EUA: Maya Angelou receberá prêmio honorário de literatura

EUA: Maya Angelou receberá prêmio honorário de literatura

A poeta e autora de “Eu sei por que  canta o  pássaro engaiolado”  é a ganhadora do Prêmio Honorário Nacional de  Literatura  por suas contribuições para a comunidade literária, anunciou ontem, 5, a Fundação Nacional do Livro dos Estados Unidos.

É o primeiro grande prêmio literário da escritora de 85 anos  que, dentre outras  honrarias,  incluem três prêmios  “Grammy”  de melhor álbum falado,  uma Medalha do Museu  Nacional das Artes e  a Medalha Presidencial da Liberdade.

“O trabalho da Dra. Angelou transcende as palavras na página”, disse em um comunicado o diretor executivo da fundação,  Harold Augenbraum. “Ela tem estado na vanguarda da história e da luta pela justiça social e,  década após década, continua a ser um símbolo do poder redentor da literatura no mundo contemporâneo.”

E. L. Doctorow, um nome familiar entre os jurados do prêmio, vai receber uma medalha de honra por suas “contribuições para as letras americanas”.

Doctorow, 82, ganhou o National Book Award em 1986 na Feira Mundial e foi finalista em outras três ocasiões. É mais conhecida pelo romance Ragtime histórico, que foi adaptado em um filme e num musical da Broadway.

“Doctorow é um mestre da ficção histórica que narrou eventos passados de pessoas em todo o mundo de uma forma extraordinária. Também é uma oportunidade especial para homenagear um nativo de Nova York, em sua cidade natal”, disse Augenbraum.

“Qualquer grande  prêmio como esse  da Fundação Nacional do Livro tem que ser gratificante”,  escreveu ela em um email, acrescentando que acredita que os prêmios literários não só beneficiam os escritores. “Eles têm um valor incomum. Afirmam a continuidade da nossa cultura literária.”

Entre os vencedores anteriores da mesma honraria  atribuída a Doctorow estão  Philip Roth, Arthur Miller e Elmore Leonard. Dave Eggers, Lawrence Ferlinghetti e Terry Gross recebersm  o Prêmio Literário.

Já Angelou, além de ter sido uma dançarina, atriz, diretora, cantora e ativista, fez contribuições históricas para a leitura escrita. O pássaro engaiolado está entre as memórias de  leitura e contribuiu para o ensino da  literatura  nos últimos 50 anos. O livro documenta a ascensão de uma cidade rural do sul, saindo da  segregação para a fama internacional. Seu   “On the Pulse of Morning”, que recitou, em 1993, durante a primeira posse do presidente Bill Clinton, rapidamente vendeu centenas de milhares de cópias. (http://www.vanguardia.com)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Euclides

    Angelous é uma das mulheres mais fantásticas de que se tem notícia no mundo das artes. Conheço essa obra, e ela merece a honraria.

Deixe uma resposta