Blog do Machado

contato@blogdomachado.com.br

12 de maio de 2016 - 21:23:05

Sem comentários

Compartilhe:

    Mais uma traquinagem de Maranhão vira notícia nacional – receber da Uema sem trabalhar

    Waldir Maranhão de boca fechada

    Os salários só deixaram de ser pagos em dezembro, após uma auditoria interna da universidade

    Waldir Maranhão saiu do meio acadêmico para se tornar deputado federal, mas o meio acadêmico não saiu dele. Ao menos de sua conta bancária. Nos dois últimos anos o presidente interino da Câmara atuou paralelamente como “professor fantasma” da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), recebendo salários mensais de cerca de R$ 16 mil, tudo de forma absolutamente irregular. Os pagamentos, realizados entre fevereiro de 2014 e dezembro de 2015, somaram R$ 368.140,09.
    Por lei, qualquer servidor público que assume mandato de deputado tem que pedir o afastamento imediato de sua função inicial para, então, exercer seu cargo e ser remunerado exclusivamente por ele.

    O deputado Waldir Maranhão (PP-MA) sabia disso. Tanto que, em 2006, quando foi eleito pela primeira vez, deixou a universidade estadual, onde foi professor e reitor por 21 anos, e teve salário automaticamente cortado. A situação permaneceu assim durante sua primeira legislatura, mas não chegaria ao fim da segunda, iniciada em 2010, quando foi reeleito: Maranhão voltou a figurar na lista de professores ativos da Uema.

    Em fevereiro de 2014, o hoje presidente interino da Câmara voltou a receber seus vencimentos por serviços acadêmicos que não prestava. Quando foi eleito para o terceiro mandato, iniciado em janeiro de 2015, o deputado teve nova oportunidade de esclarecer que estava recebendo salários de forma irregular, mas não o fez.

    Os salários só deixaram de ser pagos em dezembro, após uma auditoria interna da universidade.

    Leia mais...

    12 de maio de 2016 - 21:05:50

    Sem comentários

    Compartilhe:

      Senado abre processo de impeachment. Dilma sai, Temer vira presidente em exercício

      Michel Temer

      Dilma, Lula e o PT são defenestrados do governo. O Brasil passa a viver um outro momento com Temer, PMDB e coalisão política.

      Quando os brasileiros acordaram hoje, o Senado Federal, por 55 votos a 22, já haviam aprovado, numa longa sessão que durou toda a noite e madrugada, a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Roussef. Ela fica afastada de suas funções por 180 dias, período em que o Senado selará a sua sorte ou não. Mas alguém tem dúvida de que Dilma ainda governará o Brasil?

      Dilma saiu atirando, repetindo de que estava sendo vítima de um “golpe” e de “brutalidade”. Fez o seu show particular, coadjuvada por Lula da Silva, depois de, ainda pela manhã, receber a intimação para desocupar o Palácio do Planalto.

      Página virada, o vice-presidente em exercício Michel Temer afirmou, em seu primeiro pronunciamento como substituto de Dilma Rousseff no comando do Palácio do Planalto, que irá manter os programas sociais da gestão petista – como Bolsa Família, Pronatec e Minha Casa, Minha Vida –, prometeu aprimorar a gestão da máquina pública e falou em promover reformas sem mexer em direitos adquiridos – Dilma gritou, afirmando do contrário, em relação a esses programas.

      “Reafirmo, e faço em letras garrafais, vamos manter os programas sociais. O Bolsa Família, o Pronatec, o Fies, o Prouni, o Minha Casa, Minha Vida, entre outros, são projetos que deram certo e terão sua gestão aprimorada. Aliás, mais do que nunca, precisamos acabar com um hábito no Brasil em que, assumindo outrem o governo, você destrói o que foi feito. Ao contrário, você tem que prestigiar aquilo que deu certo, complementá-los, aprimorá-los”, destacou o peemedebista.

      Ao longo dos 28 minutos de discurso, o presidente em exercício também disse que, atualmente, há urgência em “pacificar a nação” e “unificar o Brasil”.

      Leia mais...

      10 de maio de 2016 - 13:40:32

      Sem comentários

      Compartilhe:

        Pela madrugada, Waldir revogou sua própria decisão e voltou mudo à Câmara dos Deputados

        Waldir Maranhão de boca fechada

        Na madrugada, ele voltou atrás de anulação da sessão do impeachment. Executiva do partido pode expulsá-lo pela tentativa de anular o processo.

        Depois de revogar, no início da madrugada, decisão de tentar anular a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), chegou à Casa nesta terça-feira (10) e se dirigiu ao gabinete da vice-presidência. Ele não quis falar com a imprensa.

        Segundo interlocutores, Maranhão decidiu revogar a própria decisão após conversar com integrantes da Mesa Diretora e deputados do PP, partido ao qual é filiado.

        Na época da votação no plenário da Câmara, o PP fechou questão pela aprovação da continuidade do processo de afastamento. Quando há o fechamento de questão, deputados podem ser punidos se descumprirem a decisão partidária. Apesar disso, Maranhão votou contra a continuidade do impeachment.

        Nesta segunda (9), a cúpula do PP se surpreendeu com a decisão do presidente interino da Câmara de tentar anular a votação em plenário e reagiu convocando para esta terça reunião da Executiva Nacional, para decidir se expulsa ou não o deputado da sigla.

        Antes que Maranhão revogasse a decisão de anular a votação do impeachment, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), havia decidido dar continuidade ao processo à revelia do ato do presidente interino da Câmara. Assim, está mantida para esta quarta (11) o início da sessão do Senado que decidirá se Dilma será afastada da Presidência por 180 dias.

        Reações
        Ao justificar a decisão de tentar anular a sessão da Câmara – e antes de voltar atrás –, Maranhão disse que o objetivo era “salvar a democracia”.

        Leia mais...

        09 de maio de 2016 - 19:46:43

        Sem comentários

        Compartilhe:

          TCE do Maranhão exonera filho de Waldir Maranhão que atua como médico em SP

          TCE-MA: símbolo de austeridade...

          O TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Maranhão exonerou, em ato assinado nesta segunda-feira (9) pelo presidente da Corte, o conselheiro João Jorge Pavão, o servidor Thiago Augusto Azevedo Maranhão. Ele é filho do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), e segundo a coluna Painel, da “Folha de S.Paulo”, recebia salário sem trabalhar.

          O filho de Maranhão estava lotado com o cargo de assessor de conselheiro no gabinete de Edmar Cutrim . Thiago Augusto ganhava R$ 7.500 mensais de salário, mais R$ 800 de auxílio-alimentação.

          Em memorando encaminhado à presidência do TCE nesta manhã, Edmar Cutrim pede, em caráter de urgência, a exoneração de Thiago alegando ter tomado “conhecimento de fatos noticiados na imprensa com relação à conduta do servidor”.

          A exoneração já foi assinada e será publicada no diário eletrônico do TCE-MA nessa terça-feira (10). O UOL não conseguiu localizar Cutrim para que comentasse mais detalhes da exoneração –o expediente do TCE-MA vai somente até as 14h.
          Segundo a coluna Painel, Thiago é medico e atua em hospitais de São Paulo, onde cursa pós-graduação.

          Leia mais...

          09 de maio de 2016 - 18:25:40

          Sem comentários

          Compartilhe:

            Senador Delcídio reconhece que errou, pede desculpas e diz que pena de cassação é exagerada

            Senador Dulcídio Amaral

            Em pronunciamento na tarde desta segunda-feira (9) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) reconheceu que errou no caso da conversa com o filho de Nestor Cerveró, pelo qual foi preso em novembro de 2015. Ele pediu desculpas à população brasileira, afirmou que agiu “a mando” e alegou não ter cometido qualquer irregularidade que justifique a cassação de seu mandato.

            — Admito meu erro e peço perdão por isso. Eu não roubei, não desviei dinheiro, não tenho conta no exterior, estou sendo acusado de obstrução de justiça. Peço desculpas, errei, mas agi a mando. Assumo a responsabilidade dos meus erros — disse Delcídio, que foi solto em fevereiro após fazer uma delação premiada.

            Delcídio também reclamou que sua equipe de advogados teve dificuldades para terem acesso aos autos do processo contra ele no Senado. Afirmou ainda que esse processo contra ele está ocorrendo de maneira “inacreditavelmente célere”.

            Para o senador, a cassação de mandato é uma pena que só deve ser aplicada em caso de “irregularidade grave”, ou seja, corrupção ou má aplicação de recursos públicos, o que Delcídio alega nunca ter feito.

            Leia mais...

            09 de maio de 2016 - 18:13:34

            Sem comentários

            Compartilhe:

              Senado não respeita decisão de Waldir Maranhão e dá seguimento ao processo de impeachment de Dilma Roussef

              Renan Calheiros Mesa impeachment

              O presidente do Senado, Renan Calheiros, decidiu, agora há pouco, dar seguimento ao processo de impeachment no Senado. Ele classificou como “absolutamente intempestiva” e “brincadeira com a democracia” a decisão do presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão, de anular a sessão em que foi aceita a admissibilidade do processo.

              Ao anunciar sua decisão ao Plenário, Renan explicou que não poderia interferir nos discursos proferidos pelos deputados, antes da votação do dia 17 de abril. O anúncio de votos e a orientação partidária foram argumentos citados por Waldir Maranhão para anular a sessão.

              Renan também rejeitou a alegação de que a decisão da Câmara pela admissibilidade não poderia ter sido encaminhada por ofício. Maranhão argumentou que o documento adequado seria uma resolução.

              Com esses argumentos, Renan deixou de conhecer do ofício de Maranhão. Em seguida, ele deve ler o resultado do trabalho da Comissão Especial de Impeachment, que na semana passada aprovou por 15 votos a 5 parecer pela admissibilidade do processo.

              Leia mais...

              09 de maio de 2016 - 13:13:42

              Sem comentários

              Compartilhe:

                Que rolo! Deputado Waldir Maranhão, presidente em exercício da Câmara, anula votação do impeachmentt

                Bem que ele avisou que ía aprontar....

                Waldir Maranhão (PP-MA) assumiu presidência da Câmara com afastamento de Cunha. Acolheu pedido da Advocacia-Geral da União

                O presidente interino da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu nesta segunda-feira (9) anular a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff realizada na Casa no dia 17 de abril. Ele acolheu pedido feito pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo. A decisão de Waldir é considerada estafúrdia, sendo provável que o Supremo Tribunal Federal, provocado pelo Senado, onde o processo de impeachment ocorre, depois da decisão da Câmara, manifeste-se ainda hoje e derrube o ato do presidente em exercíco da Câmara.

                No meio político, a decisão do maranhense Waldir Maranhão caiu como uma bomba. Nos meios econômicos. fez cair a Bolsa de Valores e subir o dólar americano.

                Waldir Maranhão substituiu Eduardo Cunha na presidência da Câmara na semana passada depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu afastar o peemedebista do comando da casa legislativa. O deputado do PP votou contra a continuidade do processo de impeachment na votação da Câmara, descumprindo decisão de seu partido, que havia fechado questão a favor do afastamento da presidente da República.

                Leia mais...

                09 de maio de 2016 - 00:25:50

                Sem comentários

                Compartilhe:

                  Construtora Andrade Gutierrez faz acordo com a Lava Jato e pagará indenização de R$ 1 bilhão

                  Andrade Gutierrez Otávio Azevedo pres

                  O juiz federal Sérgio Moro homologou, na última quinta-feira (5), o acordo de leniência da Andrade Gutierrez pelo qual a empresa se compromete a pagar indenização de R$ 1 bilhão. A negociação com o Ministério Público Federal foi iniciada em outubro de 2015.

                  No início de abril, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki já tinha homologado a delação premiada de 11 ex-executivos da Andrade Gutierrez. Entre os depoimentos homologados estão as colaborações do ex-presidente Otávio Marques de Azevedo e do ex-executivo da construtora Flávio Barra.

                  O ministro do STF ainda não levantou o sigilo das delações. Mas, segundo fontes, nos depoimentos, os executivos relataram que a companhia realizou pagamentos diretos a empresa contratada pela campanha da presidente Dilma Rousseff em 2010. Azevedo contou ainda que sua empresa participou de esquemas em outras obras, além da Petrobras, como estádios da Copa do Mundo e obras relacionadas à Usina de Belo Monte.

                  Os delatores também afirmaram que recursos de propina abasteceram a campanha à reeleição da petista em 2014. São citados nominalmente os ministros da Secretaria de Comunicação do Planalto, Edinho Silva, e da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e do ex-ministro Antonio Palocci.

                  Pelas regras do acordo de leniência, a empresa admite ter cometido atos ilícitos, acerta o valor de uma indenização, implanta programas de controle interno e fornece informações sobre as irregularidades. Em troca, se livra da inidoneidade. O valor de R$ 1 bilhão foi fechado entre os advogados da empreiteira, a segunda maior do País, e a força-tarefa da Operação Lava Jato.

                  Leia mais...

                  08 de maio de 2016 - 22:00:08

                  Sem comentários

                  Compartilhe:

                    Foro privilegiado significa que o Brasil tem uma Justiça medieval

                    Justiça foro privilegiado

                    Por que existe toda essa fissura de criminosos em torno de “manter o processo no Supremo Tribunal Federal”? Será que as escrivaninhas dessa alta corte são discretamente providas daquele “relaxante” exibido no filme “Loucademia de Polícia”, reservado para os clientes? Será que os magistrados das demais instâncias são tão incompetentes assim na área do Direito, a ponto de assustar e repelir quem tem condições financeiras e um mínimo de conhecimento jurídico?

                    Diante dessa situação, não seria um ato criminosos e covarde deixar para esses juízes despreparados das instâncias inferiores (que apavoram os ricos da mesma forma que a cruz afugenta os vampiros) apenas os indefesos e miseráveis bandidos comuns, ao invés de também mandá-los para o Supremo, para serem julgados com o uso da a verdadeira Justiça?

                    Dessa forma, cabem duas conclusões: 1) ou os todos os magistrados brasileiros são incompetentes e só restaram juízes no Supremo Tribunal Federal; 2) ou que esta alta corte é composta por comparsas dos criminosos ricos, que vão ali apenas para papar um mamão com açúcar e trocar piscadas de olhos.

                    JUSTIÇA VIRTUAL

                    O fato é que estamos em pleno Século 21 sem sabermos o que é Justiça verdadeira e o que significa a Constituição. Seguimos discutindo se bandido deve ser preso ou aposentado com os proventos integrais, pagos com nossos impostos, e se a divulgação de um homicídio é mais importante do que o próprio cadáver…

                    Leia mais...

                    08 de maio de 2016 - 18:42:06

                    Sem comentários

                    Compartilhe:

                      Alô, juventude! Inscrições do Enem já podem ser feitas nesta segunda, 9, pela internet

                      As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) serão abertas amanhã (9) às 10h, no horário de Brasília e terminarão às 23h59 do dia 20. As provas serão aplicadas nos dias 5 e 6 de novembro. A taxa de inscrição será de R$ 68.

                      A inscrição é feita pela internet, no site do Enem. O participante deve ter em mãos, no ato da inscrição, o CPF e o número do documento de identidade. Deve também informar um endereço de e-mail. Só é possível fazer uma inscrição por e-mail, assim, cada estudante deverá ter e-mailpróprio. O nstituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, vai usar o endereço e o telefone celular informado para se comunicar com o participante.

                      Leia mais...

                      
                      
                      ©2012 José Machado - Web Design MP Marketing e Promoção