Em uma só luta, Paig VanZant, musa jovem do UFC,  quebra recorde do número de golpes
Aos 21 anos, americana atinge adversária 199 vezes em vitória no último sábado

Em uma só luta, Paig VanZant, musa jovem do UFC, quebra recorde do número de golpes


Paige VanZant, 21 anos, gosta de mostrar, fora do octógono, os atributos físicos que fazem dela uma das musas do MMA atualmente. Em sua conta no Instagram são comuns as fotos de shortinho e biquíni, e ela já deu declarações em que diz não ver qualquer problema em trabalhar o lado sensual de sua imagem. Segunda lutadora mais jovem da história da organização (terceira no geral, se incluídos também os homens na comparação), a americana nascida no estado de Nevada e que luta por Sacramento, na Califórnia, porém, não é só “um rostinho bonito”. No sábado passado, durante o UFC Machida x Rockhold, em Newark, ela quebrou um recorde no peso-palha, ao aplicar 199 golpes contra Felice Herrig, derrotada por decisão unânime dos juízes. Nunca na categoria alguém batera tantas vezes numa só luta, de acordo com informações oficiais do site do UFC no Brasil.

– Eu era o azarão. É uma grande vitória para mim. E daqui para frente, é só para cima – disse a lutadora, após festejar muito o resultado.

VanZant derrotou Herrig, bem mais experiente, de 30 anos, com incrível autoridade. Dominou os três rounds, mostrou ferocidade, partindo sempre para o ataque, e mostrou-se mais eficiente em pé e no chão. A superioridade foi tanta que no terceiro round dois dos três juízes atribuíram a ela a vantagem de 10 a 8, consequência de um verdadeiro massacre a que submeteu a rival. VanZant tem agora seis lutas no MMA e cinco vitórias, com uma derrota. No UFC está invicta nos dois combates que realizou. Na estreia na organização, em novembro do ano passado, nocauteou Kailin Curran e ganhou o prêmio de luta da noite.

– Ela tem somente 21 anos, não é muito experiente, mas é muito aguerrida. Ela luta de verdade. Olha o que ela fez com a Ferrice, que é uma veterana. Ela tem algo que me lembra o Conor McGregor. Ela aparece do nada, explode e rouba a cena. A VanZant fez isso hoje, foi inacreditável. Ela tem aquela coisa especial, que ninguém é capaz de ensinar – elogiou o presidente do UFC, Dana White.

RASPA OU NÃO RASPA O CABELO

Paige VanZant impõe castigo à adversária no chão em sua 2ª luta no UFC: aos 21 anos, possível estrela da organização no futuro – Alex Trautwig / AFP

Antes da luta de sábado passado, Paige VanZant tinha dito que estava disposta a raspar a cabeça em apoio a crianças com câncer. Tão boa de mídia quanto de luta, a atleta, que valoriza sua imagem de bela do MMA, pode levar a decisão sobre seu visual para as redes sociais. Um jeito de fazer o bem e também de promover o esporte e ela mesma.

– Eu realmente quero fazer algo para a caridade. A minha família tem um histórico de pessoas com câncer e eu sei como é perder alguém para essa doença, por isso quero fazer algo para ajudar. Vou iniciar uma campanha e levantar doações. As pessoas podem fazer doações para eu raspar a cabeça ou para eu não raspar. A opção que tiver mais adeptos é a que eu vou seguir. Eu estou muito feliz de ser tão abençoada e quero fazer algo em retorno para essas pessoas – disse, em entrevista ao Combate.

O peso-palha, ao qual pertence VanZant, tem como campeã a polonesa de nome complicado Joanna Jedrzejczyk. A categoria é recente no UFC. Joanna ganhou o cinturão em março, ao nocautear Carla Esparza aos 4m17s do segundo round, no UFC 185, em Las Vegas. Dana White não informou qual será o próximo passo de VanZant na organização. Mas disse confiar que ela ainda brilhe muito.

– O problema é que ela é muito nova, tem só seis lutas como profissional de MMA. Provavelmente ficará no top 10. Agora ela está na disputa. Ela se colocou de uma vez por todas na zona de perigo. – afirmou.

Paige VanZant estica a perna esquerda em golpe contra Felice Herrig, que reage chutando embaixo – Alex Trautwig / AFP

Fonte: O GLOBO (por Luiz Filipe Barbosa)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Perdulário

    Quero lutar com ela, não me importo perder. Kkkk

Deixe uma resposta