Audiência Pública  discute solução para projeto falido no “Tabuleiro São Bernardo”
Deputados e autoridades buscam solução para projeto falido no Baixo Parnaíba.

Audiência Pública discute solução para projeto falido no “Tabuleiro São Bernardo”

Buscar soluções para a situação do Projeto de Irrigação do Tabuleiro São Bernardo no município de Magalhães de Almeida. Com este objetivo,  uma audiência pública proposta pelo deputado Zé Carlos (PT) foi realizada ontem (15), no auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa, sob os auspícios da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

O projeto Tabuleiro São Bernardo pretendia beneficiar cerca de 60 irrigantes associados do Baixo Mearim e Médio Mearim, duas das regiões maranhenses mais atingidas pela seca, alcançando sete municípios: além de Magalhães de Almeida, Santana do Maranhão, Araioses, São Bernardo, Tutóia, Santa Quitéria e Paulino Neves. Porém, em vez de solucionar os problemas, o projeto trouxe prejuízos aos agricultores, como situação de endividamento e abandono da obra.

“A concepção do projeto é magnífica, entretanto, a realidade é triste. São gastos milhões, e, no resultado, poucos irrigantes são beneficiados e os que estão aparentemente beneficiados estão sofrendo muito pelo descaso que o Dnocs do Piauí tem tratado as questões relativas a esse projeto”, afirmou Zé Carlos.

Deputados e autoridades buscam solução para projeto falido no Baixo Parnaíba.

O parlamentar acrescentou na discussão que o Dnocs precisa ter uma sede no Maranhão, porque, segundo ele, o Piauí deixa a desejar. “A Dnocs do Piauí tem um trabalho impecável na região deles, mas não se dispõe a colaborar no crescimento do Maranhão, afinal de contas, a responsabilidade é da direção de lá. Uma das soluções é construir a nossa própria sede. Aí, sim, o projeto vai pra frente. Falta alguém que comande aquele Tabuleiro”, defendeu.

Compartilhando com a ideia do deputado Zé Carlos, o secretário de agricultura, Cláudio Azevedo, colocou à disposição um local para o alojamento de uma sede e afirmou que basta uma resposta do Dnocs para que dê certo.

DOCUMENTÁRIO

 Ainda durante a audiência, foi exibido um documentário produzido pela TV Assembleia. O trabalho de mestrado da jornalista Cristiane Moraes mostrou a situação real de abandono e de descaso vivido pelas pessoas que deveriam ser beneficiadas pelo projeto.

Estiveram presentes, além do autor do requerimento, deputado Zé Carlos, os deputados Fábio Braga (PMDB), Bira do Pindaré (PSB); Othelino Neto (PCdoB), vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e Arnaldo Melo (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa. Outras autoridades também participaram: Emerson Fernandes, diretor geral do Dnocs; Glauco Mendes, diretor regional do Dnocs; Cláudio Azevedo, Secretário de agricultura, pecuária e abastecimento; Ricart Almeida, representante da Caritas Internationalis; Cristiane Moraes, jornalista e mestranda em antropologia; Antônio Nairton, gerente de construção civil do Maranhão; presidentes de Associações de Lavradores, Jaidon dos Santos Ferreira, Carlos André Lima e Louro Brandão.  

ENCAMINHAMENTOS

 Ao final das discussões, Zé Carlos enumerou para a direção do Dnocs algumas soluções aprovadas pelos agricultores presentes. Tais como: Apresentação da reformulação do projeto, deixando que a comunidade conheça e participe das soluções propostas; Reformulação do contrato entre o Dnocs e Companhia de Energia Elétrica do Maranhão (Cemar) e que seja encaminhada uma cópia à Assembleia Legislativa; Encaminhamento de todas as pendências de prestações de contas, porque só a partir daí é que se pode solicitar à caixa econômica federal o projeto de habitação; A implantação de uma Dnocs no Maranhão, para que se tenha uma interlocução entre comunidade e governo federal.

Em resposta, a direção do Dnocs informou que já entrou em contato com o Ministério da Agricultura, que lhes deu total condição para conduzir o Projeto de Irrigação Tabuleiro de São Bernardo, mas que ainda dependem de duas ações: uma do Governo Estadual, que é a licença prévia ambiental; e outra do Federal, que é a transferência do projeto que está no PAC 2 de obras.

Louro Brandão, um dos representantes das associações, por último, pediu a disponibilização de um técnico na região. “Com alguém por perto que entenda do assunto, facilitará a maior parte do nosso trabalho. Estaremos bem orientados”, declarou.

DNOCS NO MARANHÃO

 O deputado Zé Carlos protocolou indicação do Ministério da Integração Nacional, na última terça-feira (8), solicitando a criação de uma representação do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) no Estado do Maranhão.

Segundo o parlamentar, o Maranhão é totalmente aderente às necessidades de implantação de políticas públicas voltadas para o beneficiamento de áreas e obras de proteção à seca, inundações e irrigações. (Agência Assembleia)

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta