A ressaca pós-eleitoral de São Luís

A ressaca pós-eleitoral de São Luís

Não ligue o rádio. Não leia o jornal. Televisão, feche-a. Abandone as redes sociais. Desligue-se, afinal. Se você não quiser se contaminar de um tipo de ressaca que assola a cidade de São Luís: a ressaca pós-eleitoral patrocinada pelo prefeito da cidade que perdeu a eleição.

É que o senhor prefeito, não digerindo a derrota, desapareceu do palácio municipal. Lembra o quê? Aquele conhecido filme “Apertem os cintos – o piloto sumiu”. Que, obviamente, em terras ludovicenses,  virou um filme de terror. Obras abandonadas, repartições paralisadas, fornecedores atrasados, salários postergados…

Lembram o programa do leite na escola? Alguém foi na Secretaria de Segurança Alimentar pegar o seu quinhão. Recebeu dos responsáveis que “o leite está suspenso, até segunda ordem…” Outra senhora chora na fila do banco Itaú: não recolheram a contribuição do seu empréstimo consignado. Meus Deus! Socorro, socorrões,  sem comida e remédios!

Diante dessas notícias e por não haver se desligado, como  sugerido,  um cidadão corre para apreciar aquele que foi o motivo de ter votado no prefeito,  e constatou, desolado, que o único vagão do VLT (veículo leve sobre trilhos) exposto como peça de campanha,  havia se transformado em motel… para cães.

Ressacada, assim caminha São Luís para o último dia da administração Castelo, tendo que tropeçar, sonâmbula, até o fim de um mandato de letargia.

Pior mesmo é o novo alcaide correr o risco de ir parar no fundo de um rombo maior do  que a ilusão do fliperama VLT

José Machado

José da Silva Machado. Natural de Duque Bacelar - Maranhão, onde nasceu em 14 de junho de l957. Graduado em Comunicação Social, pela Universidade Federal do Maranhão, especialização Jornalismo. Foi repórter, editor e secretário de Redação nos jornais Pequeno, O Imparcial e Diário do Norte, em São Luís. Também foi diretor de Telejornalismo na TV Difusora (Rede Globo), no período 1985/198). Exerceu o cargo de Secretário de Estado de Imprensa e Divulgação do Governo do Estado (2006-2007). É poeta e escritor, tem lançado o livro "As Quatro Estações do Homem" e conclui o livro; "Os vinte contos de réis". Pai de 5 filhos e 1 neto.

Este post tem um comentário

  1. Dude Aragão

    Imagina qual seria a situação dessa cidade se esse prefeito fosse reeleito?
    Dói até imaginar o caos instalado nessa administração!
    Agora eu quero ver a força da deputada gardênia sem a máquina na mão…

Deixe uma resposta para Dude Aragão Cancelar resposta