Blog do Machado

contato@blogdomachado.com.br

18 de maio de 2016 - 00:48:45

Sem comentários

Compartilhe:

    Lá vem polêmica! Novo ministro da Saúde diz que tamanho do SUS precisa de revisão

    Ricardo Barros cria polêmica ao falar em redução do tamanho do SUS

    Para Ricardo Barros, país não será capaz de sustentar acesso universal ao sistema público de saúde e deve repensar modelo.
    Em entrevista concedida nesta terça-feira, 17 de maio, ao jornal Folha de São Paulo, o novo ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP do Paraná), afirmou que, possivelmente, em momento ainda não definido pelo governo, o Brasil “terá que repensar alguns direitos universais” garantidos à população brasileira pela Constituição Federal (promulgada em 1988), como, por exemplo, o acesso à saúde por meio do SUS (Sistema Único de Saúde), que pode vir a ter o tamanho (alcance) revisado.

    O novo ministro da saúde, inclusive, chegou a comparar a atual situação por qual o país passa com o que ocorreu na Grécia, que teve que cortar as aposentadorias das pessoas para se reestruturar economicamente. Ricardo Barros afirmou, ainda em entrevista para Folha, que tal ação foi realizada pelo governo grego pelo fato de que este “não tinha mais condições de sustentar os direitos universais outrora garantidos para a população”, o que, segundo Barros, pode vir a acontecer também com o Brasil.

    Leia mais...

    18 de maio de 2016 - 00:27:22

    Sem comentários

    Compartilhe:

      Espetáculo brasileiro em que artistas exploram ânus uns dos outros será exibido na Alemanha

      Nas apresentações, os nove artistas, completamente nus, exploram o orifício anal uns dos outros. (FOTO: Reprodução/ Macaquinhos)

      O espetáculo Macaquinhos, que chocou a sociedade cearense após uma apresentação na 17ª edição da Mostra Sesc Cariri de Culturas, terá participação em evento internacional, na Alemanha. Em novembro de 2015, quando apresentaram-se em Juazeiro do Norte, no Ceará, os artistas sofreram preconceito por explorarem os ânus uns dos outros.

      Na época, propagaram-se em redes sociais imagens e vídeos de apresentações anteriores com reclamações sobre a temática e pelo fato dos artistas colocarem o dedo nos ânus dos outros. As apresentações, baseadas no livro “O Povo Brasileiro”, de Darcy Ribeiro, contam com nove artistas, completamente nus, explorando o orifício anal uns dos outros com base em três premissas: “aprender que existe cu; aprender a ir para o cu; e aprender a partir do cu e com o cu”.

      O projeto, de São Paulo, nasceu em 2011 com uma intervenção no Museu do Piauí e terá cinco apresentações na Alemanha durante o mês de junho de 2016. De 1 a 3 de junho será na cidade de Hamburgo, e dias 7 e 8 em Frankfurt. As performances integram

      Leia mais...

      17 de maio de 2016 - 12:08:52

      Sem comentários

      Compartilhe:

        Segundo o Sebrae, Edivaldo Júnior está entre os vinte melhores prefeitos do Brasil

        O prefeito Edivaldo está entre os 20 melhores gestores municipais do Brasil no que tange à adoção de práticas inovadoras e que estimulem o empreendedorismo e o desenvolvimento econômico. O reconhecimento foi divulgado na 9ª edição do prêmio Prefeito Empreendedor, realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A edição nacional da premiação foi realizada esta semana em Brasília e contou com a partipação de cerca de 1800 prefeitos de todas as regiões brasileiras.

        O prefeito Edivaldo participou da premiação na categoria “Pequenos Negócios no Campo”. O projeto “Fomento aos negócios do Campo”, desenvolvido pela Prefeitura de São Luís, está inserido no contexto do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), de iniciativa do governo federal e executado em parceria com estados e municípios. Coordenado pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa), o projeto conta com articulações também junto às secretarias de Criança e Assistência Social (Semcas) e Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), Planejamento e Desenvolvimento (Seplan), além da Defesa Civil, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFMA) no abate do plantel de frango; e do Programa “Mesa Brasil” do Sesc. Em março deste ano, o projeto foi o vencedor da etapa estadual da premiação.

        Leia mais...

        17 de maio de 2016 - 01:06:25

        Sem comentários

        Compartilhe:

          Dilma critica tom usado por José Serra com países latino-americanos

          Dilma Roussef: de olho no apoio internacional à tese 'golpista'...

          presidente afastada Dilma Rousseff criticou nesta segunda-feira o tom usado pelo governo interino de Michel Temer com alguns países latino-americanos e a Unasul, que criticaram o afastamento da governante de suas funções para responder a um julgamento que pode cassar seu mandato.

          Dilma se referiu aos comunicados publicados nos últimos dias pelo novo Ministério das Relações Exteriores rejeitando as opiniões proferidas pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e pelos Executivos de Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador, Nicarágua e El Salvador em relação ao afastamento da presidente.

          “A reação de governos estrangeiros e de importantes setores da opinião pública mundial, entre eles o secretário-geral da OEA, expressa a indignação internacional diante da farsa jurídica aqui montada”, afirmou Dilma por meio das redes sociais.

          A chefe de Estado afastada também demonstrou sua preocupação “de que essas práticas, travestidas de legalidade, possam se espalhar por outras partes do mundo, especialmente na América Latina, promovendo a desestabilização de governos legítimos”.

          Dilma também destacou que os governos e povos da América Latina estão “preocupados” com as ameaças que o novo ministro das Relações Exteriores, José Serra, fez contra o Mercosul e com “sua disposição de estabelecer acordos econômicos e comerciais profundamente lesivos ao interesse nacional”.

          Leia mais...

          17 de maio de 2016 - 00:23:46

          Sem comentários

          Compartilhe:

            Cuba lidera junto a países e órgãos internacionais reação ao impeachment

            Relações Exteriores: José Serra reúne-se com o seu gabinete para tratar da ofensiva diplomática contra os países "insurgentes"

            Sem se intimidar pela reação do chanceler José Serra de criticar abertamente as declarações dos governos bolivarianos em relação aos acontecimentos políticos no Brasil, a diplomacia de Cuba faz campanha nos órgãos internacionais contra o governo interino de Michel Temer.

            O jornal O Estado de S. Paulo obteve com exclusividade um e-mail enviado pela missão de Cuba perante às Nações Unidas para mais de uma dezena de organismos internacionais, alertando para o “golpe” no Brasil. Na mensagem datada de 15 de maio, o governo cubano descreve o conteúdo da declaração como sendo “sobre o golpe do Estado parlamentário e judicial no Brasil”.

            Em anexo, os diplomatas que abriam o documento podiam ler a declaração assinada em Havana no dia 12 de maio e já publicada que acusava Temer de ter “usurpado o poder”, apoiado pela “grande imprensa reacionária e o imperialismo”. “Dilma, Lula, o PT e o povo do Brasil contam e contarão sempre com toda a solidariedade de Cuba”, indicou a nota, que ainda denuncia as “manobras” da “oligarquia” e a “contraofensiva reacionária”.

            O e-mail com a declaração foi direcionado para altos dirigentes da Organização Internacional do Trabalho, Organização Mundial do Comércio, para o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, para a secretaria da ONU, Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Organização Mundial da Saúde, União Internacional de Telecomunicações, UNAids, para o Programa da ONU para o Desenvolvimento e para o Programa da ONU para o Meio Ambiente, além de várias outras.

            Leia mais...

            16 de maio de 2016 - 02:44:15

            Sem comentários

            Compartilhe:

              Alguns países da América Latina não querem reconhecer o governo de Michel Temer

              Temer:: dificuldades para que países latinos reconheçam seu governo...

              O presidente interino Michel Temer enfrenta resistências de países da América Latina para reconhecer, formalmente, o seu governo. A crise de legitimidade se agravou nna sexta (13) quando o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu ao embaixador Alberto Castellar retornasse a Caracas. O chefe do governo venezuelano classificou o “afastamento” da presidente Dilma Rousseff como um “golpe de Estado”.

              “Pedi ao nosso embaixador no Brasil que viesse, e estivemos reunidos avaliando essa dolorosa página da história do Brasil, uma jogada injusta com a mulher que é a primeira presidenta que o Brasil teve”, disse Maduro em pronunciamento na estatal Venezolana Televisión. (Abaixo, assista ao vídeo).
              Além da Venezuela, Cuba, Bolívia, Equador e Nicarágua — que compõem a Alba (Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América) — também têm se manifestado enfaticamente contra o processo de impeachment.

              Leia mais...

              16 de maio de 2016 - 02:01:29

              Sem comentários

              Compartilhe:

                De guerras a robôs: Os 7 perigos que podem provocar uma catástrofe global

                As 7 coisas que podem aniquilar a terra

                Da BBC Mundo

                Milhões de pessoas morreram em meados do primeiro milênio da era cristã, entre os anos de 541 e 542, por causa da Praga de Justiniano, uma doença que afetou o Império Bizantino e várias partes da Europa, Ásia e África.

                Séculos depois, dezenas de milhões de pessoas morreram devido à peste negra. Essa pandemia se espalhou pelo continente europeu entre os anos de 1347 e 1351 e causou um número de óbitos maior do que qualquer guerra ou epidemia ocorridas até aquele momento.

                A doença chegou até a China, parte do Oriente Médio e norte da África.

                Os dois eventos resultaram na morte de mais de 10% da população mundial da época. Segundo a definição usada pela consultoria Global Challenges Foundation (GCF), essas epidemias entrariam na categoria de catástrofe global.

                A GCF tem sede em Estocolmo, na Suécia, e se dedica a analisar as grandes ameaças mundiais. E, em seu relatório Riscos Catastróficos Globais 2016, afirma que o risco de uma calamidade desse tipo acontecer nos nossos tempos não pode ser menosprezado.

                “É fácil se deixar confundir pelas aparentemente baixas probabilidades de eventos catastróficos”, afirma o relatório, acrescentando que as “pequenas probabilidades se combinam (…) no longo prazo”.

                O documento da fundação faz uma análise dos sete principais riscos de uma catástrofe global. Veja quais são:

                Leia mais...

                13 de maio de 2016 - 13:34:54

                1 comentário

                Compartilhe:

                  Machismo e rancor da direita pesaram em queda de Dilma, diz jornal britânico

                  Dilma tchau

                  New York Times, EUA

                  Com uma reportagem de seu correspondente no Brasil, Simon Romero, o NYT dá destaque para o anúncio do ministério de Temer, mencionando a ausência de mulheres, negros e a escolha do líder ruralista e megaprodutor Blairo Maggi para o Ministério da Agricultura.

                  Mas vê como positiva a escolha do ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles para a pasta da Fazenda, lembrando que este havia feito parte do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

                  Em editorial, o jornal diz que Dilma “está certa ao questionar as motivações e autoridade moral dos políticos que a querem tirar do poder”, apesar de classificar a agora presidente suspensa como uma “péssima política”. O NYT considera que Dilma parece destinada a pagar “um preço altamente desproporcional por seu problemas administrativos enquanto seus acusadores mais ardentes são acusados crimes mais graves”.

                  “Eles podem descobrir que muito da ira dirigida a ela poderá em breve ser redirecionada”, diz o jornal.

                  Veja, ainda, a opinião de outros grandes jornais estrangeiros sobre o impeachment de Dilma…

                  Leia mais...

                  13 de maio de 2016 - 12:36:44

                  Sem comentários

                  Compartilhe:

                    Querem tirar Waldir da presidência da Câmara no grito. Mas, sem base legal, tem de combinar com ele…

                    Deputado Waldir Maranhão: folclore ou esperteza?

                    Folclórico, instável, com ficha criminal ou não, o deputado federal maranhense Waldir Maranhão (PP-MA) tem todo o direito de permanecer como presidente interino da Câmara Federal. A interinidade dele é calçada na lei. E só renunciará ao posto se quiser. Ninguém pode forçá-lo, a não ser alguma ação do Supremo Tribunal Federal, e, assim mesmo, embasada na Constituição e no Regimento Inbterno da Câmara.

                    Pela interpretação do regimento interno feita pela Secretaria Geral da Mesa Diretora, só seria possível eleger um presidente da Casa em caso de morte, renúncia ou perda de mandato do presidenter anterior, Eduardo Cunha, mas nada disso aconteceu. Assim, Waldir Maranhão tem direito de permanecer presidindo interinamente a Câmara enquanto Cunha estiver afastado porque não foi declarada a vacância do cargo.

                    Algumas teses de afastamento de Maranhão estão em discussão, entre elas uma consulta à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para que declare o cargo de presidente da Câmara vago. Os defensores dessa estratégia dizem que se Cunha está afastado do mandato e não tem previsão de retorno, portando seria necessária uma nova eleição. Pelo que se sabe, isso não tem amparo no Regimento Interno, que é uma espécie de “constitutição” do Legislativo. No mais, é esperar pra ver.

                    Contra Waldir Maranhão pesa o fato de que cria instabilidade num momento em que será preciso aprovar uma ampla pauta de matérias econômicas. Uma preocupação do presidente da República, em exercício, Michel Temer.

                    Auxiliares do atual mandatário do Brasil deixaram vazar que já identiicaram uma ação do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, em favor da permanência de Waldir Maranhão na presidência interina da Casa. Para Waldir e Cunha, ótimo; para Temer, dizem, é péssimo.

                    Pelas minhas previsões, Waldir Maranhão, que gosta de levar vantagem em tudo, ainda vai se sair é muito bem dessa camisa de força, depois que for chamado ao Planalto por Michel Temer: não se espantem se ele renunciar à presidência interina da Câmara. Do mesmo modo como voltou atrás na decisão de pretender anular o impeachment de Dilma Roussef.

                    Ainda: querer tirar Waldir na marra só passa para o país que ele está sendo vítima de discriminação por ser negro, nordestino e maranhense, mesmo com a repercussão das burradas que cometeu!

                    Leia mais...

                    12 de maio de 2016 - 21:23:05

                    Sem comentários

                    Compartilhe:

                      Mais uma traquinagem de Maranhão vira notícia nacional – receber da Uema sem trabalhar

                      Waldir Maranhão de boca fechada

                      Os salários só deixaram de ser pagos em dezembro, após uma auditoria interna da universidade

                      Waldir Maranhão saiu do meio acadêmico para se tornar deputado federal, mas o meio acadêmico não saiu dele. Ao menos de sua conta bancária. Nos dois últimos anos o presidente interino da Câmara atuou paralelamente como “professor fantasma” da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), recebendo salários mensais de cerca de R$ 16 mil, tudo de forma absolutamente irregular. Os pagamentos, realizados entre fevereiro de 2014 e dezembro de 2015, somaram R$ 368.140,09.
                      Por lei, qualquer servidor público que assume mandato de deputado tem que pedir o afastamento imediato de sua função inicial para, então, exercer seu cargo e ser remunerado exclusivamente por ele.

                      O deputado Waldir Maranhão (PP-MA) sabia disso. Tanto que, em 2006, quando foi eleito pela primeira vez, deixou a universidade estadual, onde foi professor e reitor por 21 anos, e teve salário automaticamente cortado. A situação permaneceu assim durante sua primeira legislatura, mas não chegaria ao fim da segunda, iniciada em 2010, quando foi reeleito: Maranhão voltou a figurar na lista de professores ativos da Uema.

                      Em fevereiro de 2014, o hoje presidente interino da Câmara voltou a receber seus vencimentos por serviços acadêmicos que não prestava. Quando foi eleito para o terceiro mandato, iniciado em janeiro de 2015, o deputado teve nova oportunidade de esclarecer que estava recebendo salários de forma irregular, mas não o fez.

                      Os salários só deixaram de ser pagos em dezembro, após uma auditoria interna da universidade.

                      Leia mais...

                      
                      
                      ©2012 José Machado - Web Design MP Marketing e Promoção