De novo! Raio atinge embarcação na costa de São Luís e deixa mais duas pessoas feridas

De novo! Raio atinge embarcação na costa de São Luís e deixa mais duas pessoas feridas

MARANHENSES FIQUEM ALERTA! EM 15 DIAS, SEIS PESSOAS MORRERAM  E VÁRIAS FICARAM FERIDAS VÍTIMAS DE DESCARGAS ELÉTRICAS PROVOCADAS POR RAIOS ATMOSFÉRICOS. ASSIM, APRENDAM A SE PROTEGER.

Pescadores foram socorridos pelo Samu e Corpo de Bombeiros (Foto: Whatsapp/ TV Mirante)

Pescadores foram socorridos pelo Samu e Corpo de Bombeiros (Foto: Whatsapp/ TV Mirante)

 Uma embarcação de pequeno porte foi atingida por uma ramificação de um raio na tarde desta sexta-feira (28), na Península da Ponta da Areia, próximo ao espigão costeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, dois tripulantes ficaram feridos por causa da descarga elétrica.

As vítimas sobreviveram ao incidente e foram socorridas por equipes do Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). A Polícia Militar também esteve no local ajudando no isolamento da área.

As duas pessoas estavam dentro do barco que estava em um banco de areia esperando a maré encher novamente. No momento do incidente, um deles estava com um garfo na mão o que teria atraído partículas do raio para a embarcação.

O Corpo de Bombeiros ainda esclareceu que as vítimas foram encaminhadas para o hospital com ferimento leves. As identidades dos dois homens não foram reveladas.

ALERTA! PROTEJA-SE!

Os maranhenses devem ficar alertas: em 15 dias, seis pessoas morreram e várias ficaram feridas vítimas de descargas elétricas provocadas por raios atmosféricos.  Assim, algumas atitudes devem ser adotadas pelas pessoas para se proteger dos raios:

Durante uma tempestade, se recomenda não sair de casa e não permanecer nas ruas. Em casa, as chances de ocorrer acidentes diminuem, devido a prédios, árvores e outras residências com proteção, atrativos em potencial para as descargas. Em casa, não se deve usar o telefone, com exceção do tipo “sem fio”, nem se aproximar de objetos metálicos (janelas, grades ou tomadas). Os eletrodomésticos devem ser desligados da rede elétrica. Essas diretrizes evitam os efeitos indiretos das descargas, pois a boa condutividade dos materiais presentes nesses objetos podem provocar acidentes.

Se realmente for necessário permanecer nas ruas, deve-se evitar segurar objetos metálicos longos, como tripés, varas de pesca ou guarda-chuvas. Não se deve empinar papagaio ou aviõezinhos com fio. Franklin, por pura sorte, escapou da morte em seu experimento com a pipa. Andar a cavalo também é uma atividade de risco. O cavaleiro comporta-se como uma ponta e poderá atrair o raio. Não se deve nadar. Relãmpagos ocorrem nessas superfícies, aso contrário do que se pensa. Alguns locais podem servir de esconderijos numa tempestade: ônibus, veículos fechados metálicos, prédios e moradias com proteção, construções com estrutura metálica, barcos e navios metálicos fechados, abrigos subterrâneos, como túneis e metrôs, vales, desfiladeiros ou depressões no solo. Nunca se deve ficar no interior de celeiros, barracos e tendas, que facilmente incendeiam ou se destróem pela força da descarga, tampouco próximo a linhas de energia elétrica ou árvores isoladas.

As últmas regras relacionam-se aos locais onde é extremamente perigoso permanecer: topos de morros, cordilheiras, prédios, áreas abertas (como campos de futebol), estacionamentos abertos, quadras de tênis, cercados de arame, varais de metal, linhas aéreas, trilhos, torres, linhas telefônicas e linhas de energia elétrica.

Quando não for possível realizar nenhum dos procedimentos acima citados, ainda há uma maneira de escapar de um acidente. Momentos antes de ocorrer a descarga, pessoas que estejam nessas proximidades sentem seu pêlos arrepiados ou a pele coçando, indícios da atividade elétrica. Não se deve entrar em pânico. Pode-se ficar na seguinte posição: ajoelhado, curvado para frente, com as mãos colocadas nos joelhos e a cabeça entre eles. Imita-se, desse modo, uma esfera e não uma ponta, como na posição de pé. Jamais se deve deitar no chão, pois a descarga atingirá diretamente essa superfície.

Com informações do G1 Maranhão

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta