Flávio Dino – O crescimento dos crimes no Maranhão
Flavio Dino: análise sobre a crise carcerária do Maranhão.

Flávio Dino – O crescimento dos crimes no Maranhão

O CRESCIMENTO DOS CRIMES NO MARANHÃO

Flávio Dino –  Direto do Facebook


Em todas as TVs, jornais, revistas e sites do Brasil está retratado o crescimento da criminalidade no Maranhão. São decapitações, estupros, crianças queimadas vivas, assassinatos.

De onde vem essa “onda repentina” ? Quem está organizando essas quadrilhas ? São perguntas fundamentais diante de quadro tão grave.

EM PRIMEIRO LUGAR, é importante entender que não se trata de uma “onda repentina”. O fato de o Maranhão ter os piores indicadores sociais do Brasil cria as condições para o crescimento de toda espécie de crimes.

Além disso, nesse caso o exemplo vem “de cima”: a subtração cotidiana do dinheiro público pelos poderosos destrói qualquer cultura de respeito à legalidade que possa servir de barreira contra o engajamento de novos agentes no mundo do crime.

EM SEGUNDO LUGAR, vale ressaltar que é FALSA a ideia de que os crimes estão “restritos” ou “nascem” da Penitenciária de Pedrinhas.

Na verdade, os crimes estão nas ruas, acima de tudo. Basta ver o brutal aumento de homicídios em São Luís, ano a ano. Para citar o número mais recente, houve um salto de 635 assassinatos em São Luís no ano de 2012, para mais de 800 em 2013.

Flavio Dino: análise sobre a crise carcerária do Maranhão.

Ademais, todos sabem que o consumo de crack e outras drogas aumentou muito em todo o Maranhão. Ora, se aumentou o consumo, aumentou o tráfico, e esta é a principal causa do incremento da criminalidade.

A tomada das ruas pelas organizações criminosas só foi possível por conta do enfraquecimento das Polícias. TEMOS HOJE O MENOR NÚMERO DE POLICIAIS POR HABITANTE DO BRASIL. Essa deficiência se soma a uma crônica falta de equipamentos e negativa de direitos aos policiais e agentes penitenciários.

Esses são fatores que precisam ser enfrentados, com urgência. Para isso é imprescindível que o governo do Estado rompa essa postura de inércia, de desqualificação do Poder Judiciário e de propaganda vazia e desrespeitosa.

Um ótimo começo seria a constituição de um Gabinete de Crise, com a participação de todas as instituições do sistema de Segurança e de Justiça, juntamente com a sociedade civil (por exemplo: Judiciário, Ministério Público, OAB, SMDDH, Defensoria Pública, Polícias estaduais, Polícia Federal, Guarda Municipal, Forças Armadas).

Está claro que o governo do Estado, sozinho, não vai dar conta do problema. Logo, é necessário espírito democrático para articular novos atores para que passos reais sejam dados. Caso contrário, mais crimes bárbaros vão destruir famílias e desmoralizar ainda mais a imagem do Maranhão em âmbito nacional.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta