Dia 15, São Luís vai realizar ato simbólico pedindo paz, no centro da cidade

Dia 15, São Luís vai realizar ato simbólico pedindo paz, no centro da cidade

BLOG DO JOHN CUTRIM

Um grupo de amigos, reunidos, e incomodados com a situação de insegurança em São Luís, decidiu realizar um ato simbólico promovendo a PAZ, pedindo a PAZ no Maranhão. A passeata ocorrerá no dia 15 de janeiro (quarta-feira), às 14h, no Centro da capital maranhense (concentração na Deodoro, em frente a Biblioteca Pública).

Movidos pela tristeza causada pela tragédia do último dia 03 na capital maranhense, quando ônibus foram incendiados e delegacias atacadas por facções criminosas, vitimando adultos e crianças, e fatalmente a pequena Ana Clara de 6 anos, idealizou-se uma pequena passeata em silêncio, onde todos estarão vestindo completamente o branco da paz, carregando flores.

O percurso do ato, apartidário, terá saída da praça Deodoro e irá até a praça Maria Aragão, onde serão soltados balões brancos e realizada uma oração pedindo paz com a presença de um pastor e um padre.

No final, será promovida uma cantata pela paz, com artistas da terra que se juntaram à causa. São eles, já confirmados: Betto Pereira, Natalia Coelho, Tutuca Viana, Milla Camões, Sérgio Habibe, Nosly Jr. e outros que ainda confirmarão.

A presença de todos é importante, vestindo a paz, carregando a paz para o ato simbólico.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta