Dilma contraditória! Dois pontos percentuais  para cima; dois tombos econômicos para baixo

Dilma contraditória! Dois pontos percentuais para cima; dois tombos econômicos para baixo

Um dia depois da divulgação de que a presidente Dilma Rousseff (PT) subiu dois pontos percentuais de intenções de voto na pesquisa do Datafolha concluída no finalzinho de novembro, seu governo pegou dois tombos, na parte em que a petista é mais fraca como governante – a economia.

O noticiário  anunciou ontem (2),  que as ações da Petrobrás tiveram  o maior tombo diário na Bolsa de Valores, desde 2008, e a balança comercial teve o maior déficit em 13 anos  – desde 2000,  com perda de US$ 519 milhões de janeiro a novembro deste ano, o pior valor para este período, segundo números divulgados nesta segunda-feira (2) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Nos onze primeiros meses deste ano, as exportações somaram US$ 221,33 bilhões, com média diária de US$ 954 milhões e queda de 1,2% frente a igual período do ano passado, ao mesmo tempo que as importações totalizaram US$ 221,42 bilhões – com média de US$ 954,4 milhões por dia útil e alta de 7,1% sobre igual período de 2012.

Combustíveis

Engraçado como é o Brasil. Apesar do reajuste da gasolina e do diesel anunciado na última sexta-feira – num país em que os derivados de petróleo são um dos mais caros do mundo -, o mercado reagiu, negativamente,  porque o governo não soube dar detalhes de como será a política de reajustes daqui para frente.

Os papéis mais negociados da Petrobras fecharam ontem  em queda de 9,21%, a R$ 17,36, enquanto os ordinários (menos negociados, com direito a voto) registraram desvalorização de 10,37%, a R$ 16,42. Foi a maior perda diária de ambos os papéis desde 12 de novembro de 2008, quando caíram mais de 13% cada.

Na última sexta-feira (29), a Petrobras aprovou uma nova política de preços que começou com um aumento de 4% para gasolina e 8% para o diesel, nas refinarias. Nos postos, o aumento da gasolina ficou perto de 2%. Para o diesel, de 5%.

Não contem com  esses percentuais aqui para o Maranhão. Com certeza a ganância dos donos de postos de combustíveis os tornará  bem maiores.

A Petrobras explicou em nota que os critérios de reajuste não serão divulgados, mas disse que o modelo irá garantir a “convergência dos preços internacionais dos combustíveis ao mercado doméstico”. Mas nem  isso não convenceu o mercado, que acha que a estatal vai continuar acumulando prejuízos consideráveis, tornando-se deficitária, daí a queda de suas ações.

O pior para o governo de Dilma  é que esse reajuste dos combustíveis, mesmo pequeno  para quem aplica na Bolsa,   ainda pode ter  impacto sobre a inflação oficial do país. O mercado espera que o IPCA, medida oficial da inflação, termine 2013 perto de 6% – acima do centro da meta do governo, de 4,5%, mas ainda dentro da margem de dois pontos percentuais considerada aceitável.

Dilma: dois pontos para frente; dois passos para trás…

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta