Ácida crítica!  Arnaldo Jabor diz que “queda da família Sarney já seria um grande progresso para o Brasil”
Jabor: Críticas ácidas à família Sarney

Ácida crítica! Arnaldo Jabor diz que “queda da família Sarney já seria um grande progresso para o Brasil”

Crônica de Arnaldo Jabor*, na Rádio CBN/Globo, em sua participação deste domingo, 11 de maio

Amigos ouvintes!

Eu não sabia e nem vocês que o Maranhão tem o segundo menor índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país, atrás apenas de Alagoas, a invencível terra feudal de Renan Calheiros. E mais: o nível de vida é comparável ao da Síria, que está em guerra civil violenta há dois anos.

Isso! O Maranhão é um país próprio da família Sarney, que está no poder há 48 anos, quase ao lado do reinado de Pedro II que esteve 49 anos no poder. E pode ser que continue, se o pobre e desinformado povo do Maranhão eleger o jovem senador Lobão Filho, naturalmente herdeiro de Edison Lobão, que até mudou o nome de uma cidade para botar o seu – “Onde o Senhor nasceu? Eu nasci em Edison Lobão…”. Isso é até inconstitucional botar nome de vivos em cidade. Mas lá, pode. Lá é outro país.

Muito bem. Contra a ditadura do filho do amigo do Sarney, quase da família, há o candidato Flávio Dino, do PCdoB. Esse cara tem talvez a possibilidade de terminar com a dinastia Sarney, se for eleito. E, estranhamente, ele tem apoio de partidos como PSDB, PSB,PROS, PP e Solidariedade, com Aécio [Neves] e  [Eduardo] Campos, apoiando-o também.

Tudo para tentar terminar com a pior administração que detém o poder desde 1966, quando José Ribamar foi eleito pela primeira vez e transformou o Estado numa espécie de patrimônio seu. Quem não acredita visite São Luís e veja o Memorial Sarney, no antigo Convento  da Graça (das Mercês], que ele transformou em sua casa de honra.

[Eduardo] Campos já disse que vai mandar Sarney para oposição, se for eleito. E, felizmente, já crescem os protestos em meio à doce e submissa sociedade maranhense em torno do Palácio dos Leões.

No Maranhão, cerca de 1 milhão  de pessoas com mais de 15 anos não saber ler nem escrever. E muitas outras devem ser analfabetas funcionais. Mais da metade das casas no Maranhão não tem água encanada e esgoto; Mas para orgulho do Estado, o Palácio dos Leões, com a Roseana dentro, é muito bem fornido com comidas exóticas como salmão e caviar, a poucos quilômetros da Penitenciária de Pedrinhas, onde já morreram 60 homens.

Até o início de julho de 2013, já tinha havido cerca 30  manifestações em todo o Estado contra os Sarney.

É isso aí. Se por acaso o outro candidato for eleito, nem precisa fazer muito. Porque só a queda dessa família já seria um grande progresso para o Brasil.

Arnaldo Jabor,  cineasta, jornalista e comentarista político da TV Globo e Rádio CBN, é um dos mais respeitados intelectuais brasileiros

Jabor: Críticas ácidas à família Sarney

Leia mais: http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/arnaldo-jabor/ARNALDO-JABOR.htm#ixzz31WOIph8w

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Deixe uma resposta