Sinal verde! Prefeitura inaugura a primeira etapa das obras do Hospital da Criança

Entrou em funcionamento, nesta quarta-feira (8), a primeira etapa das obras de restauração e ampliação do  Hospital Odorico Amaral de Matos - Hospital da Criança: o novo piso térreo da unidade de saúde, com consultórios, recepção, salas de administração de medicação e nebulização, de classificação de risco, farmácia satélite e banheiros. As obras nos outros setores, executadas pela Prefeitura de São Luís e Governo do Estado, estão 64% concluídas e a próxima etapa a ser entregue consiste na implantação do laboratório e coleta, além de leitos para repouso multidisciplinar. O secretário de Saúde do Município de São Luís, Lula Fylho, garante que o  espaço entregue contribui para desafogar o fluxo na unidade e proporcionar maior conforto a pacientes e acompanhantes que chegam à unidade. Este novo setor vai funcionar para o primeiro atendimento, tanto do paciente mais grave como dos demais casos: - "Hoje a gente pode mostrar e entregar para a população algo que vai dar muito mais conforto, dignidade e condições para os pacientes e os profissionais", oisse o secretário, destacando ainda que a parceria com o Governo do Estado foi fundamental para a entrega do novo setor.

Continuar lendo Sinal verde! Prefeitura inaugura a primeira etapa das obras do Hospital da Criança

Novo presidente do STF, Dias Toffoli, foi indicado por Lula e participou do governo petista

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi eleito nesta quarta-feira (8) para a presidência da Corte pelos próximos dois anos. A eleição é feita entre os próprios ministros do tribunal. Toffoli foi eleito com dez votos favoráveis e um contrário – é comum que o ministro que assumirá o posto a presidência vote em seu vice. Ele assume em 13 de setembro. Toffoli está no Supremo desde outubro de 2009, quando sucedeu o então ministro Carlos Alberto Menezes, falecido no mesmo ano. Ele nasceu em Marília, em 15 de novembro de 1967, e se graduou em Direito em 1990 pela Universidade de São Paulo (USP). É especialista em Direito Eleitoral, foi professor de Direito Constitucional e Direito da Família, e atuou como advogado do Partido dos Trabalhadores. No governo Lula, trabalhou na Casa Civil entre janeiro de 2003 e julho de 2005, durante o período em que o ex-deputado José Dirceu ocupou o cargo de ministro. Com a saída de Dirceu do governo, em razão das denúncias de envolvimento com o “mensalão”, Toffoli assumiu a chefia da Advocacia-Geral da União, onde ficou até assumir como ministro no STF. Sua indicação para o cargo, feita por Lula, foi contestada, pela proximidade que tinha com o então presidente – de quem foi advogado em campanhas eleitorais.

Continuar lendo Novo presidente do STF, Dias Toffoli, foi indicado por Lula e participou do governo petista

Autocrítica! Corrigindo erros do passado e do presente, prenúncio de um futuro feliz…

Jornalista José Machado* Este blog é uma graça! E, de vez em quando, apronta as suas... Não que ele não seja sério, ou pelo menos tente sê-lo... Mas padece da incúria de não captar nenhum centavo no  mercado para sua sustentação e/ou sobrevivência do autor...... Isso porque este editor tem outros afazeres, do que precisa de tempo quase integral para desempenhá-los, sob pena de não poder mais nem pagar o aluguel da sala do escritório. Daí algumas  vezes ter ficado sem postagens diárias ou até semanais, num flagrante descaso para com quem o acessa. E olhe que o medidor já aponta mais de 600 mil acessos desde que começamos a escrever – e postar – essas mal traçadas linhas... Assim, devo me desculpar e dizer que tentarei ser menos indiligente  com os “meus” leitores cibernéticos. Mais: modernizar em breve esse espaço, dentro dos melhores padrões de web designers e de conteúdo linguístico do momento. Preciso de tempo e dinheiro! Estou tentando viabilizar os dois. Mas não se assustem: não baterei em vossos tablets/ em busca do vil metal. Trata-se de um projeto de comunicação há muito acalentado,  à espera para ser posto em prática. Coisa de jornalista que nunca quer abandonar  a profissão, porque ela virou “cachaça”... Quando o bicho estiver pronto, viabilizado técnica e financeiramente, pô-lo-ei à luz... Para não despertar a cobiça antecipada de um monte de aventureiros que está abarrotando os espaços virtuais com tudo quanto é aberração, menos  jornalismo ou conteúdo sadio e ético. Reconhecemos,  assim, os tropeços do passado e do presente, propondo para breve um recomeço. Sem traumas, sem  interrupções e com muito gosto pelo que fazemos. Grande abraço a todos! Curriculum resumido: Avô de Lucas, graduado pela Universidade Federal do Maranhão, pós-graduado pela USP . Trabalhou no Jornal Pequeno, O Imparcial, Diário do Norte, TV Difusora. Teve passagens pelas rádios Educadora e Capital. Fundou e editou o semanário Marketing & Mídia. Atualmente, é diretor do Instituto de Pesquisas Data M.

Continuar lendo Autocrítica! Corrigindo erros do passado e do presente, prenúncio de um futuro feliz…
Onze candidatos vão disputar as duas vagas de senador pelo Maranhão nas eleições de 2018
Brasília - Corredores do Congresso Nacional vazio, sinal verde para parlamentares entrarem em recesso (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Onze candidatos vão disputar as duas vagas de senador pelo Maranhão nas eleições de 2018

Registro das candidaturas, escolhidas nas convenções partidárias , deve ser feito até o dia 15. Até lá, poderão haver desistências ou substituições Este ano, o Senado Federal será renovado em dois terços dos seus membros. Assim, os eleitores do Maranhão vão poder escolher dois senadores no dia 7 de outubro vindouro. Para isso,  11 nomes vão estar à disposição dos eleitores na urna eletrônica. São eles: Alexandre Almeida, José Reinaldo Tavares (PSDB), Edison Lobão (MDB), Eliziane Gama (PPS), Iêgo Bruno (PCB), Preta Lu, Saulo Arganceli (PSTU), Samuel Campelo (PRTB), Sarney Filho (PV), Saulo Pinho (PSOL), e Weverton Rocha (PDT). Pela coligação do governador Flávio Dino (PCdoB), que busca a reeleição, concorrem os candidatos a senador os deputados federais Weverton Rocha e Eliziane Gama. Já  pela coligação liderada pelo candidato a governador Roberto Rocha (PSDB), disputam uma cadeira no Senado o deputado estadual Alexandre Almeida e o deputado federal e ex-governador do Estado, José Reinaldo Tavares. A coligação liderada pela ex-governadora Roseana Sarney (MDB),  que tenta voltar ao comando do Estado pela quinta vez, tem como candidatos o irmão deputadoi federal Sarney Filho e o senador Edison Lobão, que tentará se reeleger. Para governador, os eleitores terão como opção para votar: Flavio Dino (PCdoB), Roseana Sarney (MDB), Roberto Rocha (PSDB),  Ramon Zapata (PSTU), Maura Jorge (PSL) e Ovídio Neto (PSOL).

Continuar lendo Onze candidatos vão disputar as duas vagas de senador pelo Maranhão nas eleições de 2018

Correndo perigo! Entenda como o PT deve conseguir isolar Ciro Gomes na última hora

Se as eleições de 2018 fossem uma partida de futebol, a decisão anunciada pelo PT na tarde de quarta-feira seria aquilo que os comentaristas chamam de "gol espírita": de última hora, a Executiva Nacional da sigla decidiu aumentar a contrapartida de apoio eleitoral ao PSB nos Estados. Como consequência, é provável que os socialistas escolham a neutralidade na disputa presidencial, neste fim de semana. Deixarão, portanto, de apoiar o candidato Ciro Gomes (PDT), visto pela cúpula do PT como possível rival da legenda na disputa pela hegemonia da esquerda - conforme análise publicada pela Reuters/BBC Se confirmado, trata-se de uma má notícia para o político cearense. Nas eleições deste ano, o PSB terá acesso a R$ 118,7 milhões do Fundo Eleitoral, montante que poderá ser usado para financiar campanhas. Em 2014, a sigla elegeu a sexta maior bancada na Câmara dos Deputados, com 34 representantes – este número será usado para calcular a fatia de cada partido no horário eleitoral. Para efeito de comparação, o PDT de Ciro terá acesso a R$ 61 milhões do Fundo, e o tempo de TV e rádio dos trabalhistas corresponde a 19 deputados federais. Se não fechar nenhuma coligação até o dia 15 de agosto, o pedetista acabará com pouco mais de 30 segundos no horário eleitoral da TV e do rádio.

Continuar lendo Correndo perigo! Entenda como o PT deve conseguir isolar Ciro Gomes na última hora