Acuada pelo petrolão, Dilma sobe o tom: ‘Denúncias são golpe da oposição’

Acuada pelo petrolão, Dilma sobe o tom: ‘Denúncias são golpe da oposição’

Presidente também acusou os tucanos de serem lenientes com a corrupção. “Eles destilam ódio, eles destilam mentiras”, afirmou a petista em Canoas. Tá preocupada a presidenta…

Gabriel Castro, de Canoas (Veja Notícias)
A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, e o candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, durante a caminhada nesta sexta-feira (10), no Conjunto Habitacional Guajuviras, em CanoasA presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, e o candidato ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, durante a caminhada nesta sexta-feira (10), no Conjunto Habitacional Guajuviras, em Canoas (Ichiro Guerra/Divulgação)

As revelações de que a Petrobras era usada para abastecer o caixa do PT, PP e PMDB fizeram a presidente Dilma Rousseff subir o tom em defesa de seu governo – e nos ataques à oposição. Nesta sexta-feira, após uma caminhada em Canoas (RS), a petista associou as denúncias recentes a uma tentativa de “golpe” – embora as confissões tenham partido de um ex-diretor nomeado pelo PT para uma diretoria importante da estatal, Paulo Roberto Costa. “Na véspera eleitoral eles sempre querem dar um golpe. E estão dando um golpe. Esse golpe, nós não podemos concordar com ele”, disse ela.

Leia também:
Reinaldo Azevedo:  Dilma enlouqueceu e agora chama democracia de “golpe”

Leia também

A presidente também acusou os tucanos de serem lenientes com a corrupção: “Eles jamais investigaram, jamais puniram, jamais procuraram acabar com esse crime horrível”, afirmou, insistindo que os escândalos de seu governo são uma prova de que o PT não acoberta desvios. “Eles aparelharam a Polícia Federal. Por isso a Polícia Federal investigou pouco, descobriu pouco, prendeu pouco e condenou muito pouco. Nós, não. Nós investigamos, prendemos e punimos”, disse Dilma. Mais cedo, a presidente insinuou que a divulgação dos depoimentos de Costa e do doleiro Alberto Youssef, alvos da Operação Lava Jato, teve fins eleitorais.

Leia também

A presidente também acusou os tucanos de destilarem “ódio”: “Eles destilam ódio, eles destilam mentiras, nós temos de responder com a verdade e a esperança. Diante da urna nós votamos com a consciência, paz e amor no coração”.  O discurso da presidente foi feito logo após ela percorrer, em carro aberto, um trecho de aproximadamente 700 metros no bairro popular de Guajuviras, em Canoas. Ela estava ao lado do candidato a governador pelo PT, Tarso Genro. Centenas de militantes, a pé, acompanharam a dupla.

PSDB – O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, criticou nesta sexta-feira a tentativa de Dilma de amenizar a gravidade das revelações do ex-diretor da Petrobras. “A presidente deu uma declaração de que considera estarrecedor o vazamento dos depoimentos. Eu considero estarrecedor esses depoimentos, essa confissão de crime cometido sucessivamente e de forma contínua ao longo dos últimos doze anos. Assaltaram a maior empresa brasileira nas barbas desse governo. E não há sequer indignação da presidente”, criticou Aécio.

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta