Combate à corrupção traz ‘infinita esperança’, diz Sérgio Moro em SP

Combate à corrupção traz ‘infinita esperança’, diz Sérgio Moro em SP

Em fórum sobre a Lava Jato, juiz federal comparou combate à corrupção e redução da impunidade ao movimento abolicionista do século XIX

VEJA

O juiz federal Sergio Moro comparou, nesta terça-feira, o combate à corrupção no Brasil com o movimento que aboliu a escravidão no país, no século XIX, e afirmou que “há boas razões para se manter infinita esperança”. Em uma analogia ao histórico de impunidade de corruptos brasileiros, agora alvos da Operação Lava Jato, o magistrado disse que o Brasil demorou a abolir a escravidão, mas o fez.

As declarações de Moro foram dadas em um fórum promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo e o Centro de Políticas Públicas (CDPP) para debater a Lava Jato e a Operação Mãos Limpas, investigação anticorrupção que se deu na Itália, nos anos 1990.

Em sua participação no debate, o juiz ressaltou que a Lava Jato produziu resultados positivos. “Processos foram julgados, pessoas, que nunca imaginávamos que iriam responder pelos seus crimes, foram condenadas. Há também aquelas que estão esperando julgamento de recursos. Portanto, já existe um resultado palpável. A grande questão  é sobre como ir adiante”, afirmou Sergio Moro.eja

O juiz federal Sergio Moro comparou, nesta terça-feira, o combate à corrupção no Brasil com o movimento que aboliu a escravidão no país, no século XIX, e afirmou que “há boas razões para se manter infinita esperança”. Em uma analogia ao histórico de impunidade de corruptos brasileiros, agora alvos da Operação Lava Jato, o magistrado disse que o Brasil demorou a abolir a escravidão, mas o fez.

As declarações de Moro foram dadas em um fórum promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo e o Centro de Políticas Públicas (CDPP) para debater a Lava Jato e a Operação Mãos Limpas, investigação anticorrupção que se deu na Itália, nos anos 1990.

Em sua participação no debate, o juiz ressaltou que a Lava Jato produziu resultados positivos. “Processos foram julgados, pessoas, que nunca imaginávamos que iriam responder pelos seus crimes, foram condenadas. Há também aquelas que estão esperando julgamento de recursos. Portanto, já existe um resultado palpável. A grande questão  é sobre como ir adiante”, afirmou Sergio Moro.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta