‘É inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça’, diz Cármen Lúcia em abertura do ano Judiciário

Na sessão solene que marcou a abertura do Ano Judiciário de 2018, em Brasília, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, disse na manhã desta quinta-feira, 1, que é "inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça" e que sem "Justiça não há paz" "Pode-se ser favorável ou desfavorável à decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais, pelos juízos competentes. É inadmissível e inaceitável desacatar a justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do Direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal", discursou Cármen.

Continuar lendo ‘É inadmissível e inaceitável desacatar a Justiça’, diz Cármen Lúcia em abertura do ano Judiciário
Desvios em fundo de pensão: presidente do BNDES é alvo de busca e apreensão e depõe na PF
WJPAULO6 - RIO DE JANEIRO - RJ - 14/09/2017 - PAULO RABELLO DE CASTRO/FIRJAN -ECONOMIA OE - A retomada dos investimentos em infraestrutura no País, por meio de novas Parcerias Público-Privadas (PPPs), traz chances reais de recuperação da economia brasileira, após um forte ciclo recessivo. Para isso, no entanto, é fundamental discutir o papel da engenharia consultiva, que pode garantir projetos bem estruturados e obras bem planejadas. O tema esta sendo discutido pelo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro (Foto) e por empresários e especialistas, durante o Seminário Internacional "Infraestrutura: A Engenharia na Retomada dos Investimentos", realizado neta manhã de quinta feira (14) na sede da FIRJAN no centro do Rio. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADAO

Desvios em fundo de pensão: presidente do BNDES é alvo de busca e apreensão e depõe na PF

Ação da PF contra Paulo Rabello de Castro se deu no âmbito da operação Pausare, que investiga desvios no fundo de pensão dos funcionários dos Correios, o Postalis O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal nesta quinta-feira, 31. A ação da PF contra o presidente do banco público se deu no âmbito da operação Pausare, que investiga desvios no fundo de pensão dos funcionários dos Correios, o Postalis. A busca da PF foi em um endereço ligado a Rabello de Castro no Rio de Janeiro. Assim que soube, ele se dispôs de forma espontânea a ir até a sede da PF, em Brasília, onde prestou depoimento aos investigadores do caso. O motivo da busca e apreensão contra o executivo foi o apontamento, em relatórios de órgãos de controle, da atuação da SR Rating - uma empresa de classificação de riscos - em investimentos suspeitos do Postalis. Rabello de Castro foi um dos fundadores e trabalhou na empresa antes de assumir o comando do IBGE e, posteriormente, do BNDES. O Estado apurou que, em relação a Rabello de Castro, a investigação ainda está no início e que a medida cautelar de busca e apreensão e o posterior depoimento dele tiveram como objetivo esclarecer sua atuação da SR Rating e aprofundar a apuração sobre sua relação com o Postalis. A operação Pausare foi deflagrada pela PF e pelo Ministério Público Federal (MPF). Segundo os investigadores, a operação é consequência de um conjunto de auditorias de órgãos de controle encaminhados ao MPF, que "identificaram má gestão, irregularidades e impropriedades na aplicação dos recursos do Postalis."

Continuar lendo Desvios em fundo de pensão: presidente do BNDES é alvo de busca e apreensão e depõe na PF

Reforma da Previdência faz disparar aposentadoria por tempo de contribuição

Em meio aos debates para fixação de uma idade mínima para se aposentar no País, número de pedidos de benefício por quem já cumpriu tempo mínimo de pagamentos ao INSS subiu 5,5%, enquanto os benefícios por idade cresceram 3,7% Em meio às discussões sobre a reforma da Previdência, disparou o número de pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição. Esses pedidos cresceram 5,5% no ano passado, enquanto as aposentadorias por idade, que exigem no mínimo 65 anos para homens e 60 anos para mulheres, subiram 3,7%. Em 2014, o ritmo de crescimento das duas categorias era praticamente igual. Para se aposentar por tempo de contribuição no Brasil não é necessário cumprir uma idade mínima, algo raro em todo o mundo. Acabar com esse tipo de aposentadoria é um dos pilares da reforma da Previdência que está em tramitação no Congresso, embora a votação esteja passando por sucessivos adiamentos. Essa modalidade de benefício é considerada pelo governo um dos privilégios concedidos pelas regras atuais porque permite que pessoas mais novas e em geral com maiores salários solicitem a aposentadoria cedo e com valor médio de benefício mais elevado, onerando as contas previdenciárias, que tiveram o rombo recorde de R$ 268,8 bilhões no ano passado.

Continuar lendo Reforma da Previdência faz disparar aposentadoria por tempo de contribuição

Optantes do Simples Nacional têm até esta quarta-feira (31) para se regularizar, alerta a Receita Federal

As empresas excluídas do Simples Nacional podem pedir nova opção de adesão ao regime, no máximo, até esta quarta-feira (31), sendo o mesmo prazo para a regularização de seus débitos tributários. A Receita Federal alerta que não haverá prorrogação do prazo de opção pelo Simples Nacional para empresas em atividade, que vence no dia 31 de janeiro As empresas que têm débitos no Simples Nacional e foram excluídas em 1/1/2018 precisam regularizá-los, inclusive com opção pelo Parcelamento Convencional disponível no Portal do Simples Nacional. Ressalta-se que é necessário pagar a primeira parcela para que o parcelamento seja deferido e, para evitar futura exclusão do regime, manter os pagamentos em dia.

Continuar lendo Optantes do Simples Nacional têm até esta quarta-feira (31) para se regularizar, alerta a Receita Federal

As origens do Comando Vermelho explicam por que o Brasil é tão violento

A história do crime organizado no Brasil é também a resposta sobre os reais motivos que o transformaram num dos países mais perigosos do mundo. Por Eduardo Migowski O senhor estava na Ilha Grande quando foi criada a Falange Vermelha, hoje batizada de Comando Vermelho. De lá para cá, o que mudou? William de Souza Lima: a bandidagem hoje é mais violenta do que na minha época porque a sociedade é mais agressiva. O avanço do capitalismo é o maior responsável pelo aumento das desigualdades sociais e da criminalidade. Enquanto as desigualdades forem expressivas, a criminalidade só tende a crescer. O capitalismo massacra o pobre, aumenta o desemprego e abandona os jovens, que ficam sem nenhuma perspectiva de vida (Entrevista concedida por William da Silva Lima, um dos criadores do Comando Vermelho, que se encontra no livro Marcinho VP: Verdades e Posições, ao jornalista Renato Homem). No dia 03 de abril de 1981, um assaltante de bancos, que havia fugido do presídio da Ilha Grande (Candido Mendes), foi cercado pela polícia no bairro da Ilha do Governador (Rio de Janeiro). Acuado, ele não parecia disposto a se entregar. Logo chegariam mais reforços e, durante quinze horas, iria se desenrolar um intenso tiroteio. O cenário dessa batalha foi o Conjunto dos Bancários. O nome do foragido era José Jorge Saldanha, conhecido no submundo do crime como Zé Bigode. Até este momento, nada de especial. Confrontos desse tipo eram (e são) comuns nas grandes cidades brasileiras. Mas esse caso, em especial, chamou a atenção das autoridades, da imprensa e dos cariocas. Zé Bigode ostentava um poder bélico incomum e estava disposto a morrer lutando. O marginal demonstrava um ódio muito grande em relação às autoridades e um estranho orgulho da sua posição. Apenas na manhã seguinte, após intenso tiroteio (que mobilizou 400 homens das forças de segurança), dois mil tiros disparados, três policiais mortos e outro ferido, que Zé Bigode seria finalmente morto. Esse fato ficaria imortalizado quando seu companheiro de crime, William de Souza Lima (o Professor), colocou o título do seu livro de memórias de 400 contra 1, que depois também viraria um filme de mesmo nome, em referência à batalha do Conjunto dos Bancários. Segundo o jornalista Carlos Amorim, em Comando Vermelho: a história secreta do crime organizado, durante o tiroteio, um polícia teria dito: “não adianta ficar bancando ‘o fera’, eu sei que seu nome é Eli”. A resposta de Zé Bigode foi imediata: “Eli é o cacete, eu sou o Saldanha”. A passagem é interessante. Por qual motivo um bandido, ao ser confundido com outro, faria questão de que os policiais soubessem o seu nome verdadeiro? Só há uma explicação: ele havia percebido que a fuga era impossível e se entregar não era uma opção. A morte era certa. O que estava em disputa era como e quando ela chegaria. Para ler toda a matéria, acesse LEIA MAIS...

Continuar lendo As origens do Comando Vermelho explicam por que o Brasil é tão violento

Grupo Mateus: Centro de Distribuição vai gerar mais de 2 mil empregos diretos até 2019

O Grupo Mateus inaugurou. sexta-feira (26) a primeira das quatro etapas do seu Centro de Distribuição, em São Luís, que vai gerar mais de 2 mil empregos diretos. O empreendimento é o primeiro do Parque Empresarial da capital, às margens da BR-135, um complexo que vem sendo preparado pela administração estadual para abrigar dezenas de negócios. O Governo do Maranhão concede incentivos para atrair as empresas e gerar o máximo possível de empregos. Cerca de 220 colaboradores diretos já atuam no Centro de Distribuição, onde também se concentram 75 prestadores de serviço e mais de 200 operários contratados para a construção. Ou seja, essa fase inicial gerou cerca de 500 empregos diretos. “Aqui temos o resultado de uma política de desenvolvimento bem ativa de nosso governo, apoiando o setor privado para viabilizar a geração de empregos. Temos uma lei [que concede benefícios] que vale para todo o segmento. Todos os que quiserem empreender nesse setor têm uma política tributária clara, transparente e publicada em lei, garantindo isonomia”, disse o governador Flávio Dino, que participou da inauguração. Próximo aos principais terminais de carga e localizado no km 12 da rodovia BR-135, o centro tem por enquanto 20 mil metros quadrados de área construída. Até o fim do ano, serão mais 20 mil metros quadrados. No total, estão sendo investidos R$ 220 milhões. A logística do Grupo Mateus ficará concentrada nesse centro. Quando concluídas as quatro etapas, o Centro de Distribuição será o maior do Nordeste, tanto em tamanho, quanto em capacidade de armazenagem.

Continuar lendo Grupo Mateus: Centro de Distribuição vai gerar mais de 2 mil empregos diretos até 2019

“Que Brasil você quer para o futuro?” Globo pede vídeos de cartão postal, telespectadores enviam lixões

Pelo Brasil a fora, muita gente, desconfiada, está se perguntando: "Qual é a da Globo com esse projeto?" A Globo informa que é parte da cobertura das eleições deste ano, mas muitos entendem que se trata de uma campanha para limpar a barra da emissora, que vem sofrendo sucessivos arranhões por conta de manifestações de muitos setores da sociedade civil, partidos políticos e seitas religiosas, dentre outros. Nos últimos anos, várias equipes ou profissionais da TV Globo foram vítmas de agressões verbais e físicas durante suas coberturas jornalísticas. Essa iniciativa do envio de vídeos gravados pelo celular já é a segunda campanha de recuperação de imagem da Globo. Na primeira, ela admite que "tem gente que não gosta da Globo", dando a entender que a imensa maioria do telespectador brasileiro é Globo de carteirinha A campanha está no ar desde o início de janeiro. Nela, a TV Globo pede - dentro e fora dos seus telejornais - para que telespectadores façam vídeos, de preferência em lugares bonitos e representativos de sua cidade, e enviem à emissora respondendo a seguinte pergunta: "Que Brasil você quer para o futuro?". A iniciativa, segundo a emissora, faz parte do calendário de cobertura jornalística da emissora para as Eleições, em 2018. O problema é que, ao contrário do que foi pedido, a emissora tem recebido vídeos de muitos brasileiros "revoltados" com a atual situação do país (ou de sua cidade) e reproduzindo imagens em cenários, digamos, não muito atraentes, como lixões e estradas esburacadas.

Continuar lendo “Que Brasil você quer para o futuro?” Globo pede vídeos de cartão postal, telespectadores enviam lixões

Ao empossar 3 novos desembargadores, presidente do TJ fala de “tentativas de diminuição” do Judiciário

“Diante das tentativas de diminuição da importância do Poder Judiciário, não podemos nunca fugir do papel de defensores da sociedade e dos cidadãos. Para isso, temos ao nosso lado um formidável e imbatível exército de devotados magistrados, cerrando fileiras na defesa austera da Justiça, cumprindo, de forma louvável, as atribuições constitucionais a nós atribuídas”, destacou o presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), José Joaquim Figueiredo dos Anjos, ao empossar os três novos desembargadores da corte: José Jorge Figueiredo dos Anjos, Luiz Gonzaga Almeida Filho e Josemar Lopes dos Santos, na sexta-feira (26). Joaquim Figueiredo elogiou a trajetória e conduta profissionais dos três novos membros da Corte e lhes garantiu apoio na nova caminhada. Os três magistrados ainda agraciados com o Diploma e a Medalha Especial do Mérito Cândido Mendes. Os três já haviam sido oficialmente empossados nos cargos em 13 de dezembro, dia em que foram eleitos e obtiveram acesso ao Tribunal, elevando para 30 o número de membros da Corte, conforme a Lei Complementar nº 199/2017, publicada no dia 8 de novembro de 2017. A programação de posse teve início com uma missa em ação de graças, celebrada na Catedral Metropolitana de São Luís – Igreja da Sé. Em seguida, autoridades, chefes de Poderes, profissionais das diversas carreiras jurídicas, servidores e familiares dos empossados acompanharam os novos desembargadores até a sede do Palácio da Justiça.

Continuar lendo Ao empossar 3 novos desembargadores, presidente do TJ fala de “tentativas de diminuição” do Judiciário

José Reinaldo está decidido a manter sua candidatura ao Senado, mesmo se não entrar na chapa liderada por Flávio Dino

O ex-governador e atual deputado federal José Reinaldo Tavares (sem partido e a caminho do DEM) nem de longe admite ficar de fora de uma das vagas de candidato a senador na chapa a ser liderada pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Com o apoio de um grande grupo de prefeitos liderados pelo prefeito de Tuntum e presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, o ex-governador continua se movimentando e articulando apoiamentos para convencer o governador Flávio Dino de que ele, José Reinaldo, é o nome ideal para fazer a dobradinha com o deputado federal Weverton Rocha (PDT), cuja escolha já foi sacramentada pelo governador Flávio Dino. Uma série de “porens” ao ingresso do ex-governador no DEM e que podem ser, de fato, obstáculos capazes de inviabilizar seu ingresso no partido e, por via de consequência, sua candidatura ao Senado. O projeto do ex-governador de ser senador enfrenta agora a concorrência poderosa do movimento articulado pelo prefeito Edivaldo Jr. (PDT) para emplacar a deputada federal Eliziane Gama (PPS) na segunda vaga de candidato. Os dois parlamentares estão conversando há semanas e já estabeleceram e já alinhavaram o acordo que os tornam parceiros na corrida para o Senado. A articulação que está resultando na dobradinha Weverton/Eliziane tem o apoio discreto do Palácio dos Leões, embora o governador Flávio Dino ainda não batido o martelo. Continue lendo a matéria do jornalista Ribamar Correa, Repórter do Tempo...

Continuar lendo José Reinaldo está decidido a manter sua candidatura ao Senado, mesmo se não entrar na chapa liderada por Flávio Dino

Moro cobra manifestação do MPF sobre assassinato de empresário que ajudou na Lava Jato

Juiz federal intima Procuradoria para manifestação em cinco dias sobre morte de José Roberto Soares Vieira, executado misteriosamente em janeiro com 9 tiros na Bahia O juiz federal Sérgio Moro pediu uma manifestação do Ministério Público Federal, em cinco dias, sobre o assassinato do empresário José Roberto Soares Vieira, que ajudou a força-tarefa da Lava Jato a rastrear pagamentos ao principal alvo da 47.ª fase da Operação, o ex-gerente da Transpetro José Antonio de Jesus. O empresário foi executado misteriosamente com 9 tiros no dia 17 de janeiro na cidade de Candeias, Bahia. “Infelizmente, há notícia muito grave do assassinato do acusado José Roberto Soares Vieira em 17 de janeiro no curso da ação penal, o que ainda está em apuração”, afirmou Moro. “Não se pode excluir a possibilidade de que o homicídio esteja relacionado a esta ação penal, já que, na fase de investigação, o referido acusado aparentemente confessou seus crimes e revelou crimes de outros. Intime-se o Ministério Público Federal para manifestação em cinco dias.” José Antonio de Jesus é réu em ação penal sobre corrupção e lavagem de dinheiro. Atualmente, o processo está aguardando a apresentação de resposta preliminar pela defesa do ex-gerente da Transpetro. No dia 21 de novembro de 2017, data da Operação Sothis, 47.ª fase da Lava Jato, José Roberto Soares Vieira, alvo de buscas e apreensões, prestou depoimento à Polícia Federal. O empresário afirmou que seu ex-sócio, José Antonio de Jesus, recebia pagamentos de empresas contratadas por subsidiárias da Petrobrás sem ter prestado qualquer serviço. O Ministério Público Federal chegou a pedir prisão temporária de José Roberto Soares Vieira, indeferida por Moro ao deflagrar a operação. O empresário teve os bens bloqueados.

Continuar lendo Moro cobra manifestação do MPF sobre assassinato de empresário que ajudou na Lava Jato