Em 1 ano, novos contratos do FIES cairam em quase 50 por cento, diz o próprio MEC

Em 1 ano, novos contratos do FIES cairam em quase 50 por cento, diz o próprio MEC

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) sofreu uma redução de quase 50% na quantidade de novos contratos firmados entre o primeiro semestre de 2014 e o primeiro semestre de 2015. Segundo o levantamento final da plataforma do Fies, divulgado pelo Ministério da Educação na tarde desta segunda-feira (4), a queda foi de 480 mil no ano passado, para 252 mil neste ano, o equivalente a 47,5%. O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que esses 252 mil contratos consumiram toda a verba do Fies para novos financiamentos em 2015, equivalentes a R$ 2,5 bilhões. Por isso, uma segunda edição do programa, no segundo semestre, ainda não está garantida.

“Depende da disponibilidade orçamentária”, disse ele, em entrevista coletiva em Brasília, quando questionado sobre a possibilidade. “Estamos trabalhando nisso, mas não podemos prometer algo que não temos certeza.”

Caso o MEC não abra uma nova edição do programa, o número de novos contratos do Fies em 2015 seria 65,6% menor que o total de novos financiamentos abertos em 2014 (cerca de 731 mil, segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, FDNE). Trata-se do número mais baixo dos últimos quatro anos.

Neste primeiro semestre, a demanda por novos contratos do Fies avançou um pouco em relação ao do ano passado. Secretário-executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, cerca de 500 mil estudantes buscaram o programa para tentar financiar um curso de ensino superior, mas por volta de metade deles acabaram ficando de fora.

Fies na Justiça
Segundo reportagem do Jornal Nacional, o MEC foi notificado por volta das 19h desta segunda-feira (4) sobre a decisão da Justiça Federal de Mato Grosso que determinou a reabertura do Fies para novos contratos, por tempo indeterminado (assista na reportagem abaixo). Na tarde desta segunda, porém, o ministro da Educação já havia informado que o ministério recorreria “imediatamente” da decisão.

“Entendemos que, não havendo mais recursos, a reabertura do sistema seria meio inútil”, disse Janine.

Segundo o secretário-executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa, os recursos do Fies são limitados, mas que, “mesmo em ano de ajuste fiscal” o governo tem compromisso com a educação.

“Na próxima edição, queremos que todos saibam quantas vagas serão. Ele vai saber que o curso X na instituição X tem tantas vagas. Ele vai concorrer de forma transparente pela sua nota do Enem”, explicou Costa.

FONTE: G1

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta