Bira do Pindaré: “No Maranhão, a gente é vítima de injustiças desde o momento que nasce…”

Bira do Pindaré: “No Maranhão, a gente é vítima de injustiças desde o momento que nasce…”

INOCENTADO PELO TCU DA ACUSAÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA, À FRENTE DA DRT/MA, BIRA DESABAFA: “No Maranhão, a gente é vítima de injustiças desde o momento que nasce…”
BIRA DO PINDARÉ
Ocupei o Grande Expediente para falar sobre a decisão do Tribunal de Contas da União a respeito de um processo referente à minha gestão na qualidade de gestor da Delegacia Regional do Trabalho, no período de 2003 a 2006. Tenho aqui, em minhas mãos, o documento do TCU. Este documento, hoje, eu posso erguê-lo com as minhas mãos como quem ergue um troféu, aqui a decisão do Tribunal de Contas da União, por unanimidade, reconhecendo a regularidade das minhas contas na DRT.

Nesse Maranhão, a gente é vítima de injustiça desde o momento que nasce, no meu caso, eu nasci, em Pindaré Mirim, dentro de uma bacia pelas mãos de uma parteira. Vim para São Luís aos cinco anos de idade para morar na periferia, para estudar em escola pública, para ralar muito, mas com a benção de Deus, no peito e na raça, hoje estou aqui representando o povo como parlamentar neste estado do Maranhão. Não foi fácil porque tive que transpor todas as barreiras, todas as dificuldades que só o povo do Maranhão conhece e que nenhum outro estado possui, pois é algo absolutamente peculiar da história e da realidade social, econômica e política do nosso estado.

Então, ao longo de toda minha vida, assim como de qualquer maranhense, fui vítima de muitas injustiças, mas quero declarar ao povo do Maranhão que eu nunca tinha sofrido injustiça tão grande quanto essa – que eu considero a maior injustiça da qual fui vítima em toda minha vida: as acusações que sofri por causa deste processo.

Eu fui caluniado, eu fui difamado, fizeram uma campanha orquestrada envolvendo jornal, blog, rádio, todo império de comunicação contra a minha pessoa, com ataques diuturnos de todas as formas e de todos os jeitos. Foram mais de sete meses de mentiras sistemáticas. Disseram que eu era condenado, era assim que me tratavam. E eu digo que Deus é muito maior, e a verdade está aqui para que todos possam ver, possam ler, possam reproduzir, possam divulgar do jeito que eu sempre relatei e expus nas minhas defesas.

Com a bravura que Deus me deu, continuarei o meu caminho com a mesma tranquilidade de sempre, com a mesma firmeza de propósito, sem baixar a cabeça e sem arredar do horizonte que desejamos para o nosso estado, que é a mudança real, que é o fim desse ciclo de oligarquia e de mandonismo que existe no Maranhão.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta