Em dura crítica, papa Francisco diz que aquele que pratica a corrupção, “fede”

Em dura crítica, papa Francisco diz que aquele que pratica a corrupção, “fede”

Em visita ao sul da Itália, Francisco disse que ‘um cristão que deixa a corrupção entrar em si, não é cristão, fede’

 Em visita pastoral a Nápoles, o papa Francisco fez uma dura crítica neste sábado (21) à máfia e à corrupção, pedindo para os moradores locais reagirem à presença da Camorra, que atua na região sul do país. “A corrupção fede e a sociedade corrupta fede. Um cristão que deixa a corrupção entrar em si, não é cristão, fede”, afirmou o papa, logo ao chegar ao bairro de Scampia, pela manhã.

 “Nenhum de nós pode dizer ‘nunca serei corrupto’. É uma tentação, um escorregão em direção ao dinheiro fácil, à delinquência, à corrupção. Há tanta corrupção no mundo!”, acrescentou.

 Scampia é um bairro periférico do norte de Nápoles e tradicionalmente ligado à Camorra, organização mafiosa que atua na venda de drogas e de comércio ilegal. Em seguida, ao celebrar uma missa para cerca de 60 mil pessoas na Praça do Plebiscito, um dos pontos mais famosos de Nápoles, o papa pediu que a população reaja e que os mafiosos se convertam a Deus.

 “Caros napolitanos, não deixem que roubem suas esperanças. Não cedam à tentação de dinheiro fácil. Reajam com firmeza às organizações que se aproveitam e corrompem os jovens, os pobres, os necessitados, com o cínico comércio da droga e com outros crimes. Não deixem que a juventude seja aproveitada por essa gente”, criticou Francisco.

 “Aos criminosos e todos seus cúmplices, eu peço humildemente hoje, como irmão: convirtam-se ao amor e à justiça, deixem se encontrar pela misericórdia de Deus. Sejam conscientes de que Jesus está procurando vocês para amá-los cada vez mais”, disse.

 Durante sua visita à Nápoles, o líder da Igreja Católica também ouviu relatos de uma imigrantes filipina e de um italiano desempregado, representando dois outros problemas que atingem o sul da Itália: imigração e desemprego.

 Os imigrantes são como nós. Somos todos migrantes e filhos de Deus. Estamos todos no mesmo caminho. Se fecharmos as portas aos imigrantes, se tirarmos o trabalho e a dignidade deles, isso é corrupção”, afirmou Francisco.

 Esta é a sétima viagem pastoral de Francisco a cidades italianas, em mais uma demonstração da preocupação do papa com as regiões sul do país, historicamente as que apresentam mais problemas econômicos e de marginalização.

 Em Pompeia, Francisco visitou o Santuário da cidade para rezar pela Virgem do Rosário. Em seguida, visitou o bairro de Scampia e se reuniu com a população local. Na Praça do Plebiscito, Francisco presidiu a celebração eucarística antes de visitar a penitenciária Giuseppe Salvia e almoçar com detentos. Ele se sentou à mesa com 12 presidiários, entre eles um argentino. Ao todo, 120 detentos participaram do almoço, alguns deles transexuais.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta