Flávio Dino institui por decreto programa ‘Maranhão Verde’ de recuperação do meio ambiente

Flávio Dino institui por decreto programa ‘Maranhão Verde’ de recuperação do meio ambiente

 

Além do governador Fláio Dino e do secretário de Meio Ambiente, Marcelo Coêlho, estiveram presentes à cerimônia de assinatura do decreto o secretário de Governo, Antônio Nunes, e o diretor-presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), Davi Telles. Foto: Gilson Teixeira/Secap

 

No Dia Mundial do Meio Ambiente, o governador Flávio Dino assinou o decreto que institui o programa de apoio à conservação e à recuperação ambiental, o ‘Maranhão Verde’. Executado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), a intenção é lançar um conjunto de ações estratégicas para preservação das matas ciliares e das nascentes do Rio Itapecuru, um dos maiores do Estado, além de medidas importantes de proteção ambientação.

O governador Flávio Dino destacou que há um compromisso da gestão do Governo do Estado com os princípios constitucionais inscritos no artigo 225 da Constituição Federal atinentes à proteção do meio ambiente, por isso a preocupação e implementar um programa como ‘Maranhão Verde’.

“O programa ocupa exatamente esse espaço de coerência entre o nosso discurso e a prática, porque é um conjunto de iniciativas que vão desde a educação ambiental até a previsão de bolsas para o engajamento de famílias na recuperação das matas ciliares, das margens dos rios, das nascentes, isso tudo compondo um conjunto de intervenções práticas, neste caso voltadas prioritariamente a preservação dos nossos rios. Vamos começar esse trabalho pela Bacia do Rio Itapecuru, no caso no âmbito do Parque Estadual do Mirador”, explicou o governador, informando que posteriormente chegará a outras regiões do estado: “mostrando que neste dia mundial do meio ambiente nós temos ações práticas, concretas para reafirmar essa visão de que desenvolvimento tem que ser sustentável, tem que ser para as atuais e as futuras gerações”.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Marcelo Coelho, explica que o Maranhão Verde terá como uma das ações a abertura de edital para seleção de famílias que deverão, a partir do recebimento da Bolsa Maranhão Verde, realizar ações de conservação e recuperação nas áreas do projeto, tais como plantio de mudas nativas, isolamento da área para proporcionar a regeneração natural e enriquecimento de áreas utilizando a técnica da ‘nucleação’.

“Aprovado pela Assembleia Legislativa do Maranhão, o programa agora se torna lei, com decreto assinado pelo governador, que dá todo o delineamento em que nós vamos fazer o trabalho de recuperação das matas ciliares e das nascentes do Rio Itapecuru, no Parque do Mirador. Faremos o levantamento do número de pessoas que serão beneficiadas, cada uma dessas famílias, deverão receber R$ 300, como um incentivo, por cuidarem e fazer as mudas”, explica o secretário.

Além do governador e do secretário de Meio Ambiente, estiveram presentes à cerimônia de assinatura do decreto o secretário de Governo, Antônio Nunes, e o diretor-presidente da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), Davi Telles.

Maranhão Verde é formado por ações estratégicas de preservação das matas ciliares e nascentes do Rio Itapecuru, além de medidas importantes de proteção ambientação. Foto: Gilson Teixeira/Secap

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta