“Escolha é de conveniência”, diz deputado Arnaldo Melo sobre vaga do TCE.
Arnaldo fala de "conveniências políticas ou técnicas" para o parlamento que dirige

“Escolha é de conveniência”, diz deputado Arnaldo Melo sobre vaga do TCE.

Blog da Sílvia Teresa

O clima esquentou, nesta quarta-feira (27), depois que o deputado Bira do Pindaré (PSB) foi para a tribuna questionar o processo para a eleição do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA). O presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Mello (PMDB), não gostou nem um pouco das provocações e disse que a prerrogativa de escolher o novo membro é da Casa que decidirá pelo que for mais conveniente, tanto no campo político, quanto no aspecto técnico.

“Nós temos que eleger um conselheiro para o TCE. Então colocaremos quem nos parecer mais conveniente, tanto no campo técnico quanto no campo político, porque essa Casa aqui é uma Casa política”, disparou o presidente da Assembleia Legislativa ao responder à pergunta desta editora sobre denúncia feita por Bira dando conta de suposta manobra, usando o TCE para forçar uma eleição indireta ao governo do Estado.

Quanto à questão da possibilidade de uma eleição indireta para governador do Estado na Assembleia Legislativa, o deputado disse que a Casa sempre respeitará a Constituição, mas que essa discussão ainda é precoce porque a governadora Roseana Sarney ficará no cargo até o dia que ela quiser. “Não tenho intimidade com ela para tratar desses assuntos”, afirmou.

Sobre a denúncia de Bira do Pindaré 

Arnaldo fala de “conveniências políticas ou técnicas” para o parlamento que dirige

Durante a entrevista com vários profissionais da Imprensa que cobrem o parlamento, Arnaldo Mello disse que Bira do Pindaré não pode responsabilizar ninguém fora da Assembleia Legislativa sobre a eleição do novo conselheiro.

“O direito de indicar para a vaga aberta é da Assembleia Legislativa. Quem ouve o Bira falar acha que essa Casa não é legítima para escolher o conselheiro. O TCE é nosso órgão auxiliar. Criamos ele para analisar contas”, frisou o presidente da Assembleia.

Arnaldo Mello afirmou que a Assembleia “não pode ser manobrada e nem acionada por conta da eleição de de conselheiro, porque a Casa tem autonomia para isso e para criar ou extinguir tribunal”.

O presidente disse que a discussão sobre a vaga para o TCE tomou rumo inesperado com agressões de todo lado e discurso frontal, segundo ele, desnecessários.

– See more at: http://blogdasilviatereza.com/elegeremos-quem-nos-parecer-mais-conveniente-diz-arnaldo-mello-sobre-novo-conselheiro-do-tce/#sthash.MozFV6k5.dpuf

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Diego

    Votar em algum deputado é uma tarefa que pode parecer simples, bastando digitar o numero de algum candidato na urna, mas que se for levar em conta propostas, partido, e principalmente o passado do candidato, se torna uma missão quase impossível.
    http://migre.me/hlIVE

Deixe uma resposta