Cai o número de matrículas do ensino básico no Brasil, diz Censo Escolar
Menos estudantes por conta crescimento populacional mais lento.

Cai o número de matrículas do ensino básico no Brasil, diz Censo Escolar

O número de matrículas no ensino básico do país tem caído desde 2010. Daquele ano a 2012, o número passou de 43,5 milhões para 41,1 milhões, uma redução de quase 5,5%, segundo dados preliminares do Censo Escolar 2013, publicados ontem, 23, no Diário Oficial da União.

Os dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) são referentes às matrículas efetuadas na educação infantil (creches e pré-escola), ensino fundamental, ensino médio, educação de jovens e adultos (EJA) e o sistema de educação especial. Os

Menos estudantes por conta crescimento populacional mais lento.

números ainda não são definitivos porque os gestores das redes de educação têm até 30 dias para efetuar correções, se for necessário.

Se o número preliminar for confirmado daqui a um mês, a redução no número de matrículas pode chegar a 6,5%. Os dados finais são usados pelo governo para execução dos programas de merenda, transporte escolar, distribuição de livros, uniformes, entre outros. O Censo Escolar indica ainda que o Brasil tem hoje 40,3 milhões de alunos matriculados nas redes públicas municipais e estaduais.

Educação especial

Apesar da tendência geral de diminuição no número de matrículas, na educação especial houve aumento: de 2010 a 2012, as inscrições saltaram de 528.261 para 636.451, um crescimento de 20,4%. Se a projeção de 2013 se comprovar, o aumento pode chegar a 23,7%. “Há uma tendência de que as crianças com necessidades especiais sejam progressivamente incorporadas à rede regular. O aumento do numero de matrículas, contudo, não significa que haja inclusão real. Professores não estão preparados nem mesmo as escolas têm infraestrutura necessária”, diz a especialista em educação Andrea Ramal.

Já o ensino fundamental vem apresentando queda. Em 2010, o número de matrículas era de 26.675.320 enquanto em 2012, o número foi de 24.944.975, queda de 6,4%. Se o índice de 2013 se comprovar, a queda pode chegar a 9,1%. Para o professor do mestrado em Educação da PUC-Minas, Carlos Jamil Cury, essa queda era prevista devido à diminuição populacional. Já Andrea diz que os sistemas de progressão automática de diversos municípios e Estados nesse ciclo têm diminuído os números de repetência e, portanto, de matrículas nessa fase.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. josé júnior

    Preocupante!

Deixe uma resposta