Dicas de como evitar sete erros que podem anular a redação do Enem
Redação e as dicas que podem levar o participante a lograr aprovação

Dicas de como evitar sete erros que podem anular a redação do Enem

Redação e as dicas que podem levar o participante a lograr aprovação

Por  Andrea Ramal

Se você vai fazer o Enem este ano, fique especialmente atento à redação: a importância dessa prova ficou ainda maior. Por exemplo, no Fies, a prioridade será dada aos candidatos com melhor desempenho no Enem e a redaçao será o critério decisivo em caso de empate.

No ano passado,  só 250 pessoas tiraram nota 1.000  na redação do Enem, mas mais de meio milhão de pessoas tiraram nota zero. Por isso, é bom ter em conta tudo o que pode prejudicar na hora da avaliação. O candidato perderá muitos pontos, ou terá até mesmo a redação anulada, se fizer coisas como: Fugir do tema, Escrever um texto com número de linhas insuficiente, Demonstrar desconhecimento da modalidade escrita formal da língua portuguesa, Inserir palavrões, desenhos ou deboches, Mandar recados ao avaliador, Usar outro estilo literário, como narração ou poesia ou Desrespeitar os direitos humanos.

1. Fugir ao tema. Não comece a escrever antes de ter certeza se compreendeu o enfoque proposto. Para isso, valha-se dos textos de apoio. Eles inspiram a reflexão sobre a questão a ser discutida e ajudam a definir o foco com precisão.

2. Escrever um texto com número de linhas insuficiente. Calcule bem o tempo, faça um rascunho e, antes de passar a limpo, verifique se o tamanho do texto está adequado: o Inep diz que todas a redações com menos de oito linhas serão anuladas por configurarem “texto insuficiente”. O título da redação não é obrigatório, e não conta como uma das linhas do texto.

3. Demonstrar desconhecimento da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Não use elementos típicos da linguagem oral, como “né”, “tá”, gírias ou termos da internet, como abreviaturas ouemoticons, e fique atento aos desvios gramaticais.

4. Inserir palavrões, desenhos ou deboches. Nunca use impropérios nem coloque qualquer texto alheio ao tema da prova. Jamais deboche do tema, da prova ou do avaliador.

5. Mandar recados ao avaliador. Bilhetinhos como “leia com carinho”, “coloque-se no meu lugar” ou desenhos em forma de coração ou beijos, longe de despertar simpatia, são considerados faltas graves.

6. Usar outro estilo literário, como narração ou poesia. O texto do Enem deve seguir o estilo dissertativo-argumentativo. Assim, você deve escrever sobre um determinado problema tendo em mente uma tese a defender, expor argumentos consistentes – com exemplos, referências a autores, números que comprovem o que você diz – e apresentar uma proposta de intervenção social para resolver a questão. Por mais criativo que possa ser, se você fizer um diálogo, uma poesia ou um conto, por exemplo, seu texto não será considerado válido.

7. Desrespeitar os direitos humanos. O Enem não pretende avaliar apenas as suas competências nas diversas áreas do conhecimento. Ele também verifica se você tem uma postura cidadã ética e consciente. A redação é o único espaço da prova em que é possível apresentar – ainda que de forma muito genérica – a sua visão de mundo, seus princípios e valores. Portanto, ao criar propostas de intervenção social, não inclua nada que possa ferir, excluir ou desrespeitar outras pessoas.

FONTE: G1

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta