Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

Filha de Garrincha diz que poderá pedir indenização por sumiço de ossada do pai

 

Rosângela Cunha dos Santos , uma das filhas de Garrincha , observa uma das sepulturas onde consta o nome de seu pai no Cemitério de Raiz da Serra
Rosângela Cunha dos Santos , uma das filhas de Garrincha , observa uma das sepulturas onde consta o nome de seu pai no Cemitério de Raiz da Serra Foto: Fabiano Rocha / Fabiano Rocha/Agência O Globo 

 

A Polícia Civil confirmou para a próxima segunda-feira os depoimentos de três pessoas que serão ouvidas no inquérito que apura se a sepultura de Manuel Francisco dos Santos, o Mané Garrincha, foi ou não violada. Na última quarta-feira, o Cemitério de Raiz da Serra, onde o craque foi sepultado em 1983, e a Prefeitura de Magé admitiram não saber onde estão os restos mortais do ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira.

Serão ouvidos Rosângela Cunha dos Santos, filha de Garrincha que também confirmou o sumiço da ossada, uma administradora do cemitério e um sobrinho de Mané Garrincha. Este último é o dono da sepultura coletiva onde o ex-jogador foi enterrado originalmente.

 

Na foto, Rosângela observa a sepultura onde garrincha foi enterrado, em 1983.
Na foto, Rosângela observa a sepultura onde garrincha foi enterrado, em 1983. Foto: Fabiano Rocha / Fabiano Rocha/Agência O Globo 

 No entanto, no mesmo cemitério existe outra sepultura onde consta o nome do craque. Ela fica localizada na parte superior do terreno, onde existe um obelisco, e foi construída em 1985. Um levantamento feito pela Prefeitura de Magé revelou que uma exumação teria sido feita há alguns anos. Não há documento que comprove a realização do procedimento nem para onde a ossada foi transferida.

Lívia de Oliveira dos Santos, de 36 anos, última filha de Garrincha, classificou como um desrespeito, nesta sexta-feira, o que aconteceu com a ossada do seu pai. Ela disse que se isso for comprovado pela polícia irá pedir uma indenização.

— Se sumiram com os restos mortais do maior jogador do mundo, eu vou pedir uma indenização por isso. Sou a favor que a família autorize a Prefeitura de Magé a fazer a exumação das sepulturas para gente saber o que aconteceu de fato — disse, acrescentando que tem conversado sobre a exumação com Luiz Marques, neto de Garrincha.

.

A sepultura onde garrincha foi enterrado está em péssimo estado de conservação.
A sepultura onde garrincha foi enterrado está em péssimo estado de conservação. Foto: Domingos Peixoto/Agência O Globo

 

Mãe de Lívia, Vanderléia Oliveira Vieira, de 68 anos, conviveu com Garrincha por sete anos. Ela lembrou dos últimos momentos que passou em companhia do ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira. Ela pediu punição para os culpados pelo sumiço da ossada de Mané Garrincha:

— Sumir com a ossada do maior jogador do mundo é uma coisa séria. Alguém tem que ser punido por isso. Garrincha era uma pessoa boa e humilde. Quando morou comigo já era um acoólatra. Vi o sofrimento dele de perto.

O neto de Garrincha confirmou que uma reunião de família será feita, na próxima quarta-feira, em Magé, para decidir se a prefeitura da cidade receberá ou não autorização para fazer a exumação. Caso ocorra concordância da família de Garrincha, o prefeito Rafael Tubarão providenciará exames de DNA para confirmar se a ossada do ex-jogador é uma das que estão enterradas nas duas sepulturas.

 

Na foto, Garrincha jogando pelo Botafogo, em 1957.
Na foto, Garrincha jogando pelo Botafogo, em 1957. Foto: Manoel Soares / Manoel Soares/Agência O Globo

 

Caso a polícia confirme que a ossada desapareceu, ficará comprovado que houve crime de violação de sepultura. O delito prevê uma pena, em caso de condenação para os culpados, de um a três anos de prisão.

Agência Globo

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta