Blog do Machado

contato@blogdomachado.com.br

07 de julho de 2017 - 10:58:18

Sem comentários

Compartilhe:

    Livre, leve e solto! Enterrado processo de cassação de Aécio Neves no Senado

    Governo Temer agiu para evitar que colegiado julgasse senador do PSDB. Placar foi de 12 a 4

    O Conselho de Ética do Senado salvou o mandato do senador Aécio Neves(PSDB-MG). Por 12 votos a 4, o colegiado decidiu que não haveria elementos nem para julgar se o tucano quebrou o decoro parlamentar e, assim, enterrou o processo em definitivo. O senador mineiro foi acusado no Supremo Tribunal Federal pelo crime de corrupção e obstrução à Justiça.

    Aécio recebeu 2 milhões de reais do empresário da JBS Joesley Batista que, segundo o Ministério Público Federal, foi entregue como pagamento de propina. A irmã dele, Andrea Neves, e um primo, Frederico Pacheco, chegaram a ser presos por conta desses crimes e hoje cumprem prisão domiciliar. O próprio Aécio foi afastado de suas funções legislativas por 46 dias porque o STF entendeu que ele poderia interferir nas investigações. A Procuradoria pediu a sua prisão, mas o pedido não foi acatado pelo Judiciário. O parlamentar diz que o valor era um empréstimo pessoal e o recurso seria usado para pagar os advogados que o defendem nos sete inquéritos que responde no âmbito da operação Lava Jato.

    Ao salvar Aécio, em um claro pedido do Governo Michel Temer (PMDB) para sustentar o apoio do PSDB, os senadores acabaram pensando em si mesmos. Dos 20 membros, ao menos três são investigados na Lava Jato. E, como a operação policial ainda não se encerrou, a tendência é que o número aumente nos próximos meses. A manutenção dos tucanos na base de apoio de Temer é considerada fundamental para a continuidade da gestão.

    O placar de 12 a 4 trouxe uma questão curiosa. O caso Aécio já havia sido engavetado monocraticamente pelo presidente do Conselho, João Alberto Souza (PMDB-MA) no mês passado. Só foi reaberto depois que cinco membros do Conselho recorreram da decisão. Nesta quinta-feira, no entanto, um dos signatários do recurso, o senador Pedro Chaves (PSC-MS), entendeu que não há elementos para investigar o parlamentar tucano. Chaves só ocupa uma cadeira de senador porque o titular do cargo, Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) foi cassado pelo mesmo Senado em maio de 2016.

    Leia mais...

    07 de julho de 2017 - 10:48:42

    Sem comentários

    Compartilhe:

      Corintiano suspeito de matar filho torcedor do Palmeiras é preso em PE

      Segundo a polícia, o adolescente usava corrente com o escudo do Corinthians, o que irritou o pai, que é torcedor do Palmeiras.

      Um homem de 41 anos foi preso na quinta-feira (6) suspeito de matar o filho, de 15, a facadas. O crime ocorreu em São Paulo e o pai da vítima foi encontrado em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco.

      De acordo com a Polícia Civil, a causa do homicídio foi porque o adolescente usava uma corrente com o escudo do Corinthians, o que teria irritado o pai, que é torcedor do Palmeiras.

      Ao ver o filho com a corrente, o pai teria esfaqueado o jovem, conforme informou a polícia. O crime ocorreu em dezembro de 2016. O suspeito foi levado para a Cadeia de Saloá, onde ficará à disposição da Justiça de São Paulo.

      Leia mais...

      05 de julho de 2017 - 13:23:02

      Sem comentários

      Compartilhe:

        Polícia Federal prende seis homens por prática de pedofilia, em BH

        Prisões aconteceram em flagrante durante a Operação Save, da Polícia Federal, nesta quarta-feira (5). Eles vão responder por posse de imagens contendo sexo explícito entre crianças e adolescentes (G1)

        Seis homens foram presos em flagrante por posse de imagens contendo sexo explícito entre crianças e adolescentes. As prisões aconteceram em Cariacica, na Serra, em Vitória e em Guarapari, durante uma operação da Polícia Federal (PF) no Espírito Santo, na manhã desta quarta-feira (5).
        A PF não divulgou o nome, a idade exata ou profissão dos suspeitos, mas informou que tratam de homens de classe média e classe baixa, com idade entre 30 e 40 anos.

        Um dos detidos fazia parte de um grupo internacional de WhatsApp que espalhava as imagens de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes. Nesse grupo, havia pessoas da Europa, América Central e América do Sul.

        A operação “SAVE” começou porque a Polícia Federal recebeu a denúncia da atuação do capixaba no grupo através da Interpol. A partir disso, em março, começaram as investigações que levaram a prisão dos seis suspeitos.

        Leia mais...

        05 de julho de 2017 - 13:09:39

        Sem comentários

        Compartilhe:

          “Enquanto houver bambu, vai ter flecha”, diz Janot, sobre ele na PGR até setembro

          Autor da denúncia contra o presidente Temer, procurador celebra o fato de a sua sucessora ter sido escolhida dentro da lista tríplice e garante não ser inimigo de Raquel Dodge

          O procurador geral da República, Rodrigo Janot, bem que tenta se conter, mas não consegue fugir de uma certa sina que o persegue: fazer polêmica. Convidado do 12° Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), ele falou para um plateia lotada sobre a operação Lava Jato e os desafios de combater a corrupção no Brasil hoje. Falou de suas dificuldades à frente do órgão, da nova procuradora geral, Raquel Dodge, que assume seu posto dentro de três meses, e sobre sua saída. Qual será seu papel até setembro, questionou a entrevistadora do evento, a jornalista Renata Lo Prete. “Enquanto houver bambu, vai ter flecha. Até o dia 17 de setembro estarei lá na PGR, e até lá, a caneta está na minha mão, e vou continuar no mesmo ritmo que estou”, afirmou Janot, para um auditório lotado, num dos debates mais disputados do encontro que aconteceu em São Paulo. Ele comentou sobre outras duas denúncias em curso que chegarão ao presidente Michel Temer, sobre obstrução à Justiça e organização criminosa, mas não deu detalhes. Apenas disse que uma está mais adiantada que outra.

          Bem à vontade, Janot respondeu a todas as questões em aberto que o perseguem desde o dia 17 de maio, com as delações da JBS, acordadas com o empresário Joesley Batista – chamado a todo instante de “bandido” ao longo da palestra. Admitiu que já foi ameaçado de morte, e que anda com seguranças, mas que lida com essa questão como um assunto profissional.

          Leia mais...

          03 de julho de 2017 - 11:49:57

          1 comentário

          Compartilhe:

            Curso tenta ensinar homens a não agredirem mais as mulheres

            Uma sala de aula onde os alunos são todos – e somente – homens. Brancos, negros, jovens, idosos, de todas as classes sociais, eles formam um grupo heterogêneo e cheio de diferenças, mas carregam consigo uma característica em comum: todos estão ali por terem cometido crimes de violência contra a mulher.

            O caso de João* aconteceu no último dia 25 de dezembro, no Natal. Uma discussão com a mulher por uma foto apagada de um celular motivou uma briga que fugiu do controle. Entre xingamentos e insultos, ele a empurrou na cama, deu tapas e quebrou o espelho, até ela gritar por socorro e o filho chamar a polícia.

            Aos 27 anos, Pedro* nunca teve um perfil violento, segundo a mulher, mas um dia também a agrediu por ciúme – uma raiva que não conseguiu conter no momento, como ele diz.

            Já separados, os dois viviam na mesma casa por causa dos filhos, e quando ela chegou mais tarde do trabalho um dia ele resolveu tirar satisfação. Foi de “vagabunda’ para baixo, com outros xingamentos que ele mesmo descreve como “impublicáveis” – mas não parou por aí.

            “Com essa mão aqui eu dei três tapas na orelha dela que fizeram sangrar. Dei chute no útero, acho que no joelho também. Agredi, sim, não vou mentir”, disse à BBC Brasil. Tudo isso na frente dos filhos de quatro anos e dois anos.

            Rubens* partiu para cima da filha. Com 60 anos de idade – e um corpo todo de fisiculturista de vidrado em academia -, ele teve seus desentendimentos com a jovem de 18 anos. “Eu a repreendia, controlava muito horário dela sair e chegar”, conta. Um dia, avançou para a agressão e, quando a mãe, que sofre de câncer e está em tratamento, entrou na frente para defender a menina, acabou apanhando também. As duas o denunciaram.

            Esses três homens agora estão sendo processados com base na lei Maria da Penha e viraram colegas de sala no curso “Tempo de Despertar”, promovido pelo Ministério Público de São Paulo com o objetivo de reduzir a reincidência de casos de violência contra a mulher.

            “É uma forma de prevenir a violência contra a mulher. Percebi que os casos de reincidência de violência doméstica eram muito altos, em torno de 65%. Buscando projetos internacionais de sucesso, consegui achar dois que trabalhavam com o homem, com a desconstrução do machismo, da masculinidade”, explicou à reportagem a promotora e criadora do curso, tion
            Promotora Gabriela Manssur é quem coordena o projeto Tempo de Despertar; Sergio Barbosa faz parte dos grupos de reflexão que incluem bate-papos com homens agressores.

            “A pessoa mais beneficiada com esse curso é a mulher. Nas três edições (do curso) que fizemos, tivemos somente um homem que voltou a cometer violência. Ou seja, reduzimos a reincidência para praticamente zero. Portanto, se temos 17 homens aqui, vamos ter menos 17 casos de violência contra a mulher no Ministério Público ano que vem”, afirmou.
            “O que é melhor: não é só o processo, dentro do processo tem uma vida, uma família que sofre, uma vítima que sofre. Então são menos 17 vítimas sofrendo de violência contra a mulher.”

            O curso é composto por oito aulas que, em geral, são realizadas a cada duas semanas. Aborda temas relacionados a gênero, direitos das mulheres, lei Maria da Penha, masculinidade, sexualidade e DSTs (doenças sexualmente transmissíveis), álcool e drogas, paternidade e afetividade, entre outros.

            Participam da iniciativa homens denunciados por violência doméstica e sob investigação, cumprindo medida protetiva e/ou aguardando julgamento. O comparecimento é obrigatório e pode reduzir eventuais penas em caso de condenação.
            A BBC Brasil acompanhou três dias de curso e conversou com organizadores, participantes e mulheres vítimas de violência cometida por eles.

            Quem entrasse desavisado naquela sala no fórum regional da Penha (zona leste de São Paulo) dificilmente entenderia quem eram aqueles homens e o que faziam ali.

            Um grupo que reunia jovens de 20 e poucos anos com óculos Rayban escorados na testa; idosos de cabelos brancos; brancos, ruivos, negros, pardos, barbudos, com dreads no cabelo; homens escolarizados, com diploma universitário; ou que mal haviam terminado o colégio; homens fortes, altos, musculosos; outros franzinos, miúdos. “Não existe perfil do agressor. É aquele homem, aquele jovem, aquele idoso, que não respeita os direitos das mulheres. São homens que não entendem que as mulheres têm os mesmos direitos que eles, que foram criados no reflexo de uma sociedade machista de forma a entender que a mulher tem que servi-lo, que a mulher tem que ser controlada, que a mulher que sai com roupa curta é vadia, etc”, afirma Manssur.

            E, logo no primeiro dia de curso, já era possível perceber um sentimento em comum: a revolta por estarem ali “sem terem cometido crime nenhum”.

            “Eles chegam aqui revoltados. Sem entender por que estão ali. Eles falam: ‘Eu não sou criminoso, o que eu estou fazendo aqui?’. Não entendem por que as mulheres estão querendo tantas coisas, por que elas querem se igualar aos homens. Xingam até a Maria da Penha”, conta Sergio Barbosa, um dos gestores do curso.

            “Não entendia o que estava fazendo aqui. Depois, comecei a entender e aprender coisas que eu nunca tinha ouvido na vida, que existem vários tipos de agressão, que agressão verbal também é violência”, disse João
            O primeiro trabalho é de conscientização sobre os direitos das mulheres, o feminismo e a masculinidade. Nas aulas, especialistas convidados pelos organizadores falam sobre mudanças da sociedade e conquistas recentes das mulheres, sobre a importância de combater a ideia de que “homem tem que ser duro” ou de que “homem não pode chorar” e tentam chamar a atenção para as razões dos erros dos participantes. “Cheguei aqui e achava que jamais tinha sido agressivo, que nunca tinha sido agressor. Não entendia o que estava fazendo aqui. comecei a entender e aprender coisas que eu nunca tinha ouvido na vida, que existem vários tipos de agressão, que agressão verbal também é violência. Aí no primeiro encontro já vi que eu estava errado”, relatou João.

            Além das palestras, os homens são reunidos em grupos de reflexão onde debatem como podem melhorar suas atitudes. Em um deles, em que o assunto era autocontrole, a reportagem acompanhou o momento em que a conversa passou a tratar das “roupas que as mulheres vestem”.

            “Minha mulher pode vestir o que quiser. Eu só aviso para ela: ‘Você quer sair assim? Você sabe como os homens vão olhar’. Mas eu respeito a escolha dela”, disse um deles. O outro reclamou do batom escuro e vermelho que a esposa usava – semelhante ao da repórter diante dele. “Não gosto. Acho ridículo”, disse com veemência.

            Leia mais...

            28 de junho de 2017 - 12:47:35

            Sem comentários

            Compartilhe:

              Após livrar Aécio da cassação, João Alberto passa mal e vai parar no hospital

              Após sentir tontura e sofrer desacelaração cardíaca, ele será submetido a cirurgia para colocação de um marca-passo, informou assessoria. Na sexta (23), ele arquivou pedido de cassação de Aécio Neves (G1)

              Segundo a assessoria, ele sentiu tontura e sofreu desacelaração cardíaca. O objetivo da cirurgia é a colocação de um marca-passo.

              No último dia 6, João Alberto (MA) foi reeleito presidente do Conselho de Ética do Senado. É a sexta vez que o parlamentar do Maranhão assume a função.

              Na sexta-feira (23), João Alberto decidiu arquivar pedido de cassação do mandato do senador Aécio Neves (PSDB-MG). O pedido foi formulado pelos partidos Rede e PSOL. Nesta terça, um grupo de senadores protocolou recurso contra a decisão.

              Leia mais...

              28 de junho de 2017 - 12:35:53

              Sem comentários

              Compartilhe:

                Jovem é resgatada após 9 horas sendo mantida refém pelo ex-namorado em São Luís

                Uma jovem que foi sequestrada pelo ex-namorado e mantida refém em um motel de São Luís foi resgatada pela polícia na madrugada desta quarta-feira (28). A operação contou com a participação de equipes da Polícia Militar e dois delegados que fizeram a negociação de liberação da vítima.

                O sequestro teve inicio por volta das 20h de terça-feira (27) no bairro do Maiobão. Cássio de Oliveira Silva, 32 anos, surpreendeu Ilza Cristina de Jesus Silva, 24 anos, e o atual namorado dela quando eles chegavam a casa da vítima. Armado com um revólver, o suspeito a obrigou a entrar no próprio veículo, usado na fuga.

                O atual namorado Carlos Eduardo Silva Ferreira acionou a polícia e as buscas pelo suspeito foram iniciadas com rondas ostensivas e uso da rede de videomonitoramento. O paradeiro do suspeito foi descoberto durante a madrugada, em uma suíte sadomasoquista de um motel no bairro Turu, onde Cássio optou em manter a ex-namorada como refém sob constante ameaça.
                Segundo a Polícia Civil, a vítima foi sequestrada e levada para uma suíte sadomasoquista de um motel na capital maranhense (G1 Maranhão)

                Ao ser preso, o rapaz disse aos policiais que sequestrou e agrediu a jovem por não aceitar o término do relacionamento. “Ele conviveu com ela por sete anos e não aceitava o fim de relacionamento. Ao saber que ela estava com outra pessoa ficou transtornado, adquiriu uma arma de fogo e cometeu o delito” afirmou.

                Apesar das alegações, o jovem foi autuado em flagrante pelos crimes de sequestro e cárcere privado, porte ilegal de arma, ameaça de morte. Segundo o delegado Carlos Alberto Damasceno, se condenado, ele pode pegar até nove anos e meio de prisão.

                Leia mais...

                28 de junho de 2017 - 12:25:15

                Sem comentários

                Compartilhe:

                  Ataque de ransomware Petya está atingindo computadores ao redor do mundo

                  Lá vamos nós de novo: diversas empresas foram infectadas por um ransomware que criptografa os arquivos do computador e exige pagamento em bitcoin para liberá-los. Desta vez, o culpado se chama Petya, e parece que ele usa a mesma vulnerabilidade do WannaCry.

                  Segundo pesquisadores de segurança da Kaspersky Lab, o ransomware atingiu a Rússia, Ucrânia, Espanha, França, entre outros países.

                  A dinamarquesa Maersk diz que “sistemas de TI estão fora do ar em vários locais e unidades comerciais”. O ransomware também atingiu servidores da empresa russa de petróleo Rosnoft, a farmacêutica Merck, a produtora de materiais de construção Saint-Gobain, o escritório de advocacia DLA Piper, e o grupo britânico de publicidade WPP.

                  No Brasil, o Petya afetou diversos hospitais de câncer do interior de São Paulo, em cidades como Barretos, Jales e Fernandópolis — estima-se que até 3 mil pacientes ficaram sem atendimento. A Santa Casa de Barretos também foi atingida pelo ataque.

                  O dano mais extenso, no entanto, está sendo relatado por empresas ucranianas, com sistemas comprometidos no banco central, no metrô e no aeroporto Boryspil de Kiev. Curiosamente, o país está otimista em meio ao caos:

                  https://twitter.com/Ukraine/status/879706437169147906

                  Este não seria o único malware que usa a mesma vulnerabilidade do WannaCry. O Adylkuzz aproveita a brecha para minerar Monero, uma moeda virtual semelhante ao bitcoin, através do seu PC.

                  Leia mais...

                  27 de junho de 2017 - 12:19:59

                  Sem comentários

                  Compartilhe:

                    Google é multado em 2,4 bilhões de euros por monopólio em compras online

                    União Europeia impôs multa recorde ao buscador por abusar de sua posição dominante ao favorecer sua ferramenta de compras online, o Google Shopping

                    O órgão de defesa da concorrência da União Europeia impôs uma multa recorde de € 2,42 bilhões ao Google em decisão divulgada na manhã desta terça-feira, 27. Conforme a UE, o grupo multinacional sofre a sanção por abusar de sua posição dominante em buscas na internet para favorecer seu próprio comparador de preços para compras online, o Google Shopping.

                    “O que o Google tem feito é ilegal sob as normas antimonopólio da União Europeia. Ele nega a outras empresas a oportunidade de competir com seus méritos e inovação”, disse a comissária europeia da Competência, Margrethe Vestager, em coletiva de imprensa na sede da UE, em Bruxelas.

                    Até então, a maior multa aplicada pelo bloco econômico por ‘abuso de posição dominante’ era de € 1,06 bilhão, imposta em 2009 à fabricante de computadores Intel.

                    Leia mais...

                    27 de junho de 2017 - 01:37:10

                    Sem comentários

                    Compartilhe:

                      Por risco de explosão, Ministério Público pede interdição de condomínio Toscana, em São Luís-MA

                      Foram os próprios moradores que reclamaram do cheio de gás no prédio

                      G1

                      O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) pediu ao Corpo de Bombeiros a interdição do Condomínio Jardim de Toscana localizado no bairro Cohafuma, em São Luís, por existir risco de explosão e colapso da estrutura.

                      O cheiro constante de gás preocupava tanto os moradores do prédio, um dos cinco edifícios do Conjunto Habitacional, que eles resolveram denunciar o caso ao MP-MA que ao avaliar os critérios de segurança, optou em manter a integridade das 288 famílias que moram no condomínio.

                      O Ministério Público alega que o condomínio foi construído em cima de lençóis freáticos, o que estaria ocasionando problemas, além de haver possibilidade de crime ambiental.

                      “Já enviei o ofício para o Corpo de Bombeiros pedindo a interdição do prédio. A construtora foi notificada para arrumar e não arrumou e por isso vamos remeter o caso à polícia para investigar a parte criminal”, disse a promotora Lítia Cavalcanti.

                      O Corpo de Bombeiros deve realizar uma vistoria no prédio nos próximos dias, e segundo o Ministério Público existe até a possibilidade de evacuação da área, dependendo da gravidade do caso.

                      Ao G1, o comandante do Corpo de Bombeiros Célio Roberto, disse que o foco principal é garantir a integridade das famílias deste condomínio e não descartou a possibilidade de evacuação dos moradores da localidade.

                      Na denúncia encaminhada ao MP-MA, os moradores relataram que o empreendimento não possui sistema de abastecimento de água, tem problemas no sistema de segurança de combate de incêndio, no sistema de gás e até mesmo problemas no sistema de proteção de descarga atmosférica.

                      A construtora Cyrela, responsável pelo empreendimento, encaminhou nota no início da tarde desta segunda-feira (26) e disse que não foi informada ainda oficialmente sobre o assunto e que nunca se recusou a seguir as orientações das autoridades para que a construção chegasse ao resultado esperado.

                      Leia mais...

                      
                      
                      ©2012 José Machado - Web Design MP Marketing e Promoção