Domingos Dutra: história de defesa intransigente da unidade das oposições no Maranhão
Domingos Dutra: oposicionista ferrenho, democrata convicto

Domingos Dutra: história de defesa intransigente da unidade das oposições no Maranhão

Domingos Dutra: oposicionista ferrenho, democrata convicto

Em solenidade na Câmara de Tuntum, sempre pugnando pela unidade no campo democrático

Se dependesse dele, as oposições do Maranhão jamais se dividiriam. Foi este o tom  do discurso do deputado federal  Domingos Dutra (Solidariedade), quinta-feira (13), quando  os partidos de oposição promoveram uma reunião, num hotel da avenida Litorânea, em São Luís, para bater o martelo sobre a pré-candidatura do vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB) à única vaga em disputa para Senador da República pelo Maranhão.

A reunião contou com a presença do presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), pré-candidato das oposições ao  Governo do Estado, cujo discurso também se pautou pela unidade das forças democráticas no Maranhão, além de lideranças de sete partidos considerados de atuação  no chamado  “campo democrático e popular”.

Desde o ano passado, Dutra vinha pregando sua pré-candidatura a senador, e teve seu nome incluído em várias pesquisas de opinião realizadas em solo maranhense. Sempre pontuando bem nos percentuais de intenção de votos e com baixos índices de rejeição. Mas o “mago véio”, como é chamado pelos mais chegados, entende que, mais uma vez, tem que dar sua parcela de contribuição para “livrar o Maranhão da oligarquia Sarney”. E, para isso, só enxerga uma saída: a união de todos que se opõem à situação atual.

Dutra lembrou que, lutando para tirar o Maranhão das garras da família Sarney, já até renunciou a um mandato de deputado federal para ajudar na vitória do saudoso Jackson Lago, o candidato das oposições a prefeito de São Luís, em 1996:

– “Depois que o ex-governador  José Reinaldo Tavares  também já renunciou à postulação ao Senado, não seria eu quem iria atrapalhar a caminhada do companheiro Roberto Rocha, que tem tudo para ser o novo senador do Maranhão. Em 2018, quando haverá duas vagas em disputa, quem sabe, colocarei novamente o meu nome à apreciação dos aliados e do povo maranhense”, vislumbrou.

BIOGAFIA

Domingos Francisco Dutra Filho, mais conhecido como Domingos Dutra (Buriti20 de março de 1956), é formado em Direito pela Universidade Federal do Maranhão.  Foi filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) de 1980 a 2013,  quando se filiou-se ao SDD-Solidariedade. Presidiu o diretório do PT em São Luís e no Maranhão.

Disputou a eleição para vereador de São Luís em 1988, obtendo a suplência. Em 1990, elegeu-se deputado estadual e em 1994deputado federal. Compôs como vice-prefeito de Jackson Lago, de quem sempre foi aliado, a chapa vencedora na eleição municipal de São Luís em 1996, para o que precisou renunciar ao mandato de deputado federal em 31 de dezembro de 1995.

Elegeu-se novamente deputado estadual em 2002 (assumindo em 1º de fevereiro de 2003) e 2006 (assumindo em 1º de fevereiro de 2007) para deputado federal e se reelegeu para o cargo na câmara federal em 2010. É notória a sua posição política de oposição à família Sarney, a quem acusa de massacrar o povo do estado do Maranhão, de iludir a população pelo uso abusivo dos meios de comunicação e de estar constantemente envolvida em desvios de verbas e corrupção.

Domingos Dutra publicou um livro intitulado O Camaleão, que trata dos escândalos da família Sarney e da cassação, segundo ele forjada, do governador Jackson Lago, em 2009.

Parlamentar dedicado e sempre presente às discussões travadas na Câmara Federal, atualmente Domingos Dutra se destaca como titular da  Comissão  de Direitos Humanos e Minorias da Casa. Sua luta pela melhoria das condições de humanidade nos presídios brasileiros – onde tramita projeto-de-lei de sua autoria para regulamentar o assunto –  tem lhe rendido muitas críticas. Mas ele não se abala e segue em frente com a sua pregação.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 5 comentários

  1. Vânia Castro

    Sempre admirei a postura do Deputado Domingos Dutra, principalmente quando ele diz que ” enquanto ele tiver carne na língua ele fala é mesmo e defende as causas que ele acha importantes”, tive a oportunidade de conhece-lo de perto durante a campanha para prefeito de São Luis do Dr Jackson Lago em 1996.

  2. Taís

    Bonita homenagem ao meu conterrâneo de Buriti, Domingos Dutra. É um lutador, um libertário.

  3. Márcio Braga

    Dutra viu que não tinha cacife (financeiro) para uma campanha de senador, embora tenha muitos votos. Ele não pode ficar sem mandato, seria um grande prejuízo para a luta dele contra, como ele mesmo diz, a oligarquia Sarney.

  4. Marcio

    Falta ao Dutra cacife financeiro para uma disputa de senador. Melhor que não fique sem mandato. Sua missão de combater o que ele chama de oligarquia maranhense é muito mais importante para o Estado.

  5. Cauê

    Valeu mago véi. Tu não é empata-f… Dá a vez para quem tem bala e voto, tu só tem voto, mais ainda não dá para o senado; aguarda na fila.

Deixe uma resposta