Flávio Dino cogita mesmo ser candidato a presidente da República em 2022

Flávio Dino cogita mesmo ser candidato a presidente da República em 2022

Depois de ser alçado como adversário político do presidente Jair Bolsonaro, o governador do Maranhão, Flávio Dino, admite que está em seus planos ser candidato a presidente da República, em 2022, segundo declarou ao Valor Econômico.

Dino disse que não faria esse “discurso hipócrita” se essa possibilidade não existisse. Declara que, ao chamá-lo, pejorativamente de um dos governadores “de paraíba”, Bolsonaro lançou seu nome na disputa e deu um rosto à oposição a seu governo.

Diz, textualmente: “O Bolsonaro já fez esse lançamento, mas é sem dúvida um lançamento precoce. O que existe é uma possibilidade. mas, como tal, ou seja, como uma possibilidade. Não é um determinismo, uma decisão, uma deliberação, não é um desígnio. É apenas uma possibilidade”, prognosticou.

Ser presidente da República, para o governador do Maranhão não é um projeto, é um destino: “Quem imaginou que Bolsonaro iria ser presidente? Ninguém, mas ele é. Depende mais de valores exógenos, externos, do que propriamente de um desejo”.

Para Dino, há um longo caminho a ser percorrido até 20122, já que o principal representante da esquerda, o ex-presidente Lula, não pode ser candidato, e, assim, a esquerda tem que se reorganizar. Em seguida, Dino nega que esteja pensando em deixar o PCdoB, perlo fato de ter conversado recentemente com a cúpula do PSB. Diz ter orgulho de pertencer ao partido mais antigo do Brasil e que qualquer posição a tomar tem que ser de acordo com a Partido Comunista.

Culpa de Bolsonaro: Dino, de “paraíba” a virtual candidato a presidente

Para ele, as novas regras eleitorais, que estabelecem o fim das coligações e cláusula de barreira, vão fazer com que o sistema eleitoral brasileiro seja redesenhado. Para isso, ele defende a tese da federação partidária em que vários partidos se uniriam numa frente para disputar eleições majoritárias.

Nesse caso, ele pode participar desse rearranjo partidário, desde o PCdoB, como partido, esteja de acordo.

Com informações: Isadora Peron/Valor

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta