Corrupção: ex-prefeito e seu filho são presos por desvio de verbas em dois contratos
Francivaldo Vasconcelos Sousa, ex-prefeito de Cachoeira Grande

Corrupção: ex-prefeito e seu filho são presos por desvio de verbas em dois contratos

 

Francivaldo Vasconcelos Sousa, ex-prefeito de Cachoeira Grande

O político é acusado de desviar verbas públicas em dois contratos, durante sua gestão, de 2009 a 2016.

O ex-prefeito de Cachoeira Grande do Maranhão, Francivaldo Vasconcelos Sousa, e seu filho, Alexandre Leda Sousa, foram capturados, na manhã desta sexta-feira (23), por determinação da juíza Adriana da Silva Chaves, titular da Comarca de Morros, que decretou a prisão temporária deles. O político é acusado de desviar verbas públicas em dois contratos, durante sua gestão, de 2009 a 2016. Somente em um deles, houve repasse de mais de R$ 2 milhões.

Em uma entrevista coletiva realizada à tarde desta sexta-feira (23) o delegado Ricardo Moura, da Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (Seccor), disse que as prisões foram o resultado de denúncias de professores de Cachoeira Grande, situado na Região do Munim, acerca de irregularidades verificadas na gestão do então prefeito Francivaldo Vasconcelos. A representaçãodoi  remetida à Secretaria de Segurança Pública (SSP/MA) e ao Ministério Público.

Segundo o delegado, foram averiguados dois contratos feitos pela Prefeitura com uma empresa de limpeza pública (Habitat) e outra de locação de máquinas pesadas (A.S Abreu). No primeiro caso, em um contrato no valor de R$ 3 milhões, verificou-se que, pouco antes da licitação, a Habitat mudou seu objeto social, pois atuava prestando serviços para condomínios, o que levantou desconfiança por parte da equipe da Seccor e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MP.

Com relação ao outro contrato, o delegado explicou que o proprietário abriu a empresa a pedido do prefeito, sendo que as máquinas pesadas utilizadas eram de Gustavo, sobrinho do político, que também ficava com o cartão bancário da A.S Abreu, para que fizesse os saques. Para os “cofres” de Francivaldo, eram repassados R$ 27 mil, desviados de recursos públicos que deveriam beneficiar a população.

O ex-prefeito e seu filho, como frisado pelo delegado Ricardo, foram encaminhados ao Centro de Triagem, unidade do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde devem permanecer por cinco dias, prazo do mandado de prisão. O promotor Marco Aurélio, do Gaeco, enfatizou na coletiva que essas pessoas não têm “pudor com a coisa pública”, pois utilizam dinheiro que deveria ser aplicado na educação, saúde e merenda escolar.

Do Jornal Pequeno

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta