Data M Pesquisa de Opinião Pública: o nosso único candidato é o acerto!
Instituto tem um histórico de acertos em pesquisas eleitorais.

Data M Pesquisa de Opinião Pública: o nosso único candidato é o acerto!

Jornalista José Machado – Diretor do Instituto Data M

A decisão da Justiça Eleitoral do Maranhão contra o Instituto Data M – ocorrida no pleno, na tarde de ontem, 26 –  se deu por erro formal: um questionário da pesquisa estadual de abril  de 2014 não foi anexado ao próprio Sistema PESQELE TSE, onde são registradas as pesquisas eleitorais de todo o Brasil. Ou seja: o TSE, por meio da Resolução 23.400/2013, não se responsabiliza por suas próprias falhas.

A pesquisa “censurada”, em si, do ponto de vista científico, está impecável, o que dá veracidade  ao seu resultado. Como todas que divulgamos e continuaremos a divulgar. Afinal, vivemos num estado democrático de direito, queiram ou não os mais interessados em criticar. Foi assim em 2012. Uma porção de gente, pelos mais diferentes motivos, levantou-se contra o Data M. Quatro processos foram movidos conta o instituto. E duas coisas naturais aconteceram: fomos inocentados de todos  eles  pela Justiça Eleitoral do Maranhão. E, o mais importante, acertamos, sozinhos, até nos decimais, o resultado da eleição em São Luís, palco do embate em que travamos.

Uns poucos nos pediram desculpas pelos insultos grosseiros e censura descabida  ao nosso trabalho probo e reconhecido. A maioria preferiu silenciar.

Infelizmente, a data para calarmos essa gente só acontecerá em  outubro, após o resultado da eleição.

Instituto tem um histórico de acertos em pesquisas eleitorais.

Não custa lembrar que, a partir de janeiro de 2014, ano de campanha política,  dos três processos movidos contra o Data M, pelo PMDB de Sarney e seu grupo político,  já fomos inocentados em dois. Recorreremos ao TSE pelo resultado que nos foi imposto pelo TRE-MA na sessão de ontem, 26, quinta-feira. E vamos continuar trabalhando, honestamente,  para sustentar nossa família.

As calúnias lançadas contra a nossa reputação serão reparadas no devido tempo. Não há risco algum de  virarmos bandidos, exploradores da boa fé alheia, promotores da miséria coletiva, como são muitos do cast político do Maranhão.

Sem falsa modéstia, o Data M é, hoje – respeitando e até admirando alguns dos nossos concorrentes  -,  queiram ou não queiram os interessados em nos desmoralizar, um dos institutos de maior credibilidade do Brasil.

E isso dói, incomoda. Porque os números que levantamos junto à população, onde quer que façamos pesquisas, tornam-se sentenças. Pela reputação que construímos ao longo de mais de 20 anos trabalhando, honestamente,  nessa área. E também porque sempre torcemos  por um único candidato: o ACERTO!

 

 

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem 5 comentários

  1. Elvina

    Acredito em você e, consequentemente, no Data M. Não dê bola para esses que teem medo da verdade que brota do povo em cada nova pesquisa da sua conceituada empresa. Elvina, maranhense que mora na Suíça.

  2. José Ribamar Gomes

    Vamos em frente companheiro Machado. Em outubro esse pessoal vai saber quem tem razão. Vc já deve está vacinado contra as injúrias. E de mais a mais, sabemos muito bem como alguns juízes decidem algumas questões. Sei muito bem que vc não é de se intimidar. O Data M tem credibilidade suficiente para superar as acusações das “penas” pagas. Um abraço.

    1. José Machado

      Obrigado, amigo Gojoba. As pessoas que me conhecem, como você, têm essa mesma avaliação. Fique tranquilo. Já tenho o coro grosso. Abraço.

Deixe uma resposta