corruptos desse país.

Deixe uma resposta