Tratamento de esgoto pode despoluir parte das praias da Avenida Litorânea de SL
Parte das praias litorãneas de São Luís vai ter proteção ambiental

Tratamento de esgoto pode despoluir parte das praias da Avenida Litorânea de SL

Assinada nesta segunda-feira (14) a ordem de serviço para construção de uma estação de tratamento do esgoto específica para a região da avenida litorânea. É o primeiro passo para a despoluição do Rio Calhau, um dos maiores poluidores das praias de São Luís.

Do total de R$ 30 milhões, cerca de R$ 10 milhões foram liberados pelo Ministério do Turismo para a primeira etapa das obras. “Eu creio que vai melhorar e muito as condições atuais aqui em São Luís, mas são preciso medidas preventivas, educacionais”, ressaltou o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

As praias da Avenida Litorânea recebem diariamente, por meio dos rios, uma poluição in natura de esgoto das casas de mais de 120 mil pessoas, que moram mais próximas da região. Os especialistas afirmam que para despoluir totamente as praias é preciso muito mais do que tratar apenas os esgotos.

Parte das praias litorãneas de São Luís vai ter proteção ambiental

é assim que os dejetos chegam às praias litorâneas – in natura

Da praia mesmo, é possível ver que a água suja não para de escorrer para dentro do mar. A poluição é visível até na extensão de areia, cheia de limo. Mesmo assim, as praias mais frequentadas da capital estão consideradas próprias para o banho. Foi o que apontou o último laudo divulgado semana passada pela Secretaria de Meio Ambiente.

As estações que deveriam tratar os esgotos antes de serem despejados no mar, não funcionam como deveriam. A do bacanga só trata 5% da sua capacidade, e a do Jaracati menos de 50%. Segundo a Caema, o problema está na coleta, que não chega a todas as casas.

De acordo com a Caema, já há um projeto  para a construção de um sistema de tratamento de esgoto no Turu e outro no Geniparana. E obras que já estão em execução para tratar o esgoto de uma maior parcela da população. Uma estação no Anil e outra no Vinhais.

Segundo a Secretaria de Saúde, órgão do Estado que gerencia a Caema,  estão previstas outras etapas das obras para ampliar a coleta de esgoto em toda a cidade. “Estamos preparando um projeto para atingir a área do Turu, subindo o Olho d’água, mais 20% da cidade. Esse é um projeto para quatro, cinco anos, ainda não financiado”, afirmou o secretário-adjunto da Secretaria de Saúde do Estado. (Imirante)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta