Fui condenado por um apartamento que não tenho, diz Lula em ato na República

Fui condenado por um apartamento que não tenho, diz Lula em ato na República

  • Lula falou pouco mais de vinte minutos no ato na praça da República. Criticou a decisão do TRF-4, citou realizações do governo, e se comparou com Nelson Mandela e Tirandentes. “Esse ato não é de eleição. Ele é infinitamente maior que a eleição. É um ato pela soberania nacional”, disse.

    O petista falou ainda que nunca teve nenhuma ilusão com a decisão do tribunal. “Houve um pacto com o poder Judiciário e imprensa, de que era hora de acabar com o PT. Eles não admitiam mais a ascensão social das pessoas em desenvolvimento.”

    No discurso, citou realizações do governo, como expansão do ensino superior e do crédito e os programas Ciências Sem Fronteiras e Minha Casa Minha Vida. Segundo Lula, a decisão do TRF-4 foi baseada em mentiras.

    O ex-presidente reforçou que não há provas contra ele. “Quero que eles digam qual foi o crime que cometi. Estou condenado outra vez por um apartamento que eu não tenho”, afirmou. “Se me condenaram, me deem pelo menos o apartamento. Já pedi pro Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar. Já que é meu, que ocupem.”

    Ele disse também que a decisão é contra o povo brasileiro. “Não quero que vocês fiquem preocupados com o Lula, mas com os 200 milhões de brasileiros que vivem de salário neste país. Tudo vai piorar quando aprovarem a reforma da Previdência.”

    No discurso, mencionou Tiradentes e Nelson Mandela. “O ser humano pode ser preso. Mandela ficou 27 anos presidente e continuou sua luta. Voltou e foi presidente.”

    Lula disse que só vai parar de lutar quando morrer. Também convocou a militância a seguir até a avenida Paulista. Os militantes devem seguir em marcha. (PAULO SALDAÑA/FolhaSP)

    Eduardo Anizelli/Folhapress
    Manifestantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, durante protesto a favor do ex-presidente Lula, na praça da República, em São Paulo
    Manifestantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, durante protesto a favor de Lula

 

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta