Condenados integrantes da facção criminosa PCM
A Justiça quer mudar a direção dessa arma apontada para a sociedade.

Condenados integrantes da facção criminosa PCM

A Justiça quer mudar a direção dessa arma apontada para a sociedade.

Quatro dos 11 membros da facção criminosa denominada “Primeiro Comando do Maranhão (PCM)”, condenados pela juíza da 4ª Vara Criminal de São Luís, Maria da Conceição Sousa Mendonça, recorreram da decisão. Eles são acusados de integrar uma quadrilha armada responsável por assassinatos, assaltos, latrocínios, roubos de carros, tráfico de drogas, além de várias tentativas de fugas. O grupo tem ligação com membros de organização criminosa de âmbito nacional, o PCC. A denúncia foi feita pelo Ministério Público Estadual.

Considerando a gravidade do crime e a extensa ficha criminal dos réus, a juíza Mar

Bando armado tirado de circulação quer voltar às ruas

ia da Conceição Sousa Mendonça manteve a prisão de todos.  Foram condenados Josué Santos da Silva, o “Gaspar”, o líder da quadrilha, e seu auxiliar Rildo Nunes Gomes, o “Gasparzinho”, a seis anos de  reclusão, cada um, pelo crime de associação criminosa.

Também foram condenados, pelo mesmo crime e com a mesma pena, Marcones dos Santos Sá Menezes, conhecido como “Marcones”; Rafael Alberto Libório Gomes, o “Rafa” ou “Filho do Arrupiado”; Carlos Henrique Santos da Silva, o “Tim”; Otávio de Jesus Ferreira, conhecido como  “Mau” ou “Carnicinha”; Charlie Anderson Viana Muniz, o “Chabal” ou  “Cabal”; Daniel Oliveira Souza, o “Daniel Comerciante”; Wellington Cardoso Cunha,  conhecido como “Coelho”; e Jocivaldo Silva Pereira Júnior, o “PitBull”.

Além do crime de associação criminosa, foi condenado por porte ilegal de arma de fogo, Pedro Jonhney de Jesus Silva, o “Pedrinho”, genro do acusado Marcones Santos, a 9 anos de reclusão e pagamento de 20 dias-multa. Silvan Sales Damasceno, conhecido como “Cachorro Doido”, e Ailson da Silva Veiga, o “Bichinho”, também foram denunciados, mas tiveram a punibilidade extinta, por terem sido assassinados.

Com exceção de Marcones dos Santos Sá Menezes, declarado ausente, todos os demais acusados permanecem presos. Da sentença da magistrada, publicada em 31 de julho deste ano, recorreram no mês passado, perante o Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), Josué Santos da Silva, Rildo Nunes Gomes, Marcones dos Santos e Pedro Jonhney de Jesus Silva. Para os que não ingressaram com recurso, este mês a juíza da 4ª Vara Criminal determinou a expedição de carta de sentença à Vara de Execuções Penais para cumprimento das penas.

Josué Santos foi transferido para um presídio de segurança máxima em Campo Grande (MS), em razão de, mesmo preso, continuar comandando parte da quadrilha que ainda se encontra em liberdade, aterrorizando na capital e no interior do Maranhão.

Muitos processos – os acusados também respondem a outros processos em varas criminais, de entorpecentes e do Tribunal do Júri em São Luís.  Consta na sentença da 4ª Vara Criminal que a Polícia Civil, em parceria com o Serviço de Inteligência do 6º Batalhão da Polícia Militar, há meses investigava as atividades da quadrilha.

Segundo o Ministério Público, os membros da facção cometeram vários assassinatos na área da Cidade Olímpica, Vila Janaína e Alemanha. Muitas das vítimas pertenciam a grupos rivais do PCM. Uma delas, conhecida pelo nome de “Hildo”, assassinada no Natal de 2011, também na Cidade Olímpica, teve a cabeça encontrada em uma rua e o corpo em outra.

Contra o grupo há denúncias também de vários roubos de carros e assaltos, entre eles o de um caminhão baú de uma transportadora, em junho de 2012, quando 10 homens fortemente armados subtraíram R$ 200 mil em mercadorias. (Ascom TJ/MA)

 

Assessoria de Comunicação – Fórum Des. Sarney Costa

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta