Combate ao desperdício: São Luís terá banco de alimentos

Combate ao desperdício: São Luís terá banco de alimentos

São Luís terá seu primeiro Banco de Alimentos que será construído no bairro Ivar Saldanha. O Banco vai arrecadar alimentos junto aos supermercados, feiras, mercados e Cooperativa dos Hortifrutigranjeiros do Maranhão (Ceasa) para distribuir às pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar e nutricional. A ação está prevista no Programa Avança São Luís, lançado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior. O funcionamento, benefícios e atividades do Banco e dos Restaurantes Populares serão apresentados em painel no dia 25 deste mês, na Unidade de Ensino Básico  “Luís Viana”, no bairro Alemanha.

Para o reaproveitamento de alimentos serão realizadas campanhas de incentivo a doações junto aos estabelecimentos. “A ideia é transformar essas sobras em novas receitas e distribuir a quem necessita evitando o desperdício”, enfatiza a secretária de Segurança Alimentar, Fatima Ribeiro.

A criação do equipamento se justifica pelos índices de desperdício de alimentos na capital. Por dia são desperdiçadas 80 toneladas de alimentos, segundo dados do Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea). Desse total, 30 toneladas poderiam ser beneficiadas e reaproveitadas com distribuição à população carente. Contudo, a maioria dos estabelecimentos não possui um projeto de reaproveitamento.

A pesquisa do Comsea foi realizada em todas as feiras, mercados e supermercados; na Ceasa, maior centro de distribuição de hortifrutigranjeiros na capital; e ainda em alguns restaurantes da cidade. De acordo com o Comsea, 10% da população de São Luís vive em situação de insegurança alimentar e esta população será atendida prioritariamente pelos novos equipamentos da Semsa.

“O principal benefício do Banco é diminuir o desperdício de alimentos, suprir a necessidade das pessoas em risco alimentar e abastecer os restaurantes populares do município”, destacou a coordenadora do Banco de Alimentos, Adriana Pestana. Ela informou que o banco agregará uma cozinha experimental para produção de novas receitas enriquecidas dentro dos parâmetros nutricionais.

Para a dona de casa Laurene Sobreira, 34 anos, a iniciativa é importante e vai beneficiar muitas famílias. “As pessoas vão deixar de catar no lixo e receber o alimento de maneira mais digna”, disse.

Entre os parceiros do Banco estão a Ceasa que vai colaborar com o repasse de alimentos. Atualmente, a Ceasa reúne 36 mil toneladas de alimentos por semana que são distribuídos a famílias com um cadastro junto à cooperativa. O Banco de Alimentos será administrado pela Semsa, conforme determinação do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), que estabelece que a construção também seja realizada pela pasta.

COMBATE AO DESPERDÍCIO

O objetivo é colcoar a comida na mesa

O Banco de Alimentos atua no recebimento de doações de alimentos considerados impróprios para a comercialização, mas adequados ao consumo. Os alimentos arrecadados são distribuídos em refeições ou cestas básicas, gratuitamente, a pessoas em situação de vulnerabilidade alimentar. No Banco, os alimentos são recepcionados, selecionados, processados e embalados para distribuição. O Projeto Banco de Alimentos tem abrangência em todo o Brasil nos municípios com população acima de 100 mil habitantes, segundo critérios do Governo Federal. (Secom da PMSL)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta